Sábado, 28 de Maio de 2022
14°

Poucas nuvens

Nova Cantu - PR

Estadual Renato Freitas

Arquidiocese envia carta a vereadores pedindo que Câmara não casse Renato Freitas

Documento admite que manifestação na Igreja do Rosário ocorreu após o fim da missa

29/03/2022 às 12h22
Por: Redação Fonte: https://www.plural.jor.br/colunas/caixa-zero/arquidiocese-envia-carta-a-vereadores-pede-que-camara-nao-casse-renato-freitas/
Compartilhe:
Igreja sugere
Igreja sugere "medida disciplinadora",mas não cassação. Foto: Reprodução/Instagram

A Mitra da Arquidiocese de Curitiba enviou uma carta aos vereadores da cidade pedindo que o vereador Renato Freitas (PT) não seja cassado. O petista enfrenta um processo no Conselho de Ética por ter feito um protesto antirracista dentro da Igreja do Rosário em 5 de fevereiro deste ano. Vários integrantes da Câmara pediram a cassação de Freitas por quebra de decoro, afirmando que ele invadiu o local e desrespeitou a Igreja Católica.

Na manifestação da Igreja, enviada ao vereador Sidnei Toaldo (Patriotas), relator do caso no Conselho de Ética da Câmara, a Mitra sugere que a punição seja proporcional aos fatos. Ao contrário do que vários vereadores afirmaram, a Arquidiocese confirma o que Renato sempre disse e que ficava claro nos vídeos: que o vereador só entrou para se manifestar na igreja depois do fim da missa.

A carta da Arquidiocese inclusive faz elogios à luta antirracista do vereador. O protesto marcado para a frente da Igreja do Rosário, símbolo da história dos negros em Curitiba por ter sido construída originalmente por escravos, no século dezoito, tinha como origem o assassinato de dois homens negros nos dias anteriores, um congolês e um brasileiro.

“A manifestação contra o racismo é legítima, fundamenta-se no Evangelho e sempre encontrará o respaldo da Igreja”, diz o documento. “Percebe-se no vereador o anseio por justiça em favor daqueles que historicamente sofrem discriminação em nosso país. A causa é nobre e merece respeito.”

O texto diz que houve excessos na manifestação e diz que a Igreja “em favor de uma medida disciplinadora proporcional ao incidente”, mas evitando a pena de cassação.

O documento pode ser fundamental na defesa de Freitas, uma vez que a Igreja Católica é vista como a principal vítima dos atos do vereador. As reclamações da Cúria, inclusive, foram um dos fatores fundamentais para que os vereadores entrassem com os pedidos de processo disciplinar contra o colega. Portanto, a admissão de que os fatos se deram apenas após o fim da missa e o pedido para que ele não seja cassado certamente terão um peso.

Freitas, que está no primeiro mandato, já foi levado uma vez ao Conselho de Ética anteriormente por ter criticado vereadores evangélicos. A bancada religiosa, desde então, vê no vereador um inimigo e liderou os pedidos por sua cassação.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias