Tecnologia

Tinder libera chamada de vídeo no Brasil

Publicados

em


source

Olhar Digital

Tinder
Unsplash/Mika Baumeister

Tinder libera videochamada no aplicativo


O Tinder anunciou nesta quarta-feira (8) que vai testar chamadas de vídeo no aplicativo. Por enquanto, apenas alguns países selecionados vão receber a novidade. São eles: Brasil, Austrália, Espanha, Itália, França, Vietnã, Indonésia, Coreia do Sul, Taiwan, Tailândia, Peru, Chile e alguns estados dos Estados Unidos, como Virgínia, Illinois, Geórgia e Colorado.


A Match, empresa que controla o app, já havia testado o recurso outras vezes, mas nunca viu uma adoção significativa. Com a pandemia de Covid-19 , porém, as coisas mudaram e o plano voltou . Sem a possibilidade de um encontro presencial, vídeo pode substituir, em partes, uma interação inicial.

Atualmente, sem essa possibilidade, muitos usuários estão recorrendo a outros aplicativos , migrando até para o rival Bumble. Até mesmo o Facebook pode virar uma opção, já que a rede social afirmou recentemente que adicionaria uma ferramenta de vídeo para seu Facebook Dating , justamente por conta do isolamento social.

Leia Também:  Catálogo renovado: veja todos os lançamentos de agosto na Netflix

O recurso em si é bastante simples. Depois de um match , os usuários podem indicar que estão disponíveis para uma chamada em vídeo em um novo ícone disponível. O trunfo para impedir possíveis chamadas indesejadas é que só será possível iniciar uma conversa em vídeo quando as duas pessoas envolvidas ativarem a opção. 

Regras e segurança

O Tinder ainda informa que haverá algumas regras básicas para o uso do vídeo, como a proibição de nudez ou conteúdo sexual, assim como assédio, discurso de ódio, violência ou outras atividades ilegais. Além disso, a ferramenta será proibida para o uso de menores de idade. O recurso também pode ajudar a diminuir a prática de crimes sexuais através do aplicativo , já que a chamada em vídeo é mais difícil de ser manipulada se comparada às fotos.

Ao final de uma conversa em vídeo, o usuário será questionado se voltaria a fazê-la com o parceiro. Neste ponto, será possível denunciar a outra pessoa caso necessário. O recurso deve ser disponibilizado ainda nesta quarta-feira (8) para os usuários dos países selecionados.

Leia Também:  Galaxy Note 20 pode ter tecnologia exclusiva de iPhones; conheça

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tecnologia

WhatsApp é o aplicativo mais usado por brasileiros no isolamento; veja o ranking

Publicados

em

Por


source

Olhar Digital

WhatsApp
Reprodução

WhatsApp é o aplicativo mais usado durante a quarentena


A quarentena aumentou o uso de aplicativos de celulares no Brasil, e um estudo da ESPM aponta quais são os serviços mais populares entre os brasileiros durante o período. Como de costume, redes sociais estão em alta, assim como o consumo de vídeos online.

O WhatsApp foi apontado por 97% dos entrevistados como uma ferramenta fundamental para as atividades diárias durante a pandemia. O aplicativo sempre foi muito populoar no Brasil, então a liderança não chega a surpreender. Ainda assim, os números mostram que é muito difícil encontrar alguém que não tenha uma conta no mensageiro.

Em segundo lugar aparece outro serviço pertencente ao Facebook: o Instagram , citado por 88% dos entrevistados. A rede social de fotos vem ganhando diversos novos recursos por aqui nos últimos meses, incluindo uma recém-aberta loja chamada Instagram Shop .

Leia Também:  Galaxy Note 20 pode ter tecnologia exclusiva de iPhones; conheça

O consumo de vídeo no celular também está em alta na pandemia, com o YouTube sendo citado por 75% dos entrevistados, e a Netflix por 68%. De acordo com o estudo, 77% dos brasileiros assistem vídeos no smartphone como forma de se distrair. Outro serviço de vídeo é o Amazon Prime , citado por 24% dos entrevistados.

O estudo ainda mostra que diferentes faixas etárias fazem usos diferentes do celular. Para usuários acima dos 45 anos, a principal função dos aplicativos é manter contato com amigos e parentes, enquanto aqueles entre 25 e 34 anos são os que mais usam o aparelho para pedir comida. Os mais jovens, com até 17 anos, gostam mais de apps para assistir filmes, séries e vídeos em geral.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo