Quarta, 17 de Agosto de 2022
18°

Chuva

Nova Cantu - PR

Brasil Eficiência energia

Brasil está na penúltima posição no ranking internacional de eficiência energética, atrás apenas do México

Uso dos inversores de frequência é urgente para implementação da Indústria 4.0 e para reverter essa situação, que representa desperdício de energia elétrica.

14/01/2022 às 15h53
Por: Redação
Compartilhe:
Freepik
Freepik

Os motores elétricos estão nas casas – no liquidificador, na batedeira, no secador de cabelo, na geladeira –, bem como nas empresas e nas indústrias, nos elevadores, escadas rolantes e nas aplicações em fresas, tornos e esteiras, por exemplo. Sua utilização é tão grande que o relatório recente de pesquisa da Market Research Future, “Electric Motors Market for Household Appliances”, comprova que haverá um crescimento de 5,87% entre os anos 2022 e 2030, isso só para o uso doméstico, sem contabilizar os parques fabris.

Segundo a pesquisa, a alta se dá por conta da procura por motores eficientes em termos de energia: “Espera-se que regiões emergentes em todo o mundo apresentem oportunidades inexploradas. Os players do setor tentam aumentar suas capacidades de produção com melhor eficiência de custos apoiados em novas possibilidades”, diz o levantamento, pontuando, ainda, que, embora de um lado as perspectivas sejam positivas, do outro, o mercado testemunha grandes lacunas. E, um desses obstáculos está na baixa adoção dos inversores de frequência, dificultando o já tardio progresso da Indústria 4.0 por meio da automação de processos industriais.

No Brasil, a eletricidade é o insumo mais importante, seu uso racional é essencial quando o assunto é redução de gastos e competitividade. Nas fábricas, os vilões das contas de energia e suas altas cifras são os motores elétricos, que representam o percentual de 70% de toda a eletricidade consumida, conforme aponta a Eletrobras/Procel.

Há exatamente 20 anos, foi promulgada a Lei nº 10.295, que visa combater o desperdício de energia. Em seu artigo 2º, a legislação destaca que a checagem dos estabelecimentos em relação aos níveis máximos de consumo de energia, ou mínimo de eficiência energética, dos equipamentos e máquinas, será realizada com base em valores viáveis.

“Ocorre que para atender esta condição, faz-se necessário uma quantidade imensa de informações, como volume de produção, distribuição e venda, estratégias de transporte, importações e exportações, entre outros fatores, naturalmente difíceis de serem adquiridas”, analisa Joelintom Geffer, promotor técnico Siemens da Reymaster Materiais Elétricos e especialista em automação industrial.

Isso faz com que, em termos de eficiência energética, o Brasil esteja na penúltima posição no ranking internacional, entre as 16 maiores economias do mundo. “Para reverter esse quadro, a adoção dos inversores de frequência se faz urgente”, comenta Geffer.

Os inversores de frequência são aplicados em motores elétricos monofásicos e trifásicos, possibilitando seu acionamento com um controle preciso da corrente de partida (Reduzindo custos com sobredimensionamento de cabos, contatores, disjuntores, painéis e transformador). É possível controlar a velocidade e torque do motor , resultando em menor consumo de energia elétrica e maior durabilidade de componentes mecânicos de uma máquina ou processo.

Seu funcionamento é relativamente simples, é feita a conversão do sinal de tensão elétrica senoidal em um sinal de onda quadrada, através de uma modulação chamada PWM – Pulse Width Modulation (Modulação por Largura de Pulso), esse sinal de entrada é tratado por alguns blocos que compõem esses equipamentos.

Etapas - imagem em alta no link abaixo do texto

E engana-se quem pensa que sua única utilidade é economizar energia. Pelo contrário: os inversores de frequência são responsáveis pelo melhor desempenho das máquinas e equipamentos; têm menor necessidade de manutenção; protegem o motor de forma mais eficaz; economizam espaço na instalação e principalmente habilitam a transformação digital para a Industria 4.0!

A Reymaster, com sede em Curitiba (PR) e Joinville (SC) - e que atende todo o Brasil -, conta com um portfólio completo desses equipamentos através da parceria com as marcas Siemens e Schneider. Além de possuir uma equipe técnica especializada para atender a cada necessidade da indústria nacional!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias