Policial

PCPR esclarece suspeito de homicídio no Cajuru

Publicados

em


.

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) concluiu o Inquérito Policial que investigou o homicídio de Cleverson Nascimento de Abreu, ocorrida no dia 21 de maio deste ano, em bar, situado no bairro Cajuru. O principal suspeito pela autoria do crime é o dono do estabelecimento. Este se apresentou na Delegacia da PCPR em momento posterior ao fato e confessou o crime. 

Durante as investigações, a PCPR realizou diversas oitivas com testemunhas e suspeito, a fim de esclarecer o crime. Conforme apurado, Abreu teria se envolvido em uma briga com outro homem – não identificado – dentro do bar. Por alguma razão, o suspeito teria se envolvido na confusão e desferido um tiro contra a vítima, que morreu na hora, e fugido do local.   

O homem foi indiciado por homicídio qualificado e está à disposição da Justiça. 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  PCPR prende cinco pessoas e apreende 20 veículos de organização criminosa
Propaganda

Policial

PCPR prende cinco pessoas e apreende 20 veículos de organização criminosa

Publicados

em

Por


.

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu temporariamente cinco pessoas e apreendeu 20 veículos de luxo de uma organização criminosa envolvida em lavagem de dinheiro, receptação, adulteração de veículos, estelionato e falsificação de documentos, nesta sexta-feira (3). A ação foi deflagrada em sete cidades do estado e contou com a participação de 70 policiais civis.

Três homens, de 35, 43 e 46 anos, foram presos em Londrina. Um homem de 32 foi preso em Guaraci e outro de 28 foi preso em Arapongas. Todas cidades do Norte do estado. Além disso, 20 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nos municípios em questão, bem como em Maringá, Paranavaí, Sertaneja e Tamarana.

A operação foi deflagrada em razão de uma investigação que apura desde o uso de identidades falsas pelos suspeitos até a abertura de empresas fantasmas, abertas para lavar dinheiro ilícito. Os criminosos agiam inclusive na falsificação de documentos públicos.

Dois dos alvos ainda encontram-se foragidos.

A operação foi batizada como “Caça-Fantasmas” devido a modalidade criminosa de abrir empresas fraudulentas, chamadas de fantasma.

Leia Também:  BPMOA reforça ações dos batalhões da PM atuantes na Operação Metrópolis

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo