Polícia Federal

Polícia Federal deflagra a segunda fase da Operação Assepsia

Publicados

em


Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (20/11) a segunda fase da Operação Assepsia, visando combater o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Participaram da deflagração quatro policiais federais para o cumprimento de um mandado de busca e apreensão. A operação policial contou ainda com a decretação de prisão preventiva de um dos envolvidos, que já está recolhido ao sistema prisional, além do sequestro de três apartamentos no Município de Guarapari/ES, no valor aproximado de R$ 1,3 milhão, em ação de descapitalização do tráfico em função do crime de lavagem de dinheiro.

 

ENTENDA O CASO                                                                           

A ação de hoje é decorrente de investigações ocorridas no mês de julho de 2020. Naquela oportunidade, uma pessoa foi presa na posse de R$ 287 mil em dinheiro, além de três veículos e 92 kg de cocaína.

 

CRIMES INVESTIGADOS

A investigação trata do crime de tráfico de drogas, em que a pena varia entre 5 a 15 anos de reclusão, aumentadas de um sexto a dois terços, além do crime de lavagem de dinheiro, em que a pena varia entre 3 a 10 anos de reclusão.

Leia Também:  Polícia Federal cumpre mandado em investigação de divulgação de pornografia infantil

 

***Não haverá entrevista coletiva.

 

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo
Telefone: (27) 3041-8051/8029

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia Federal

Polícia Federal combate pornografia infantil no Amapá

Publicados

em

Por


Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (4/12) a segunda fase da Operação Kori, que investigam a produção, o armazenamento e a divulgação na internet de imagens e vídeos de exploração sexual de crianças e adolescentes no Amapá.

Policiais federais dão cumprimento a um mandado de prisão preventiva e um mandado de busca e apreensão na cidade de Santana/AP.

A operação de hoje é desdobramento da Operação Kori, deflagrada em maio desse ano, iniciada a partir de relatórios produzidos por unidade especializada da Polícia Federal, quando foram identificados usuários de aplicativo de mensagens, que compartilhavam arquivos com material pornográfico.

Na primeira fase foram presos em flagrante dois homens por armazenar conteúdo pornográfico envolvendo criança e adolescente. Hoje, um dos homens foi alvo do mandado de prisão preventiva.

O investigado poderá responder, na medida de sua responsabilidade, pelo crime de armazenar conteúdo pornográfico envolvendo criança e adolescente, e, se condenado, poderá cumprir pena de até 10 anos de reclusão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Leia Também:  Polícia Federal combate pornografia infantil no Amapá

[email protected] | www.pf.gov.br

Contato: (96) 3213-7500

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo