Estadual

PSS para professores tem 20 mil inscritos e prazo acaba na segunda

Publicados

em


Faltando três dias para o fim do prazo de inscrições, o Processo Seletivo Simplificado (PSS) para professores chegou à marca de 20 mil candidatos inscritos, com ampla maioria paranaense, mas com postulantes de todas as regiões do País. As inscrições iniciaram em 11 de novembro e seguem até as 18h de segunda-feira (23) pelo link  https://www.cebraspe.org.br/concursos/seed_pr_20_professor 

O número de inscritos já é cinco vezes maior que o número mínimo de vagas que prevê o edital (47/2020) da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, de 4 mil professores temporários para 2021. O número pode ser ampliado.

Neste ano, o processo seletivo tem uma novidade. Será aplicada uma prova de conhecimento da área em que o candidato se inscrever e em que pretende dar aula. A prova de títulos e o tempo de serviço — critérios utilizados em anos anteriores — continuam parte do processo de seleção.

Cada candidato pode se inscrever em apenas um Núcleo Regional de Educação (NRE), escolhendo até dois municípios do núcleo. Na sequência, terá a possibilidade de optar por uma ou duas funções, disciplinas, áreas do conhecimento ou eixos da educação profissional. São ao todo 19 disciplinas e mais de 80 áreas disponíveis para inscrição em 11 diferentes eixos tecnológicos de cursos técnicos.

Leia Também:  Do óleo às farinhas: como a produção de grãos chega à mesa do consumidor

Para participar, os candidatos devem pagar taxa que varia de R$ 60,00 (para uma disciplina) a R$ 105,00 (para duas disciplinas).

As provas serão aplicadas em 13 de dezembro nas cidades-sede dos Núcleos Regionais de Educação (NRE). No dia da avaliação serão adotadas normas rígidas de prevenção da Covid-19, seguindo protocolo da empresa que organiza a prova, além de determinações da Secretaria de Estado da Saúde.

TÍTULOS — Para facilitar as inscrições, o candidato deverá cadastrar seus documentos em ambiente virtual, que vai permitir anexar os títulos. Esses documentos vão representar até 40 pontos do processo de seleção, valendo diplomas de pós-graduação, como de especialização, mestrado ou doutorado. A prova de títulos vai compreender também o tempo de serviço. Cada ano de magistério vai contar três pontos, com máximo de 21 pontos (dentro dos 40 totais).

O número de questões das provas vai depender da quantidade de disciplinas/eixos tecnológicos selecionados na inscrição. O tempo máximo para realização da prova também vai variar de acordo com as opções selecionadas.

DÚVIDAS – Os candidatos inscritos que têm tempo de serviço da Secretaria Estadual da Educação não precisam colocar período no momento da inscrição, pois ele vai migrar automaticamente do sistema PSS no momento do fechamento da contagem dos pontos de cada candidato.

Leia Também:  Colégio de Londrina representa região Sul em prêmio de gestão escolar

Somente o tempo de serviço externo (em escolas privadas ou de prefeituras) deve ser indicado no momento da inscrição. Caso o candidato coloque o tempo de serviço de PSS da Seed-PR, estará inserindo uma informação errada e poderá ter sua classificação prejudicada.

Sobre os títulos, deverão ser anexados somente os de especialização, mestrado e doutorado. Os diplomas de Ensino Superior só precisarão ser apresentados quando os candidatos forem convocados posteriormente.

GRUPOS DE RISCO — Parte dos profissionais selecionados substituirá professores do grupo de risco da Covid-19 sem possibilidade de atuar presencialmente. Entretanto, a prova e a seleção estão abertas a todos os profissionais, inclusive aos candidatos do grupo de risco.

A realização da prova seguirá todo um protocolo de segurança aprovado pela Secretaria de Estado da Saúde. A classificação do profissional do grupo de risco está garantida e será mantida. Ele será chamado assim que acabar a situação emergencial da pandemia.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Em parceria com a Sanepar, Toledo implanta o parque linear Vale dos Ipês

Publicados

em

Por


A Sanepar e a prefeitura de Toledo, no Oeste do Paraná, atuam em parceria em um projeto ambiental no município. Recursos repassados pela Companhia ao Fundo Municipal de Meio Ambiente viabilizam a recuperação do Rio Toledo. A ação ganha destaque nesta terça-feira, 24 de novembro, em que se comemora o Dia do Rio. 

O projeto completo, chamado Vale dos Ipês, é de um parque linear com 15 quilômetros de extensão no entorno do rio, no perímetro urbano. Em cinco quilômetros, já foram feitas ações de paisagismo, implantadas ciclovias e recuperadas sete nascentes. O projeto contempla a retirada das leucenas, árvores consideradas invasoras, e será feito o plantio de espécies da Mata Atlântica, como ipê, jacarandá e peroba.

De 2019 até outubro deste ano, a Sanepar repassou R$ 1,25 milhão ao Fundo Municipal. Desse total, cerca de R$ 600 mil já foram aplicados na revitalização do rio, que responde por 37% do abastecimento da cidade. 

A Sanepar também eliminou todas as ligações irregulares de esgoto em galerias pluviais identificadas ao longo deste trecho do rio e desativou antigas estações de tratamento de esgoto, entre elas a ETE Paulista, que ficava no entorno. Parte da área foi doada à prefeitura e será integrada ao Vale dos Ipês.

Leia Também:  Portos do Paraná são destaque em evento nacional de logística

MELHORIA DA ÁGUA – A melhoria da qualidade da água foi significativa, conforme atestam as análises laboratoriais, e também perceptível para a população, que voltou a tomar banho no Rio Toledo nos dias mais quentes.

 Moradora há quatro anos na região, Maria Aparecida Israel diz que sente os benefícios da revitalização. “Antes tinha muito lixo. Agora está muito mais limpo e mais bonito”, diz. Da varanda da casa, ela conta que pode ver, nos dias mais quentes, as crianças brincarem no rio. “E nos fins de semana, vem muita gente pescar”, afirma.

O biólogo, professor da PUC-PR e presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Toledo, Julio Daniel do Vale, explica que a falta de cuidados ambientais e a alta ocupação urbana fizeram com que o local se transformasse em depósito de lixo.

“Sem despejo de esgoto e sem assoreamento, as características de área verde mesmo dentro de um ambiente urbano são mantidas. A comunidade acaba se apossando da região, aproveitando a paisagem, e passam a zelar por esta área”.

Leia Também:  Nova parceria vai fortalecer o desporto escolar

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo