Polícia Federal

PF combate a caça de animais silvestres

Publicados

em

Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal e o ICMBio, deflagrou nesta segunda-feira (2/12) a operação Prohibitus, com o objetivo de desmantelar uma associação criminosa voltada para a caça de animais silvestres na Reserva Biológica de Poço das Antas, localizada nos municípios de Silva Jardim e Casimiro de Abreu. Eles também atuavam na Reserva Biológica União e na Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, que engloba os dois municípios antes citados e ainda Silva Jardim e Rio Bonito.

Estão sendo cumpridos 18 mandados de busca e apreensão nas cidades de Casimiro de Abreu, Rio das Ostras, Macaé, Rio Bonito e Silva Jardim. Dezenas de cães de caça foram apreendidos e, até o momento, oito pessoas foram presas portando armas, pássaros e carne de animais silvestres abatidos. A ação contou com apoio do Batalhão de Operações com Cães – BAC e do 32º batalhão da Polícia Militar.

A investigação iniciou-se há 4 meses e comprovou a intensa atividade de caça que o grupo exerce nas citadas áreas, com o abate de dezenas de animais silvestres por semana para consumo próprio e para comercialização.

Leia Também:  Polícia Federal flagra transporte irregular de combustível em Itaituba/PA

Os envolvidos poderão responder por crime ambiental, posse de arma de fogo de uso permitido e crime ambiental.

 

  

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro

[email protected] | www.pf.gov.br

(21) 2203-4404 / 4405 / 4406 / 4407

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia Federal

Polícia Federal deflagra 2ª fase da Operação Virus Infectio no Amapá

Publicados

em

Por


.

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (29/5), a 2ª Fase da Operação Virus Infectio, para desarticular organização criminosa que pratica crimes de fraude em licitação e corrupção, com desvio de recursos públicos utilizados no enfrentamento específico ao coronavírus, no estado do Amapá.

Na ação, que contou com a participação do Ministério Público Federal (MPF), cerca de 35 policiais federais dão cumprimento a nove mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva, em Macapá/AP, além do afastamento do exercício da função pública de servidora da Secretaria de Saúde do Estado (SESA/AP).

Após a deflagração da 1ª fase, em abril, foram constatados indícios de pagamento de vantagens indevidas, por parte de empresário, à servidora da SESA/AP, com o fim de agilizar os trâmites burocráticos de liberação de notas de empenhos.

As investigações identificaram, ainda, que os pagamentos ocorriam através de transferências realizadas por pessoas jurídicas, de propriedade do empresário, à pessoa da família indicada pela servidora.

Leia Também:  PF, em ação integrada, faz nova apreensão de cigarros contrabandeados

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e integrar organização criminosa, e se condenados poderão cumprir pena de até 20 anos de reclusão.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo