Polícia Federal

Polícia Federal desarticula grupo criminoso especializado em fraudes bancárias no Tocantins

Publicados

em


.

Palmas/TO – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (7/7) a Operação “Xunxo”, que tem como objetivo desarticular grupo criminoso especializado em fraudes bancárias eletrônicas.

Aproximadamente 30 policiais federais cumprem 8 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Palmas e Porto Nacional, todos expedidos pela 4º Vara da Justiça Federal do Tocantins.

O grupo criminoso é formado por empresas e empresários, que se utilizavam de fraudes eletrônicas para realizar o pagamento de boletos bancários, por meio de contas de terceiras pessoas que tinham suas contas pessoais invadidas e se tornavam vítimas do golpe.

As investigações apontam que se trata de um esquema ramificado, que conta com a participação de envolvidos com notável conhecimento de informática para burlar sistemas bancários. Apenas com o pagamento fraudulento de boletos bancários, o grupo criminoso gerou um prejuízo de mais de R$ 160 mil à Caixa Econômica Federal.

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de estelionato majorado, cuja pena pode ultrapassar cinco anos de reclusão.

Leia Também:  Polícia Federal extradita libanês suspeito de crime de falsidade ideológica

A Polícia Federal ressalta que, em razão da situação de pandemia da COVID-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Tocantins

Contato: (63) 3236-5440
E-mail: [email protected]

 

*** O nome da operação “Xunxo”, se refere a uma expressão utilizada comumente no Sul e Sudeste do País, que significa “maracutaia”, “armação” e “golpe”.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia Federal

Polícia Federal extradita libanês suspeito de crime de falsidade ideológica

Publicados

em

Por


.

Brasília/DF – A Polícia Federal realizou na manhã desta sexta-feira (17/07) a extradição de um nacional libanês ao Paraguai.

O extraditado foi preso em território brasileiro em 2018 pelo crime de falsidade ideológica, em razão de ordem de captura internacional da INTERPOL, e teve sua extradição para o Paraguai deferida pelo Supremo Tribunal Federal.

O extraditado estava preso na Superintendência Regional da PF em Curitiba desde setembro de 2019 e, na manhã de hoje, foi levado de helicóptero para a cidade de Foz do Iguaçu/PR onde foi entregue às autoridades paraguaias na Ponte Internacional da Amizade.

Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal
E-mail: [email protected]
Telefone: (61)20248142

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Operação Bertholletia desarticula esquema de exploração ilegal de madeira em área de preservação florestal
Continue lendo