Esportes

Federação pede jogos com portões fechados por causa de Coronavírus

Publicados

em

O presidente da Federação de Futebol de Itália, Gabriele Gravina, afirmou nesta segunda-feira (24) que fez um pedido formal ao Ministério do Esporte da Itália para que as partidas do Campeonato Nacional da primeira divisão sejam realizadas com portões fechados (sem público) após o aumento de casos de Coronavírus no país.

A intenção inicial do Governo era de que não fosse realizado nenhum tipo de evento esportivo até o início de março. Inclusive, no último final de semana foram adiados quatro jogos da Série A do Campeonato Italiano: Inter de Milão x Sampdoria, Atalanta x Sassuolo, Torino x Parma e Hellas Verona x Cagliari.

Contudo, nesta segunda a Federação Italiana propôs uma medida alternativa, a realização de jogos com portões fechados como forma de evitar o aumento do contágio do vírus sem prejudicar muito o calendário esportivo. “Enviamos uma solicitação oficial e estamos ansiosos pelo retorno positivo”, afirmou Gravina.

A proposta incluiria apenas a disputa de partidas da Série A do Campeonato Italiano e de competições europeias (como Liga Europa e Liga dos Campeões) sem público. As outras seriam adiadas.

Leia Também:  Coronavírus pausa treinos e gera incerteza em atletas paralímpicos

O Governo Italiano ainda não respondeu à demanda da Federação de Futebol.

Edição: Verônica Dalcanal

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esportes

Campeão olímpico anuncia recuperação do novo coronavírus

Publicados

em

.

O nadador sul-africano Cameron Van Der Burgh, medalhista olímpico de ouro na prova dos 100 metros estilo peito, afirmou “estar se sentindo 100% novamente” após ser diagnosticado com o novo coronavírus (covid-19) no final de março.

A informação foi divulgada pelo site norte-americano especializado em natação SwimSwam. Van Der Burgh, que ficou com o ouro olímpico nos Jogos de 2012 (Londres) e com a prata quatro anos depois, no Rio de Janeiro, foi o primeiro nadador de renome internacional a divulgar que tinha testado positivo para coronavírus.

Segundo o atleta sul-africano, este foi: “De longe o pior vírus que já enfrentei”. Ele afirmou que demorou cerca de três semanas para sentir-se totalmente de volta ao normal.

Edição: Fábio Lisboa

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Adiamento dos Jogos impacta calendário de modalidades para 2021
Continue lendo