Estadual

Porto de Paranaguá simula atendimento ao coronavírus

Publicados

em

Um exercício simulado reuniu nesta sexta-feira (21) agentes de saúde, trabalhadores e autoridade portuária no combate ao coronavírus no Porto de Paranaguá. A simulação da chegada de um tripulante de navio com sintomas do novo Covid-19 reuniu Portos do Paraná, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Primeira Regional de Saúde, Samu, Hospital Regional do Litoral e o Órgão Gestor de Mão de Obra do Trabalhador Portuário (OGMO).

A ação teve o apoio de um navio de bandeira russa e do agente marítimo e serviu para se testar todo o processo de atendimento, desde a comunicação feita pelo comandante até a retirada do paciente e encaminhamento ao hospital.

“O objetivo é entender todo o fluxo que será adotado em casos reais, identificar possíveis falhas e, então, fazer as adequações necessárias e atender da maneira mais rápida e eficiente”, explica o chefe da Seção de Segurança e Medicina do Trabalho da Portos do Paraná, Felipe Zacharias.

De acordo com ele, é essencial que os órgãos envolvidos trabalhem em sintonia. “Se nossa comunicação falha, muito provavelmente o atendimento também vai falhar. Por isso, a intenção é envolver todos na sistemática, já que a operação portuária é muito complexa e ainda não existem casos da doença no Brasil”, diz.

Leia Também:  Paraná terá o maior pacote de concessão de rodovias do País

SIMULAÇÃO – O exercício começou com o contato feito pelo comandante do navio, que acionou a agência marítima sobre a suspeita da doença. A empresa, que atende o transportador no Porto de Paranaguá, fez o comunicado para a Anvisa e o setor responsável da Portos do Paraná.

A partir disso, a Guarda Portuária foi acionada para fazer o isolamento do acesso ao navio, enquanto a Anvisa chegava ao local para avaliar a situação. “A participação da Guarda neste tipo de simulação é importante porque permite que a equipe se prepare para erros que não podem ser cometidos em uma situação real”, afirma o chefe da Guarda Portuária, Cesar Kamakawa.

Constatado a suspeita de Covid-19, uma equipe do OGMO foi chamada para fazer o traslado do “paciente”, de ambulância, até o Hospital Regional do Litoral. No Hospital, o “paciente” foi encaminhado a um leito especial, já preparado para estes tipo de caso.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Rede Família Solidária já recebe doações

Publicados

em

.

A Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho começou a receber nesta segunda-feira (05) doações de alimentos não perecíveis, produtos de higiene e limpeza e cobertores que serão repassados pela Rede Família Solidária a entidades beneficentes prioritárias. Somente neste primeiro dia as doações somam uma tonelada. A ação faz parte das medidas adotadas em função da Covid-19.

“Fazemos um apelo às empresas e pessoas físicas para que enviem doações. Os mais humildes são os mais necessitados e a secretaria está de mangas arregaçadas, com servidores e jovens voluntários, fazendo esse trabalho de arrecadação”, explicou Leprevost.

Em parceria com a Paróquia São Braz, foi aberto o Centro de Recebimento de Doações (CRD), local que concentrará as arrecadações em grande quantidade. Depois, todo o material será direcionado para as entidades cadastradas no Nota Paraná ou no aplicativo Paraná Solidário.

Outras entidades que não possuem cadastro podem se inscrever na página da Rede Família Solidária no Facebook, informando o CNPJ.

Também é aceita a colaboração de Voluntários Digitais para divulgar as ações da rede e conseguir doadores. Basta entrar na página da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (http://www.justica.pr.gov.br), ou no Facebook Rede Família Solidária, copiar as matérias relacionadas e direcionar aos amigos.

Leia Também:  Museu disponibiliza jogo da memória com palavras indígenas

A Rede Família Solidária foi criada pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho para dar suporte ao Departamento de Assistência Social no atendimento a entidades que acolhem crianças, adolescentes, famílias e deficientes em vulnerabilidade social e pessoal.

COMO DOAR – Os interessados podem fazer a doação diretamente pelo CRD/Paróquia São Braz, na Rua Antônio Escorsin, 1840, em Curitiba, das 12h às 17h. Outra opção é doar pela internet, por meio da página da Rede Família Solidária, em que também é possível cadastrar novas entidades.

Doações de pequenas quantidades podem ser feitas pelo aplicativo Paraná Solidário, disponível gratuitamente no APP Store e Google Play.

BOA AÇÃO – O empresário e corretor de seguros Cristiano Romagnolli ficou sabendo pela internet da possibilidade de fazer uma boa ação e doou álcool 70% líquido, um dos itens prioritários, e também alimentos não perecíveis, como arroz e feijão, que também são essenciais. “A gente sabe que toda e qualquer doação é importante. Isso também é um incentivo para que outros empresários e amigos doem. Queremos fomentar essa boa ação de modo que todos entrem nessa corrente do bem e possam ajudar quem mais precisa”, disse Cristiano.

Leia Também:  Sanepar busca apoio para uso sustentável da água

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo