Novo Cantu - Esporte

Luka Modric, camisa 10 da Croácia, é odiado pela torcida e pode ser preso ao voltar para casa

Publicados

em

Luka Modric, camisa 10 da Croácia, é odiado pela torcida e pode ser preso ao voltar para casa

 

Como alguns dos seus companheiros, Modric foi um refugiado da guerra da independência da Croácia (1991-1995). Quando criança teve que fugir da aldeia de sua família, Modrici, localizada na montanha de Velebit, perto do Mar Adriático, após ter sua casa destruída e foi parar em Zadar, cidade sobre o mar onde foi morar.

No entanto, todo esse passado de sofrimento foi esquecido. O grande futebol apresentado pelo Real Madrid, da Espanha, também. Os croatas contestam o seu grande craque por envolvimento no maior escândalo de futebol do país. “Luka, você vai se lembrar deste dia”. Essa é a frase em uma pichação em um hotel em Zadar, que recebeu a família refugiada de Modric, que decepcionou os seus compatriotas por falso testemunho para ajudar Zdravko Mamic, um dos dirigentes mais famosos da Croácia.

Modric, que foi acusado em março, pode pegar de seis meses a cinco anos de prisão se for condenado. O zagueiro Dejan Lovren, outro titular dos croatas no Mundial, também está sendo acusado do mesmo crime.

Diretor do Dínamo Zagreb, Mamic procurava jovens talentos e fazia com que eles assinassem contratos fraudulentos, que permitiam que o dirigente ficasse com os lucros das transferências. Ele foi condenado a seis anos e meio de cadeia pouco tempo antes do início da Copa do Mundo por ter desviado R$ 68 milhões do clube, além de sonegar R$ 74 milhões. Por alegar inocência, pediu abrigo na Bósnia-Herzegovina.

E Modric foi um desses jovens talentos agenciado por Mamic. Em 2004, o camisa 10 da Croácia era um dos grandes destaques do Dínamo Zagreb. O meia foi vendido após quatro anos ao Tottenham por R$ 108 milhões. O jogador teria direito a ficar com metade do valor, mas ele acabou ficando só com R$ 8,7 milhões.

No começo das investigações Modric confirmou o esquema. Porém, ele voltou atrás em junho do ano passado. Com isso, ele passou a ser odiado entre muitos torcedores que chegaram até a rasgar pôsteres do craque e xingá-lo em jogos de futebol.

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Alviverdes de São Paulo e do Paraná se enfrentam no Pacaembu, às 20h
Propaganda

Novo Cantu - Esporte

Missão abafa: Coritiba vai com objetivo de bloquear o Palmeiras em casa

Publicados

em

Por

Missão abafa: Coritiba vai com objetivo de bloquear o Palmeiras em casa

 

Marcar foi a termo mais repetido pelo técnico Marcelo Oliveira para falar sobre o confronto com o Palmeiras. O treinador reforçou a necessidade do Coritiba em se impor na partida no Pacaembu, mas não esquecer que enfrenta uma equipe rápida e cheia de técnica. A solução, segundo ele, é que todo o time esteja preocupado em evitar o avanço palmeirense sobre a defesa coxa-branca.

A consciência de que todo o time precisa marcar passou pela receita de Marcelo Oliveira para conseguir um bom resultado. A “técnica do abafa” deve ser a saída que o técnico quer.

– Equilíbrio, muita concentração e marcação. O time do Palmeiras é técnico, rápido e muito bem treinado. Precisamos marcar bem e usar a nossa força. A ideia é ter jogadores técnicos jogando com qualidade e participando da marcação. Se tivermos consciência da marcação coletiva, temos certeza que poderemos brigar pela vitória.

A preocupação com a marcação é tamanha, que Marcelo Oliveira colocou de lado a possibilidade de escalar os meias Anderson e Longuine juntos. Ele acredita que os dois jogadores não possuem características de marcação como necessita e aproveitou para dar um puxão de orelha neles.

– Os dois jogam por dentro e alguém tem que marcar a lateral, porque o Palmeiras joga bastante pelas laterais. Se esses jogadores tiverem a consciência de participar da marcação, aí até pode acontecer, mas não sei se para esse jogo, disse na entrevista coletiva da última sexta.

Os jogadores já parecem ter absorvido a orientação de Marcelo Oliveira. O lateral direito Dodô, que volta ao time nesta segunda-feira, lembra que o time precisa retomar a forma de jogar do início do Brasileiro. Segundo ele, a equipe abafava os adversários ainda no ataque.

– Tem que ter a mesma pegada que tinha início, independente do que vai sofrer atrás. Às vezes ficavam dois só atrás, mas na frente estava todo mundo marcando.

Marcelo Oliveira também quer afastar da cabeça dos jogadores que o Palmeiras vive um momento complicado. Apesar de estar na quarta colocação, o time é cobrado por sua torcida por não estar brigando pela liderança no principal campeonato que sobrou após a desclassificação na Libertadores e na Copa do Brasil.

– O Palmeiras tem um time muito forte, um treinador muito experiente e não tem facilidade. A torcida empurra muito o time deles. O Coritiba tem que pensar em si próprio, porque estamos perdendo jogos em desatenções importantes, como um cartão amarelo desnecessário, um pênalti desperdiçado…

A provável escalação do Coritiba deve ser: Wilson; Dodô, Walisson Maia, Cleber Reis (Márcio) e Carleto; Alan Santos, João Paulo, Matheus Galdezani e Longuine (Anderson); Rildo e Henrique Almeida.

 

Fonte: G1

Leia Também:  Marcelo Oliveira lamenta falta de ‘inspiração técnica’ do Coxa
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo