Estadual

Paraná adere ao Pátria Voluntária e indica entidades

Publicados

em

O Paraná foi um dos 14 estados a aderir ao plano Amigos do Pátria Voluntária, a primeira ação do programa do governo federal que busca estimular o voluntariado em todo o País. O Governo do Estado indicou cinco entidades de Curitiba para participarem da ação, que tem o objetivo de engajar um grande número de pessoas em trabalhos voluntários durante todo o mês de fevereiro.

Foram indicados para a ação, que acontece entre 1º de fevereiro e 1º de março, os hospitais do Trabalhador, de Clínicas e Erasto Gaertner, o Pequeno Cotolengo e a Associação de Apoio à Criança com Neoplasia (APACN). “É um movimento que promove mais do que uma ação pontual de voluntariado, e sim, uma corrente do bem. Esperamos que não pare por aqui e que a gente consiga transformar o Paraná no Estado mais solidário do País”, afirma a primeira-dama Luciana Saito Massa.

O marco inicial dos Amigos da Pátria Voluntária no Paraná será neste domingo (2), durante o tradicional Churrasco do Pequeno Cotolengo. Luciana Saito Massa estará no local para ajudar a instituição e também mobilizar os cidadãos para que participem das ações do programa.

Durante todo o mês de fevereiro, as entidades precisam cadastrar vagas disponíveis de trabalhos voluntários no portal www.patriavoluntaria.org, com ações diárias que permitam a participação de novas pessoas nas atividades solidárias. Já o voluntário poderá procurar no mesmo site as vagas disponíveis e ajudar as instituições nos dias e horários que puder.

A presença do voluntário nas instituições também é cadastrada no site. Ao final do plano Amigos da Pátria Voluntária, as dez entidades brasileiras com a maior adesão de participantes e os dez voluntários que fizeram o maior número de horas de trabalhos voluntários nas instituições serão homenageados em uma cerimônia em Brasília com a primeira-dama Michelle Bolsonaro, presidente do conselho gestor do programa.

Leia Também:  Estado repassa R$ 3,30 milhões para combater a dengue

ENTIDADES – A ideia é que cada uma das cinco entidades promovam uma ação pontual de mobilização que envolva um grande número de voluntários. Na APACN, por exemplo, está agendado para o dia 19 de fevereiro um bailinho de Carnaval com as crianças atendidas pela instituição. A ação vai envolver uma escola de samba voluntária, organizadores da festa, pessoas responsáveis pela comida, fantasias e recreação das crianças.

A entidade atende uma média de 30 a 35 crianças por mês que fazem tratamento contra o câncer em hospitais da Capital, como o Pequeno Príncipe, Hospital de Clínicas e o Erasto Gaertner. Eles oferecem hospedagem, alimentação e até roupas para a criança e um acompanhante, que vêm do Interior ou de outros estados. Doadores de medula óssea que precisam de um lugar em Curitiba também podem ficar na instituição.

O trabalho voluntário na APACN inclui projetos que envolvem os pacientes e familiares, como recreação, cursos de artesanato, motoristas para levar as crianças para a quimioterapia, triagem e organização do bazar, que é a principal fonte de renda da entidade.

“Ficamos muito felizes por sermos indicadas para essa ação, que vai ajudar a divulgar a causa da APACN em uma plataforma com alcance nacional”, afirma Zeni Lopes Enomoto, coordenadora das ações do Pátria Voluntária na entidade. “Temos de 200 a 300 voluntários por mês na instituição, mas nossa meta em fevereiro é mobilizar 1,2 mil pessoas”, diz.

Leia Também:  Paranaguá faz manobra especial com navio de carga

Renê da Cruz, coordenador de voluntariado do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, também está empolgado com a ação. A instituição procura por pessoas para fazer a recreação dos pacientes internados, orienta, acolhe famílias, acompanha, ouve e conforta gestantes no pré-parto e também presta pequenos auxílios aos profissionais de enfermagem.

“Temos uma brinquedoteca e recebemos grupos religiosos, contadores de histórias e palhaços que dão este alento aos pacientes em um momento em que ele estão vulneráveis”, diz Renê. “O voluntariado é especial principalmente para as crianças, que quando estão na recreação um pouco daquele ambiente hospitalar”, conta.

PÁTRIA VOLUNTÁRIA – Vinculado ao Ministério da Cidadania e encabeçado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, o Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado tem por objetivo fomentar a prática do voluntariado como um ato de humanidade, cidadania e amor ao próximo e estimular o crescimento do terceiro setor.

O programa busca promover o voluntariado de forma articulada entre o governo, as organizações da sociedade civil e o setor privado, além de incentivar o engajamento social e a participação cidadã em ações transformadoras da sociedade.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Rede Família Solidária já recebe doações

Publicados

em

.

A Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho começou a receber nesta segunda-feira (05) doações de alimentos não perecíveis, produtos de higiene e limpeza e cobertores que serão repassados pela Rede Família Solidária a entidades beneficentes prioritárias. Somente neste primeiro dia as doações somam uma tonelada. A ação faz parte das medidas adotadas em função da Covid-19.

“Fazemos um apelo às empresas e pessoas físicas para que enviem doações. Os mais humildes são os mais necessitados e a secretaria está de mangas arregaçadas, com servidores e jovens voluntários, fazendo esse trabalho de arrecadação”, explicou Leprevost.

Em parceria com a Paróquia São Braz, foi aberto o Centro de Recebimento de Doações (CRD), local que concentrará as arrecadações em grande quantidade. Depois, todo o material será direcionado para as entidades cadastradas no Nota Paraná ou no aplicativo Paraná Solidário.

Outras entidades que não possuem cadastro podem se inscrever na página da Rede Família Solidária no Facebook, informando o CNPJ.

Também é aceita a colaboração de Voluntários Digitais para divulgar as ações da rede e conseguir doadores. Basta entrar na página da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (http://www.justica.pr.gov.br), ou no Facebook Rede Família Solidária, copiar as matérias relacionadas e direcionar aos amigos.

Leia Também:  Câncer de mama também atinge homens e diagnóstico precoce é essencial

A Rede Família Solidária foi criada pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho para dar suporte ao Departamento de Assistência Social no atendimento a entidades que acolhem crianças, adolescentes, famílias e deficientes em vulnerabilidade social e pessoal.

COMO DOAR – Os interessados podem fazer a doação diretamente pelo CRD/Paróquia São Braz, na Rua Antônio Escorsin, 1840, em Curitiba, das 12h às 17h. Outra opção é doar pela internet, por meio da página da Rede Família Solidária, em que também é possível cadastrar novas entidades.

Doações de pequenas quantidades podem ser feitas pelo aplicativo Paraná Solidário, disponível gratuitamente no APP Store e Google Play.

BOA AÇÃO – O empresário e corretor de seguros Cristiano Romagnolli ficou sabendo pela internet da possibilidade de fazer uma boa ação e doou álcool 70% líquido, um dos itens prioritários, e também alimentos não perecíveis, como arroz e feijão, que também são essenciais. “A gente sabe que toda e qualquer doação é importante. Isso também é um incentivo para que outros empresários e amigos doem. Queremos fomentar essa boa ação de modo que todos entrem nessa corrente do bem e possam ajudar quem mais precisa”, disse Cristiano.

Leia Também:  Estado repassa R$ 3,30 milhões para combater a dengue

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo