Policial

PCPR resgata família de Cruzeiro do Oeste mantida refém por 30 horas

Publicados

em

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) resgatou uma família de Cruzeiro do Oeste, na região Noroeste do Estado, mantida refém por cerca de 30 horas durante um roubo com restrição de liberdade. Um homem de 33 anos, a mulher de 27, e dois filhos de um e oito anos, foram feitos reféns por volta das 20h de terça-feira (26), em Cruzeiro do Oeste, e libertados por volta de 1h30 de quinta-feira (28), em Guaíra, na região Oeste do Estado.

Criminosos decidiram invadir a casa da família após um roubo mal sucedido. Dois suspeitos roubaram um Fiat Strada em Mandaguari, na região Norte Central do Estado, fazendo um homem refém. Eles trafegavam em direção ao Paraguai, quando bateram com o veículo no trevo de Cruzeiro do Oeste. Durante o acidente a vítima fugiu e os suspeitos decidiram praticar outro crime.

Foi nesse momento que a dupla invadiu a casa da família. Após cerca de duas horas no interior da residência, os criminosos decidiram fugir em direção ao Paraguai, passando por Guaíra antes. Eles roubaram o veículo Corsa Hatch e uma motocicleta das vítimas.

Leia Também:  PCPR prende investigados em homicídio tentado e consumado no CIC

Em Guaíra, a família foi mantida em cativeiro, enquanto o veículo foi levado para o Paraguai. O monitoramento aponta que a Corsa cruzou a ponte Ayrton Senna, que faz divisa entre as cidades de Guaíra e Mundo Novo (MS), na madrugada de quarta-feira (27).

Por volta de 1h30 de quinta-feira (28) a família foi libertada próximo à rodoviária de Guaíra. Eles estavam sem ferimentos.

PROCURADO – Um homem de 30 anos foi identificado como um dos suspeitos do roubo com restrição de liberdade. Ele é foragido da Penitenciária de Maringá, onde cumpria prisão no regime semiaberto. Ele tem passagem criminal por tráfico de drogas, roubo, porte ilegal de arma de fogo e homicídio qualificado.

A PCPR busca localizar o suspeito e outros criminosos envolvidos no roubo. Os veículos ainda não foram localizados.

REDES SOCIAIS – A PCPR orienta os familiares de reféns de roubo e sequestro que não publiquem informações em redes sociais durante os crimes. Noticiar dados relacionados às vítimas e circunstâncias do crime é prejudicial ao andamento da investigação. Além disso, os próprios familiares passam a ser vítimas de golpistas, que sabendo do ocorrido passam a cobrar por resgates. A recomendação vale também para bens furtados e roubados. Em nenhuma das situações deve-se publicar em redes sociais, devendo a vítima fazer o registro da ocorrência em delegacia para ser aberta investigação.

Leia Também:  Dois homens são presos com diversas pedras de crack na cidade de Rolândia (PR)
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Campanha de arrecadação de cobertores para o Hospital do Câncer de Londrina é promovida pela Companhia de Choque de Londrina

Publicados

em

Por


.

Marcia Santos
Jornalista Responsável

 

Policiais militares da Companhia de Choque do 5º Batalhão de Polícia Militar (5º BPM), pertencente ao 2º Comando Regional de Polícia Militar (2º CRPM), fizeram a entrega de 855 cobertores arrecadados pela unidade para o Hospital do Câncer de Londrina (PR), nesta segunda-feira (25/05).

De início, foi iniciada uma campanha com o objetivo de arrecadar 400 cobertores para o hospital, porém, com a ajuda dos colaboradores e amigos do batalhão, foram arrecadados 855 unidades, o dobro da meta, um valor aproximado de R$ 23.000,00 a serem repassados à instituição.

A companhia de Choque do 5º Batalhão já possui laços estreitos com o Hospital do Câncer de Londrina, visto que em 2019 foi realizada uma costelada pela companhia que resultou na arrecadação de R$ 20 mil para o hospital. Diante da situação causada pelo COVID-19, não foi possível realizar a costelada neste ano, porém, a solidariedade prevaleceu e a campanha dos cobertores foi um sucesso.

O 5º Batalhão agradece o empenho dos militares estaduais que fizeram a campanha acontecer, em especial a todos que colaboraram e contribuíram com a doação dos cobertores, pois a partir desta boa ação, o inverno que está por vir poderá ser menos rigoroso para muitos pacientes internados.

Leia Também:  PCPR esclarece suspeito de homicídio no Cajuru

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo