Política Nacional

Lives com pré-candidatos à prefeitura do Rio: Eduardo Bandeira de Mello

Publicados

em


source
Eduardo Bandeira de Mello
Ernesto Carriço/Agência O Dia

Eduardo Bandeira de Mello é convidado da live desta segunda-feira

O pré-candidato Eduardo Bandeira de Mello, da REDE, é o convidado de segunda-feira, às 15h, da live promovida pelo O Dia. Você pode participar e fazer sua pergunta.

Assista em  facebook.com/odiajornal e no youtube.com/tvodia .

Participe!



COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Bolsonaristas provocam MBL após prisão de empresário: "Projeto tosco de poder"
Propaganda

Política Nacional

Bolsonaristas provocam MBL após prisão de empresário: “Projeto tosco de poder”

Publicados

em

Por


source
Carlos Augusto de Moraes Alfonso, empresário ligado ao MBL
Reprodução/Facebook

Carlos Augusto de Moraes Alfonso, empresário ligado ao MBL

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pessoas ligadas a ele no governo federal fizeram uma provocação ao Movimento Brasil Livre (MBL) nas redes sociais lançando neste sábado (11) a hashtag #DerreteMBL. As publicação ocorre um dia depois da  prisão de um empresário ligado ao grupo.

Entre os que aderiram às provocações está ministro Marcelo Álvaro Antônio , que chefia a pasta do Turismo no Planalto. Ele usou o Twitter para acusar o grupo de ser “quadrilha”, citando o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), que é um dos nomes ligados ao MBL mais conhecidos.

“Essa turminha é muito boa em criticar, mas, na verdade, não passam de uma quadrilha com um projeto tosco de poder, capitaneada pelo ‘Dep. faKIM News'”, escreveu Álvaro Antônio.

Leia Também:  Senadores lamentam morte de Alfredo Sirkis

Um dos ataques também veio do deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, que disse que o MBL e outros deputados fazem parte de uma “milícia digital”.

O motivo das provovações foi o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão nesta sexta da Polícia Civil de São Paulo e do Ministério Público contra nomes ligados ao MBL.

A operação, batizada de “Júnior Moneta”, investiga fraudes e desvios de até R$ 400 milhões. Apesar da ligação entre os presos e o MBL, o MP afirmou que os desvios até o momento não são da alçada política, e sim em empresas ligadas aos presos.

Leia Também:  Morre em acidente de carro ex-deputado federal Alfredo Sirkis

Um dos alvos foi Carlos Augusto de Moraes Alfonso, que usava o pseudônimo de Luciano Ayan nas redes sociais, e já foi considerado uma espécie de “guru” do MBL.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo