Tecnologia

Para ouvir a nova música do Pearl Jam, aponte seu celular para a Lua

Publicados

em

source

Olhar Digital

A banda de rock norte-americana Pearl Jam lançou uma campanha baseada em realidade aumentada para divulgar o seu novo single ” Superblood Wolfmoon “. Os fãs terão que apontar seus smartphones para a Lua para poder ouvir a nova música.

Google negocia remuneração para sites de notícias por uso de seu conteúdo

Ao acessar o site moon.pearljam.com no celular, o usuário é recebido com uma tela solicitando que você alinhe um círculo com a Lua (se acessar pelo computador, o que aparece é um QR code para ser lido no smartphone). Depois de alinhar tudo, as animações pairam em torno da Lua do mundo real , em sincronia com a canção.

Pearl Jam arrow-options
Reprodução

Pearl Jam


O aplicativo, desenvolvido com uma empresa chamada Powster, é difícil de enganar. A reportagem da Verge tentou “simular” a Lua com uma moeda, sem sucesso. Ou seja, até o próximo dia 18, quando a faixa será lançada no Spotify e Apple Music, os fãs só poderão ouvir ” Superblood Wolfmoon ” se alinharem seus aparelhos com nosso satélite natural.

Leia Também:  Black Mirror? Aplicativo de namoro é desenvolvido com base no DNA dos usuários

O novo disco do Pearl Jam, “Gigaton”, será lançado em 27 de março.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tecnologia

Anvisa bloqueia Zoom em seus computadores

Publicados

em

source
Zoom arrow-options
Unsplash/Allie Smith

Aplicativo Zoom passa por diversos escândalos de privacidade


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) bloqueou o uso da ferramenta Zoom em seus computadores. A medida veio depois da identificação de possíveis falhas de segurança no aplicativo

A Anvisa afirma que sua equipe de Tecnologia da Informação acompanha os recentes acontecimentos que envolvem o Zoom . Recentemente, várias falhas de segurança foram encontradas na plataforma por especialistas do mundo todo, o que poderia dar espaço para a ação de hackers

Leia também: Zoom é seguro? Entenda os escândalos de privacidade envolvendo o aplicativo

O próprio CEO do Zoom , Eric Yuan, admitiu, em entrevista ao The Wall Street Journal, os erros que a empresa teve ao tentar proteger a privacidade de seus usuários. 

Ele afirmou, ainda, que a empresa já trabalha na correção dessas falhas, e se esforça para construir uma criptografia de ponta a ponta nas videoconferências realizadas no Zoom

A Anvisa afirma que aguarda essas correções de software que devem ser disponibilizadas pelo aplicativo para, então, poder reavaliar seu posicionamento.

Leia Também:  TikTok lança seu primeiro celular; confira as especificações

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo