Estadual

Governo destina R$ 10 milhões para Maringá pavimentar ruas

Publicados

em

Maringá, no Noroeste do Paraná, vai investir R$ 10 milhões em pavimentação de ruas e avenidas. Os recursos são do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Orbas Públicas, e foram autorizados pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta sexta-feira (14), em evento no município. A prefeitura terá contrapartida de pouco mais de R$ 1 milhão. O governador também autorizou recursos para investimentos em Paiçandu, na mesma região.

O governador afirmou que os recursos respaldam o trabalho desenvolvido pelo município e pelo Estado no último ano. Em 2019 Maringá foi a terceira cidade com maior saldo de empregos do Paraná (3.781, crescimento de 24% em relação a 2018), além de ter terminado o ano como o menos violento de sua história.

Com novos asfaltos, disse Ratinho Junior, as possibilidades de atração de investimentos aumentam muito. “Maringá é a nossa inspiração porque é muito planejada, estruturada, com muita qualidade de vida. Isso tem que ser referência para as outras regiões do Estado”, afirmou.

Segundo Ulisses Maia, prefeito de Maringá, o montante autorizado é parte de um pacote ainda maior, que engloba investimentos de R$ 12 milhões em pavimentação, da Secretaria de Infraestrutura e Logística. “São 250 mil metros, possivelmente 23 avenidas. Esses recursos são importantíssimos para oferecer segurança e conforto para quem usa as nossas ruas”, afirmou.

Maia acrescentou que Maringá tem o apoio do Governo do Estado na construção do Hospital da Criança e do novo Contorno Sul, no condomínio do idoso do programa Viver Mais Paraná, no programa de restaurantes populares e na retomada dos voos comerciais para São Paulo. “Não houve demanda de Maringá que não tivesse concordância imediata do governador Ratinho Junior”, complementou.

João Carlos Ortega, secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, afirmou que os investimentos englobam rede de drenagem de águas pluviais, meio-fio com sarjeta, urbanização com paisagismo, calçadas e sinalização viária. “Quando o governador determinou a liberação, fizemos uma força-tarefa para aprovar esses recursos. E serão obras completas com acessibilidade e drenagem”, disse.

Leia Também:  Paraná tem mais 2.111 diagnósticos e 49 mortes pela Covid-19

MEIO AMBIENTE – A Prefeitura de Maringá também recebeu R$ 3,7 milhões da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Turismo para desassoreamento e a concretização do parque linear urbano Gralha Azul.

Cerca de R$ 2 milhões serão usados no programa de desassoreamento (obras de canalização, drenagem e recuperação de pavimentação asfáltica). A intervenção será feita na Praça do Avião e na Rua Adolpho Contessotto, que fica atrás do Hospital Municipal.

As adequações resolvem dois problemas de alagamento na cidade: nesses locais as tubulações são antigas e elas não comportam o volume de chuvas intensas. O prazo para a conclusão das obras é de oito meses.

Mais R$ 1,7 milhão será usado para implantação de um parque urbano na região do Conjunto Ney Braga, visando a criação de uma nova área de lazer e de mais um instrumento de conservação ambiental que auxilia a minimizar os impactos da expansão urbana e ajuda a controlar as cheias.

“O parque é um pedido muito antigo da população e a prefeitura teve muita competência técnica no projeto”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes. “Além da obra de desassoreamento, que ninguém quer fazer porque não é visível, mas é muito importante para grandes centros urbanos”, disse ele.

CORPO DE BOMBEIROS – O governador também entregou para o Corpo de Bombeiros de Maringá uma plataforma skylift, utilizada no combate a incêndios em grandes alturas. Ela conta com escada e tanque de água com capacidade para quatro mil litros e foi adquirida da Bronto Skylift, empresa finlandesa que venceu o processo licitatório. São três no Estado, em Maringá, Londrina e Curitiba, as cidades mais verticais. As plataformas alcançam até 54 metros de altura (um prédio de 18 andares).

Leia Também:  Governador sanciona lei do Cartão Futuro Emergencial

PRESENÇAS – Estiveram presentes na cerimônia na Prefeitura de Maringá o vice-prefeito, Édson Scabora; o presidente da Câmara de Vereadores de Maringá, Mário Hossokawa; o secretário de Educação e do Esporte, Renato Feder; o deputado federal Ricardo Barros; os deputados estaduais Homero Marchese, Do Carmo, Delegado Jacovós, Soldado Adriano José, Evandro Araújo e Dr. Batista; o coronel Samuel Prestes, Comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná; o presidente da Amusep e prefeito de Atalaia, Fábio Fumagalli de Paiva; além de prefeitos e lideranças da região.

Box
Com apoio do Governo, Paiçandu investirá R$ 6,6 milhões em pavimentação

O governador Ratinho Junior autorizou também nesta sexta-feira (14) a liberação de R$ 6,6 milhões para Paiçandu (Noroeste), para pavimentação asfáltica de 26 ruas. Os recursos são do Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), linha de crédito gerida pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Orbas Públicas e pela Fomento Paraná.

Os dois lotes de liberações abrangem mais de 68 mil metros quadrados. O primeiro, de cerca de R$ 2,4 milhões, é para o Conjunto Residencial Novo Horizonte, no Residencial Bela Vista e no Jardim Pacaembu. O segundo, de quase R$ 4,2 milhões, é para o Parque Industrial e o Residencial Bela Vista II. Os projetos contam com rede de drenagem de águas pluviais, meio-fio com sarjeta, urbanização com paisagismo, calçadas e sinalização viária.
Confira AQUI as ruas que receberão as obras.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Ação integrada na divisa do PR com SP prendeu quase mil pessoas

Publicados

em

Por


.

A Megaoperação Divisas Integradas, realizada nesta semana e encerrada nesta quinta-feira (17), resultou na prisão de 986 pessoas e na vistoria de 41,6 mil veículos em toda a área de divisa entre Paraná e São Paulo. Durante os três dias da megaoperação, desencadeada para atuar no combate a organizações criminosas, tráfico de drogas, armas, contrabando, descaminho e outras atividades ilegais, foram recolhidos 884 quilos de drogas em todos os municípios do Paraná e de São Paulo, que compreendem a área de atuação da ação. Dinheiro, armas e veículos também foram apreendidos.

Durante as ações, as forças policiais abordaram 71.544 pessoas, das quais 986 foram presas, e apreenderam 52 adolescentes. Também foram vistoriados 41,6 mil veículos e recuperados 143. A megaoperação resultou, ainda, na apreensão de 62 armas de fogo e 996 munições, além de retirar de circulação R$ 138,5 mil em dinheiro e R$ 644 mil em cheques.

“Essa ação foi um sucesso. Conseguimos reforçar a área de divisa e montamos uma faixa de segurança, que resultou em diversas apreensões, prisões e fiscalizações. Tudo isso foi possível devido a integração entre os órgãos e o planejamento inicial, que foi essencial para este resultado positivo”, afirmou o secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares.

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, João Campos, também salientou que a parceria entre os órgãos é o maior ganho da ação. “O balanço estratégico já acontece, que é a integração entre as polícias dos estados e a polícia federal. O exército brasileiro também está trabalhando conosco nessa operação, na fiscalização de produtos controlados, isto é, juntos somos mais fortes”, declarou.  

Leia Também:  Paraná vai antecipar campanha contra pólio e multivacinação

FORÇAS – Mais de 7.800 policiais de diversas forças de segurança estaduais e nacional participaram da atividade. Dentre eles polícias Militar, Civil e Científica, Corpo de Bombeiros, tanto do Paraná quanto de São Paulo, além de Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Exército Brasileiro, Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). 

Além dos policiais e agentes de segurança pública, foram utilizadas 2.100  viaturas, 21 aeronaves, seis drones, 18 cães e 11 embarcações. Ações preventivas e ostensivas foram feitas nos pontos de bloqueio de divisas dos dois estados.

Foram 20 pontos de bloqueio na área de divisa entre os estados do Paraná e São Paulo. Dez ficaram sob responsabilidade da Polícia Militar de São Paulo, sete da Polícia Militar do Paraná e outros três da Polícia Rodoviária Federal. 

As atividades, no Estado de São Paulo, foram realizadas a partir do eixo das rodovias Raposo Tavares (SP-270), Régis Bittencourt (BR-116) e Transbrasiliana (SP-153), e avançaram para as demais regiões a partir dos limites territoriais entre os dois estados.

Já no Paraná, aconteceram também da BR 116, em Campina Grande do Sul, até a cidade de Diamante do Norte, na PR 182.

Os locais de produtos controlados como explosivos e armamentos, foram fiscalizados por policiais civis do Paraná, policiais federais, Exército Brasileiro e Grupo de Bombas e Explosivos.

NO PARANÁ – Toda a ação contou, ainda, com o acompanhamento do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que tem estrutura adequada com câmeras e apoio, representantes das instituições e dos órgãos de inteligência. Foram 88 câmeras que transmitiram imagens das ações para o Centro na capital.

A Operação Divisas Integradas contou também com o auxílio do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul (CIISP-Sul), que atuou em conjunto com o Departamento de Inteligência do Paraná (Diep) e demais agências do estado no acompanhamento e assessoramento das ações.

Leia Também:  Live debate influência do La Niña na agricultura do Paraná

PARANÁ – Somente no Paraná, as polícias Civil e Militar vistoriaram 405 locais durante os três dias de operação, resultando na autuação de quatro estabelecimentos e na fiscalização eletrônica de 355 veículos. Foram cumpridos ainda 180 mandados judiciais, sendo 110 de busca e apreensão e 70 de prisão.

Também foram recolhidos no Paraná materiais para pesca ilegal, aves e animais silvestres, entre outros itens. Em ações estratégicas, os policiais paranaenses recuperaram dois tratores que tinham sido roubados em São Paulo e também apreenderam 150 metros de espinhéis, duas tarrafas e 50 metros de rede, além de 50 anzóis. Uma das ações também resultou na apreensão de fios de cobre.

O coordenador estadual da operação pelo Paraná e chefe do Centro de Inteligência Estratégica da Secretaria da Segurança Pública, coronel Luiz Augusto de Oliveira Santiago, ressaltou o sucesso da operação. “Foi um marco nesse tipo de operações combinadas entre secretarias de segurança pública que servirá de base para futuras ações, particularmente aqui no Paraná, em relação aos estados vizinhos, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Os resultados são a comprovação de que o nosso trabalho, diuturnamente, é um trabalho sério, comprometido com a segurança da sociedade, e esses dados que foram obtidos são tão somente o fruto desse bom trabalho realizado”, disse.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo