Terça, 19 de Outubro de 2021
21°

Pancada de chuva

Nova Cantu - PR

Economia Varejo

Especialista aponta principais tendências para o varejo no pós-pandemia

Segundo Jameson Moreira, professor de Estratégia Empresarial do ISAE Escola de Negócios, a retomada do varejo tem expectativas de clientes gastando mais tempo e dinheiro em lojas

14/10/2021 às 20h36
Por: Redação
Compartilhe:
Divulgação
Divulgação

Abrir o próprio negócio é um dos quatro maiores desejos dos brasileiros, junto com comprar um imóvel, um veículo próprio e viajar mais, segundo dados da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), de 2019. Reflexo disso é o crescente aumento de CNPJ’s abertos durante a pandemia, demonstrando que o empreendedorismo tem sido a opção de renda mais buscada em meio à crise econômica.

 

“O Brasil concentra uma massa considerável de empreendedores que buscam independência financeira e também desejam criar um impacto positivo no mundo”, aponta Jameson Moreira, professor de Estratégia Empresarial do ISAE Escola de Negócios. No primeiro semestre de 2021, o número de abertura de micro e pequenas empresas e de microempreendedores individuais (MEIs) foi o maior dos últimos sete anos, segundo levantamento do Sebrae. Foram 2,1 milhões de CNPJ's abertos, apresentando uma alta de 35% em comparação ao mesmo período de 2020, e um aumento significativo de 46% no número de microempresas.

 

No ranking, o comércio varejista de vestuário e acessórios está no topo. “Essa atividade é uma das preferidas pelos brasileiros pela simplicidade e facilidade de operação, de compra e revenda”, conta o especialista. A necessidade do ‘toque’, principalmente por parte dos cliente das gerações acima dos 40 anos, também foi responsável por fortalecer a atividade. “Ficar todo este período em home office e com pouco acesso às lojas gerou uma ansiedade nas pessoas, que desejam voltar às ruas o mais rápido possível”, diz.

 

Contudo, o formato de compra por e-commerce também se fortalece com este movimento. O chamado “showrooming", que é a prática de visualizar um produto em uma loja física e adquiri-lo pela internet, se tornou uma opção para muitas pessoas, devido aos custos menores nas redes. “O e-commerce continuará crescendo nos próximos anos, uma vez que os consumidores tiveram boas experiências neste modelo de comércio online e se sentem mais seguros em utilizar estes canais”, complementa Jameson Moreira.

 

Confira as 4 principais tendências para o varejo no pós-pandemia:

 

1. A retomada do varejo tem expectativas de clientes gastando mais tempo e dinheiro em lojas físicas e esta retomada pode acontecer em momentos diferentes para cada setor.

 

2. Os comércios próximos das residência dos consumidores terão preferência pela facilidade de acesso, considerando que muitas categorias continuarão em home office e muitas pessoas migrarão dos grandes centros urbanos regiões menores.

 

3. O e-commerce continuará crescendo nos próximos anos, uma vez que os consumidores tiveram boas experiências neste modelo de comércio online e se sentem mais seguros em utilizar estes canais.

 

4. O segmento de saúde e bem-estar, bastante evidente na pandemia, continuará ganhando força no curto e médio prazos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias