Turismo

Já está na hora de cancelar a viagem de réveillon?

Publicados

em


source

Depois que entramos no segundo semestre do ano, muitos brasileiros passaram a se preocupar com os planos de Ano Novo. Alguns já haviam até comprado as passagens, outros estão esperando a situação melhorar para ir atrás da próxima viagem. Porém, as informações seguem muito incertas, especialmente no setor turístico, então fica aquela dúvida: devo desistir dos meus planos para o réveillon? 


réveillon
Pixabay/Reprodução

“Acreditamos que será possível viajar no Ano Novo com segurança, mas o contexto está mudando constantemente e podemos facilmente errar a previsão”, diz Luísa


Para Luísa Dalcin, diretora de comunicação do buscador Viajala, ainda é difícil dizer com certeza, uma vez que as previsões estão muito instáveis. Além da volta à normalidade das companhias e empresas de hospedagem, que está acontecendo aos poucos, o turista precisa se sentir verdadeiramente seguro. 

“É natural que haja hesitação por semanas e até meses depois da retomada e será preciso um movimento consistente que envolva os órgão de saúde, as autoridades e as empresas de turismo para que a insegurança de viajar se dissipe e o mercado encontre também o seu ponto de ‘nova normalidade'”, afirma.

Leia Também:  Metade das operadoras venderam viagens para novembro e dezembro

Segundo uma pesquisa feita pelo Viajala com 3 mil usuários da plataforma em 6 país da América Latina, cerca de 66% dos usuários brasileiros declararam não saber  quando voltariam a viajar para fora do país. Quando perguntados sobre quando acham que poderão voltar a viajar, 11% dos entrevistados gerais disseram acreditar que, para fora do país, só a partir de 2021 e 20% acredita que as viagens nacionais serão possíveis a partir de outubro de 2020.

Além das passagens e das reservas de estadia, também existe a preocupação com as atividades turísticas do local de destino, mas Luísa acredita que quando as viagens forem liberadas, já estaremos em um patamar que será possível fazer os passeios turísticos.

“Existe a tendência de que pontos turísticos que costumam lotar, gerar filas, como museus e monumentos, diminuam sua capacidade e mantenham esse número mais baixo por um bom tempo. Isso requer ainda mais organização do viajante: se antes ele deixava para comprar um ingresso na última hora, talvez seja necessário comprá-lo com dias e até semanas de antecedência”, alerta diretora. 

Leia Também:  Aprenda a usar o cashback para acumular milhas e economize na sua próxima viagem

Além da saúde

“Há também o problema financeiro. A pandemia impactou a vida, o salário, o emprego de muita gente, que precisará pensar também nas próprias contas antes de organizar uma viagem no Ano Novo. São muitos fatores envolvidos”, ressalta Luísa.

Segundo entrevistados pelo Viajala, na hora de voltar a viajar para o exterior, o principal medo dos brasileiros é a própria situação financeira: 34% dos participantes declararam que temem pela sua situação financeira quando o forte da crise passar, enquanto 17% se mostraram preocupados com a cotação de moedas estrangeiras, como o dólar e o euro, que deverão seguir altas mesmo no fim da quarentena. 

Já comprei a minha viagem de final de ano, e agora?

Para aqueles que já estão com as passagens compradas, Luísa acredita que valha a pena esperar para cancelar. “Temos mais de cinco meses ainda. Existem até rumores de vacina para o fim do ano, então vale considerar esperar um pouco mais para ter mais segurança na decisão”, reflete.

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Turismo

Saiba como planejar seu reveillon em tempos de pandemia

Publicados

em

Por


source

Apesar de muitas incertezas sobre os desdobramentos da pandemia, muitos estão vendo que os comércios e turismo estão abrindo. Logo, uma faísca de esperança surgiu e muitos começaram a rever os planos de viajar no ano novo.

Para te ajudar com os possíveis preparativos para a viagem do fim de ano, o iG Turismo conversou com a turismóloga e professora da PUCPR Raquel Panke para dar dicas para sua viagem ser mais segura possível. 

mala e máscara
Reprodução/Pixabay

Confira as dicas para você planejar sua viagem de ano novo em segurança


Quais as medidas de segurança que a pessoa deve ter ao planejar a viagem de ano novo? 

O planejamento de viagens, antes mesmo da pandemia, já envolvia a pesquisa do destino turístico pretendido por meio de diferentes canais de acesso, especialmente com a utilização dos sites de busca na Internet. 

No contexto atual, isso é fundamental para se obter informações antecipadas dos produtos que pretende contratar com relação à segurança sanitária, a capacidade de atendimento de meios de hospedagem (que está reduzida para melhor garantir o distanciamento social), a disponibilização de álcool em gel, de tapetes sanitizantes, a medição de temperatura corporal, o rigor e o aumento nos procedimentos de limpeza, entre outros. 


Por isso, todos os serviços turísticos (meios de hospedagem, restaurantes, atrativos, destinos) precisam estar preparados para esta demanda de informações de forma clara e de fácil acesso on-line. A especialista acredita que em um cenário otimista e que é possível visualizar uma tendência para o final do ano chamado o “turismo de isolamento”. 

“Podendo retomar a atividade turística pelo turismo doméstico, em especial, localidades próximas aos destinos emissores de turistas (grandes cidades) em direção às áreas rurais e litorâneas que se planejarem para um turismo controlado e de capacidade restrita no número de visitantes”, explica. 

Quais os destinos mais seguros?

Panke acrescenta que os destinos mais seguros para esse momento  são aqueles de pequena escala, ou seja, que não permitem aglomerações e estão se preparando de forma responsável para receber o turista, como pousadas rurais e áreas litorâneas mais isoladas que possuam “capacidade de carga” (número máximo de visitantes permitido por período). 


Destinos ecoturísticos devem ser visitados somente em pequenos grupos. Ela também recomenda localidades que ofereçam o turismo de experiência, também de forma mais personalizada. 

“Os destinos mais seguros podem estar bem próximos de sua cidade, pesquise localidades que ofereçam práticas de segurança e responsabilidade social, olhe para seu “quintal” e valorize o Brasil. Fica a dica!”, encerra. 

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo