Estadual

Oficinas virtuais do MON já alcançaram mais de 165 mil pessoas

Publicados

em


.

O Museu Oscar Niemeyer (MON) oferece diversas oficinas artísticas virtuais que podem ser feitas em casa, por toda a família. Preparadas especialmente para o período de quarentena, elas já foram acessadas por mais de 165 mil pessoas.

“A arte e a cultura têm se mostrado essenciais neste momento de isolamento social e os números do MON comprovam que estamos no caminho certo”, afirma a superintendente estadual da Cultura, Luciana Casagrande Pereira. “Apesar de fechados fisicamente para o público, mantemos e intensificamos a aproximação de forma virtual em todos os espaços culturais do Governo do Estado”, acrescenta.

As atividades oferecidas pelo MON são apresentadas de maneira fácil e didática, a partir de vídeos ou PDFs ilustrados, orientados pelos educadores do Museu e possíveis de serem feitas utilizando materiais simples que geralmente as pessoas têm em casa.

“As oficinas contemplam diversas vertentes artísticas, como desenho, pintura e fotografia, e são todas inspiradas em obras dos artistas que fazem parte do acervo ou de exposições do MON, o que pode ser uma brincadeira divertida e ao mesmo tempo educativa para as famílias durante esse período de quarentena”, explica a diretora-presidente do Museu, Juliana Vosnika.

Leia Também:  Aprovado crédito emergencial para o setor do audiovisual

Entre as oficinas disponíveis em vídeo estão “Desenho Projetado”, inspirada na obra de Julio Le Parc, e “Fotografe sua Cor Favorita”, criada a partir do trabalho de Tomie Ohtake.

Outros exemplos são “Que Monstrinho Tem seu Nome” e “Desenho na Lixa”, inspiradas nos artistas Rafael Silveira e Péricles Varella, respectivamente.

Postadas periodicamente duas vezes por semana nas redes sociais da instituição, as oficinas permanecem disponíveis nesses canais. Essas e todas as outras atividades elaboradas após o fechamento temporário do Museu também podem ser encontradas aqui: museuoscarniemeyer.org.br/mon/monemcasa/

MON EM CASA – O Museu Oscar Niemeyer lançou uma programação virtual especial para o período de distanciamento social. Com a hashtag #monemcasa, o público acessa uma série de ações, além das oficinas educativas que podem ser feitas por toda a família.

Há, por exemplo, atividades específicas para o público maior de 60 anos, que costumava participar do programa Arte para Maiores, enviadas agora via WhatsApp. Nas redes sociais do @museuoscarniemeyer também é possível visitar exposições e ateliês, aprender mais sobre as quase 7 mil obras do acervo do MON e assistir a entrevistas de artistas que têm obras no acervo da instituição, além de participar de oficinas artísticas e educativas.

Leia Também:  Revista do Tecpar recebe artigos para edição comemorativa

O Museu conta ainda com 13 exposições que podem ser vistas na íntegra virtualmente, no Google Arts & Culture, sem sair de casa. No site do MON, o visitante tem acesso a tours virtuais em 3D pelo Museu e por várias exposições.

SERVIÇO: museuoscarniemeyer.org.br/mon/monemcasa/

www.museuoscarniemeyer.org.br

Facebook, Instagram e YouTube: @museuoscarniemeyer

Museu Oscar Niemeyer na plataforma Google Arts & Culture

Disponível em bit.ly/MONGoogleArtsAndCulture

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Revista do Tecpar recebe artigos para edição comemorativa

Publicados

em

Por


.

A revista científica do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), intitulada Brazilian Archives of Biologyand Technology (BABT), comemora 75 anos de veiculação ininterrupta em 2021. Para celebrar será lançada uma edição comemorativa do periódico, com artigos de pesquisadores do instituto e de universidades estaduais paranaenses. A chamada pública está aberta e os interessados têm até 18 de dezembro para submeter seus artigos.

A edição especial receberá trabalhos científicos nas áreas de agricultura, agronegócio e biotecnologia; saúde humana e animal; biologia e ciências aplicadas; ciência e tecnologia de alimentos; ciências ambientais; engenharias e tecnologia.

Acesse as instruções para os autores e também o modelo (template) para formatação.

Para o diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, a credibilidade conquistada pela BABT junto à comunidade científica se deve à criteriosa seleção na divulgação de pesquisas de alto nível. Com a edição comemorativa, afirma ele, o instituto busca valorizar o trabalho dos pesquisadores paranaenses em uma das revistas de maior expressão no cenário nacional. 

“A longevidade deste periódico reforça a importância do Tecpar na produção científica, nacional e internacional. Além de ser um polo de tecnologia e inovação no Paraná, o instituto consegue manter sua vocação histórica de promover a pesquisa e o conhecimento”, afirma Jorge Callado.

Leia Também:  Saúde adota medidas de prevenção e controle em frigoríficos

SELEÇÃO – Desde 2001, a BABT está disponível em formato eletrônico na Scientific Electronic Library Online (SciELO), biblioteca digital de artigos científicos com acesso aberto. Por ano, a revista recebe, em média, 800 artigos, dos quais são publicados cerca de 15%.

“Os trabalhos são selecionados e avaliados pelo conselho editorial da revista, composto por pesquisadores brasileiros e estrangeiros especializados nas áreas do periódico, com credibilidade e reconhecimento da comunidade científica”, explica a gerente do Centro de Informação e Vigilância Tecnologia do Tecpar, Lívia Nogueira dos Santos.

A revista científica é apoiada por importantes instituições ligadas à produção científica, como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Programa de Apoio a Publicações Científicas do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério da Educação, Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti) e a Fundação Araucária.

HISTÓRIA – Em 1946, o professor doutor Marcos Augusto Enrietti, fundador do Tecpar, idealizou a criação de uma publicação para divulgar os avanços científicos e tecnológicos realizados pelo grupo de pesquisadores do Instituto de Biologia e Pesquisas Tecnológicas — instituição precursora do Tecpar. A iniciativa deu origem à revista Arquivos de Biologia e Tecnologia.

Leia Também:  UEPG anuncia as novas datas do vestibular e PSS

Em 1999, a publicação passou a se chamar Brazilian Archives of Biologyand Technology (BABT), iniciando a publicação de trabalhos em língua inglesa. Atualmente, também está entre as revistas brasileiras que têm fator de impacto auditado pelo Journal of Citation Report (JCR) da Clarivate Analytics, que seleciona os periódicos mais expressivos em determinadas áreas do conhecimento.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo