Estadual

Fórum debate logística para a região Noroeste

Publicados

em

Os investimentos do Governo do Estado na área de infraestrutura e logística foram tema de um fórum nesta sexta-feira (14), promovido pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem). O evento reuniu empresários do setor produtivo da região e apresentou as vantagem de exportar pelos Portos do Paraná.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, apresentou os projetos e ações que são realizados em diferentes modais para desenvolver ainda mais o agronegócio e a indústria paranaense. “A intenção é demonstrar as atuações da secretaria, seja no porto, nas rodovias, ferrovias e aeroportos. As obras em andamento e as obras que estão prospectadas através do Banco de Projetos, principalmente para a região Noroeste”, disse.

PORTOS – Maringá é a cidade que mais exportou granéis pelos portos paranaenses em 2019. Foram mais de 3,2 milhões de toneladas de produtos, saídos da cidade. Destaque para o milho (1,4 milhão de toneladas) e a soja (1 milhão de toneladas).

A região Noroeste também tem potencial para um novo tipo de movimentação: o DDGS, sigla em inglês para o farelo de milho que é resultado da moagem do produto na produção de etanol. Em dezembro do ano passado, o Porto de Paranaguá fez o primeiro embarque do produto.

Leia Também:  Governo aumenta reparos e 90% dos veículos estão em circulação

O diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira, explica que a única fábrica de DDGS no Estado fica em Jandaia do Sul. “É uma nova possibilidade. A região já tem muita força na produção e exportação de açúcar, farelo, milho e soja”, disse.

Para Teixeira, esse tipo de evento é essencial para que os produtores conheçam o porto e as vantagens de exportar por Paranaguá e Antonina. “Nossos portos são as opções mais vantajosas para exportação e também para a importação de insumos. O Paraná está cada vez mais integrado e entender a logística é fundamental para o setor produtivo”, acrescentou.

RODOVIAS – No ano passado, 14.918 caminhões cruzaram as rodovias entre Maringá e Paranaguá. O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem, Fernando Furiatti, falou sobre as obras que devem melhorar a malha viária. Ele detalhou as obras em estradas já finalizadas no Paraná, as que estão em andamento e como será o Banco de Projetos, em criação pelo Governo do Estado. “Vamos entregar a futuros governantes, para um período de 10 anos, projetos executivos prontos, para que possam executar obras sem o empecilho que temos hoje. Com isso entregamos para a população uma possibilidade de receber investimentos futuros com o menor tempo possível”.

Leia Também:  Carretas do Conhecimento irão qualificar mais de 5 mil pessoas

Furiatti elogiou a integração entre governo do Estado, Senado e Governo Federal. “Temos um diálogo excelente com a equipe do Ministério da Infraestrutura e isso facilita o caminho para captar investimentos e realizar as obras necessárias”, salientou.

FERROVIA – O modal ferroviário foi responsável pela maior parte do transporte de cargas com origem em Maringá. O Porto de Paranaguá recebeu 45.167 vagões que saíram da cidade.

“A interação entre os diferentes modais melhora os custos logísticos e evita gargalos. Por isso, estamos promovendo uma reestruturação da empresa pública que administra as ferrovias estaduais.”, explicou o presidente da Ferroeste, André Luis Gonçalves.

EXPECTATIVA – José Roberto Matos, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá, conta que os empresários da região estão se preparando para o futuro. “Queremos criar um caminho, junto com o setor público, para crescer. Nossos planos são para os próximos anos”.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Saúde reforça equipe para combate à dengue em Barbosa Ferraz

Publicados

em

A Secretaria de Estado da Saúde autorizou um reforço emergencial para os trabalhos de combate à dengue em Barbosa Ferraz. Já são quase mil casos confirmados da doença no município, que pertence à 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esteve no sábado (22) na cidade para debater as ações que serão realizadas para eliminar os criadouros do Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Além de ampliação do trabalho de campo, com a remoção mecânica de possíveis focos, em conjunto com agentes comunitários e agentes de endemias do município e do Estado, o arrastão técnico será ampliado com equipes de outras regionais de saúde. “Temos conjugados esforços no auxílio aos municípios, porque o momento exige efetividade neste combate”, disse Beto Preto.

O secretário da Saúde informou que o Estado fará um aporte financeiro de R$ 5 milhões aos municípios em epidemia para auxiliar na aquisição de insumos clínicos e na estrutura de atendimento hospitalar e ambulatorial.

Leia Também:  Fomento Paraná reduz juros para operações de microcrédito

AÇÕES – Orientações de manejo clínico também deverão acontecer nos próximos dias, garantindo o reforço na capacitação dos profissionais, sob coordenação da Secretaria da Saúde.

A força-tarefa em Barbosa Ferraz, segundo o secretário, vai auxiliar na redução dos focos e, consequentemente, o número de casos de dengue no município deve cair, assim como aconteceu em Nova Cantu. “Onde intensificamos o trabalho, já tivemos redução no número de notificações. É importante que a população em geral e os profissionais de saúde estejam engajados, uma vez que quase 90% dos criadouros são removíveis”, alertou.

A limpeza das galerias pluviais, por parte da Sanepar, é outra medida que será adotada. Com possíveis entulhos ou material orgânico acumulado, o local acaba sendo um ambiente propício para a proliferação do mosquito.

 “Estamos preocupados com a dengue no Paraná. É uma doença que mata. Temos perdido vidas. Estamos diante do sorotipo dois do vírus. Os paranaenses não têm imunidade a ele. Dengue é uma doença que podemos prevenir. Por isso, é importante a ajuda de todos”, reforçou Beto Preto.

Leia Também:  Museu Oscar Niemeyer prepara nova versão da exposição asiática

 

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo