Política Nacional

Humberto Costa acusa Bolsonaro de cometer crime de responsabilidade ao ameaçar o Supremo

Publicados

em


.

O senador Humberto Costa (PT-PE) acusou o presidente da República, Jair Bolsonaro, de cometer crime de responsabilidade, por atentar contra a democracia, desrespeitando a Constituição. Em pronunciamento nesta quinta-feira (6), o senador mencionou reportagem publicada esta semana pela revista Piauí segundo a qual Bolsonaro teria decidido dar um golpe de estado e chegou a determinar, em reunião ministerial, a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que seriam substituídos por militares. De acordo com a reportagem, Bolsonaro foi demovido da decisão pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, que teria afirmado que ainda “não era o momento” de tomar tal atitude.

Humberto Costa afirmou que Bolsonaro já tem crimes suficientes para que a abertura de processo de impeachment. Para ele, só assim a democracia estará preservada. Ainda de acordo com a reportagem, no dia 22 de maio Bolsonaro declarou aos intervir no Supremo diante da solicitação feita pelo ministro Celso de Mello, do Supremo, para que a Procuradoria Geral da República analisasse o pedido feito por três partidos para apreender o celular do presidente da República e de um dos filhos com objetivo apurar as denúncias feitas pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro. 

Leia Também:  Gestão Bruno Covas tem empate técnico em aprovação e desaprovação, diz Datafolha

— Segundo Bolsonaro, essa intervenção ocorreria até o momento em que o Supremo estivesse ‘em ordem’. E mais grave é que o presidente queria dar a essa decisão antidemocrática um manto de legalidade, utilizando da opinião de juristas conhecidos por suas oposições autoritárias. Nos preocupa o fato de que os riscos de uma ditadura, implantada por meio de um golpe militar, não estão fora do horizonte do nosso país.  É necessário a união de todos os democratas e uma ação concreta por parte do Congresso Nacional — afirmou o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

Bolsonaro diz que já tem candidatos em São Paulo, Santos e Manaus

Publicados

em

Por


source
Jair Bolsonaro durante live nesta quinta-feira (24) ao lado ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles
Reprodução/Youtube

Jair Bolsonaro durante live nesta quinta-feira (24) ao lado ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou durante transmissão ao vivo nesta quinta-feira (24) que já decidiu quais são os seus candidatos em São Paulo, Santos e Manaus para as eleições municipais de 2020. Ele, no entanto, evitou dizer quais seriam esses nomes.

Ao lado do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, que também participou da transmissão, o presidente disse que já sabe quem escolheria se votasse em uma dessas três cidades.

“Eu assumi esse compromisso de não entrar nas eleições municipais. Se bem que a gente pode mudar de ideia também. Se chegar um ponto em que eu achar que eu posso influenciar nessas três cidades, eu vou me manifestar porque eu acho que esse candidato tem chance de fazer um bom mandato para o bem de São Paulo, Santos ou Manaus”, afirmou Bolsonaro.

Leia Também:  Reeleição de Alcolumbre no Senado é inconstitucional, diz consultoria

Em São Paulo, o presidente tem sinalizado Celso Russomanno (Republicanos) tem o seu apoio. O deputado federal é do partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), do bispo Edir Macedo.

No último sábado (19),  Bolsonaro compartilhou uma publicação em vídeo de Russomanno na qual ele critica o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP).

Nas imagens que foram inseridas no post de Russomanno, Kataguiri aparece comparando Bolsonaro ao ex-presidente José Sarney, que adotou tabelamento de preços para conter efeitos da inflação, se usando dos “fiscais do Sarney” para monitorar supermercados e demais varejistas pelo Brasil.

Russomano publicou o vídeo falando sobre o preço do arroz com a intenção de defender Bolsonaro e se aproximar do presidente às vésperas de eleição, algo que o deputado federal também fez ao ser  oficializado como candidato do Republicanos em São Paulo.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo