Política Nacional

TSE irá julgar pedido que quer obrigar partidos a prestarem contas mensalmente

Publicados

em


source
TSE
Agência Brasil

Relator do pedido é o ministro Luis Felipe Salomão.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) irá julgar um pedido feita pelos movimentos Transparência Partidária e Transparência Brasil que quer obrigar os partidos a prestarem contas mensalmente. O tema será debatido pelo plenário da Corte nesta terça-feira (20) em sessão por videoconferência que será transmitida as 19h.

O relator do pedido é o ministro Luis Felipe Salomão. Entretanto, a ação vem sendo encaminhada junto à presidência do tribunal desde o começo do ano, quando a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) ainda presidia a corte eleitoral. Na época, um parecer do TSE se posicionou a favor da solicitação e contra o argumento de que os extratos das siglas fossem sigilosos.

O Transparência Partidária defende a prestação e contas mensal há anos. Um dos principais argumentos é de que existe uma diferença entre as exigências em período eleitoral – quando os partidos tem que atualizar receitas a cada 72 horas – e em anos normais, quando a prestação acontece uma vez ao ano.

Leia Também:  "Vamos corrigir erros do Covas" na Educação durante a pandemia, diz Boulos

Em agosto deste ano, o STF rejeitou uma solicitação feita por 17 partidos que queriam derrubar uma norma sobre prestação de conta das siglas. A regra prevê que os partidos que não apresentarem explicações sobre movimentações financeiras quando forem cobrados percam o direito de se manifestarem durante o julgamento.

Os partidos envolvidos no pedido são: DEM, MDB, PSB, PDT, PL, PP, PCdoB, PSD, PSDB, PT, Cidadania, PSOL, Solidariedade, PTB, PSL, Republicanos e Podemos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

“Vamos corrigir erros do Covas” na Educação durante a pandemia, diz Boulos

Publicados

em

Por


source
Guilherme Boulos (PSOL) em entrevista ao programa Roda Viva%2C da TV Cultura
Reprodução/Roda Viva/TV Cultura

Guilherme Boulos (PSOL) em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura

O candidato à Prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) criticou durante entrevista ao programa Roda Viva , da TV Cultura, nesta segunda-feira (23) as decisões do atual prefeito Bruno Covas (PSDB) na condução da Educação durante a pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

“Nós vamos ter que corrigir os erros do Covas. Vamos dar acesso à internet aos alunos”, afirmou o candidato socialista ao comentar a decisão da gestão municipal de manter os alunos em casa sem considerar se todos tinham condições tecnológicas para continuar estudando.

De acordo com o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), a decisão que ele vai tomar será com base nas decisões de especialistas.

“Eu não sou médico e não tenho condições de dizer se estamos em uma segunda onda ou não. Hoje tem um monte de gente falando isso sem ter registro no CRM (Conselho Regional de Medicina), coisa que o [João] Doria e o [Jair] Bolsonaro estão fazendo”, disse Boulos.

Leia Também:  MP pede investigação por testes de Covid-19 vencidos: 'Inépcia do governo'

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo