Polícia Federal

Polícia Federal deflagra 2ª fase da Operação Virus Infectio no Amapá

Publicados

em


.

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (29/5), a 2ª Fase da Operação Virus Infectio, para desarticular organização criminosa que pratica crimes de fraude em licitação e corrupção, com desvio de recursos públicos utilizados no enfrentamento específico ao coronavírus, no estado do Amapá.

Na ação, que contou com a participação do Ministério Público Federal (MPF), cerca de 35 policiais federais dão cumprimento a nove mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva, em Macapá/AP, além do afastamento do exercício da função pública de servidora da Secretaria de Saúde do Estado (SESA/AP).

Após a deflagração da 1ª fase, em abril, foram constatados indícios de pagamento de vantagens indevidas, por parte de empresário, à servidora da SESA/AP, com o fim de agilizar os trâmites burocráticos de liberação de notas de empenhos.

As investigações identificaram, ainda, que os pagamentos ocorriam através de transferências realizadas por pessoas jurídicas, de propriedade do empresário, à pessoa da família indicada pela servidora.

Leia Também:  PF prende homem que invadiu embarcação e ameaçou tripulação na Baía de Guanabara

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e integrar organização criminosa, e se condenados poderão cumprir pena de até 20 anos de reclusão.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia Federal

PF prende suspeito de atuar na logística do garimpo em terra indígena ianomâmi

Publicados

em

Por


.

Boa Vista/RR – A Polícia Federal prendeu em flagrante, nesta sexta-feira (3/7), um suspeito de atuar na logística aérea para apoio a atividades de mineração ilegal em reserva indígena ianomâmi e de ser proprietário de garimpo na região.

O homem foi preso em Boa Vista/RR com mais de dois quilos de ouro, durante o cumprimento de um mandado de busca, expedido pela 2ª Vara da Justiça Federal em Roraima.

O inquérito policial apura a abertura de pistas clandestinas localizadas no município de Alto Alegre/RR, das quais dependeriam as atividades ilícitas relacionadas ao garimpo que ocorreria na reserva indígena, bem como as atividades clandestinas de radiofonia e transporte irregular de combustível e dos próprios garimpos. As investigações seguem em andamento.

O suspeito, que já foi alvo de outras quatro ações da Polícia Federal, possui uma condenação pelo crime de genocídio e poderá responder, em razão da prisão de hoje, pelo crime de usurpação de patrimônio da União, com pena de até 5 anos.

Leia Também:  PF apreende cerca de R$ 370 mil em bagagem de passageiro, no Aeroporto de Campinas

O preso foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanece à disposição da Justiça.

 

Comunicação da Polícia Federal em Roraima.
Contato: (95) 3621-1500
[email protected]

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo