Internacional

Nova York planeja reabrir escolas com ensino presencial e remoto

Publicados

em


.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, apresentou um plano para reabrir o maior sistema escolar do país em setembro, com um calendário de “ensino misto” por meio do qual os alunos alternariam entre as salas de aula e seus lares.

A proposta chega no momento em que administradores de escolas de toda o país se empenham em equilibrar a segurança e as necessidades educativas, e o presidente Donald Trump pressiona escolas a reabrirem no outono.

Pelo plano de Nova York, que exige aprovação estadual, 1,1 milhão de alunos da rede pública passariam dois dias na escola e três estudando em casa, e depois reverteriam a sequência na semana seguinte

“Esse modelo misto, esse tipo de modelo de cronograma dividido, é o que podemos fazer nas condições atuais”, disse De Blasio. “Depois vamos torcer e orar para que a ciência nos ajude com uma vacina, uma cura ou tratamento.”

O plano também pede que os edifícios das escolas sejam desinfetados com frequência, que os estudantes usem proteções faciais e mantenham o distanciamento social nesses locais, afirmou o prefeito. Pais preocupados com a segurança podem manter os filhos em casa para aulas virtuais e com outros materiais, acrescentou.

Leia Também:  OMS: recuperação econômica global pode ser mais rápida com vacina

Atualmente, quase todos os estados norte-americanos estão cogitando planos de reabertura. Eles fecharam as escolas em março, e a pandemia os forçou a mudar para alguma forma de instrução remota que, normalmente, depende de conexões com a internet.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Internacional

Chega a 17 número de mortos em acidente aéreo na Índia

Publicados

em

Por


.

Pelo menos 17 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas quando um avião de passageiros da Air India Express, que repatriava cidadãos indianos que estavam afastados do país por conta da pandemia de covid-19 ultrapassou a pista ao aterrissar durante uma forte chuva na cidade de Calicute, no sul do país, nesta sexta-feira (7), disseram autoridades.

O Boeing 737, que operava um voo de Dubai para o Aeroporto Internacional de Calicute levava 190 passageiros e tripulantes, afirmou o Ministério de Aviação em nota. Entre os passageiros, havia 10 crianças.

Imagens de televisão mostraram equipes de resgate se movimentando pelos destroços no meio da chuva, que ainda era forte. A aeronave estava partida em pelo menos dois pedaços depois que a fuselagem da aeronave se rasgou e caiu em um barranco aproximadamente 12 metros abaixo, disseram as autoridades.

“Por conta das condições climáticas, ele não pôde pousar da primeira vez, então ele fez a volta e tentou a aproximação por uma direção diferente”, disse o ministro da Aviação Civil, Hardeep Singh Puri, ao canal DD News, acrescentando que apenas uma investigação revelaria as causas do acidente.

Leia Também:  Líbano prende 16 em investigação sobre explosão no porto de Beirute

Puri disse que as autoridades conseguiram resgatar a maior parte dos passageiros, pois a aeronave não pegou fogo enquanto descia a ladeira no final da pista de pouso, que fica num morro.

Tais pistas são localizadas em altitude e têm quedas bruscas em uma ou nas duas pontas.

“A boa notícia é que o avião se partiu e assim conseguimos acessar os passageiros”, disse Puri. Segundo o ministro, as operações de resgate estavam finalizadas.

O gabinete do ministro-chefe do estado de Kerala, onde o aeroporto está localizado e que é lar de um grande número de indianos trabalhando no Oriente Médio, anunciou que, além dos 17 mortos, os 173 demais haviam sido hospitalizados.

Pior acidente em 10 anos

Foi o pior acidente aéreo da Índia desde 2010, quando um voo da Air India Express, vindo de Dubai, excedeu a pista alta em Mangalore, uma cidade no sul, e desceu morro abaixo, matando 158 pessoas.

Informações da imprensa sugerem que o avião deslizou para fora da pista em Calicute, batendo com a parte da frente no chão.

Leia Também:  Índia passa de 2 milhões de casos do novo coronavírus

A Boeing anunciou que estava reunindo mais informações sobre o incidente, monitorando de perto a situação e oferecendo assistência a seu cliente.

A Índia, que paralisou todas as viagens aéreas no fm de março para tentar conter o novo coronavírus, reiniciou as viagens de maneira limitada. O voo Air India Express AXB1344 era uma operação do governo de repatriação de cidadãos indianos que não conseguiam voltar para casa por conta das restrições de viagem.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo