Cidades

Ex-prefeito de Laranjal e outras cinco pessoas investigadas por fraude a licitação e desvio de recursos da saúde são denunciadas pelo MPPR

Publicados

em

O Ministério Público do Paraná ofereceu nesta terça-feira, 4 de junho, em Guarapuava, Centro-Sul do estado, denúncia criminal contra o ex-prefeito de Laranjal (gestões 2009-2012 e 2013-2016) e outras cinco pessoas investigadas por integrarem organização criminosa. Conforme investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) de Guarapuava, o grupo fraudava licitações no Consórcio Intermunicipal de Saúde (CIS) do Centro-Oeste e corrompia agentes públicos com a finalidade de desviar recursos em proveito próprio.

De acordo com a apuração, foram fraudados dois pregões presenciais, com seus respectivos aditivos, para a contratação de mão de obra terceirizada na área de saúde, cujos valores somados chegam a R$ 10.355.879,06.

Enquanto esteve à frente da presidência do Conselho de Prefeitos do CIS, e contando com a participação de outros servidores públicos, o ex-prefeito de Laranjal constituiu empresa em nome de “laranja” para vencer o certame e desviar dos cofres públicos o montante de R$ 828.470,32, valor requerido como indenização mínima pelos danos causados.

Leia Também:  Após perseguição policial cinco pessoas são presas em Mamborê e veículo roubado é recuperado

A análise das contas bancárias dos investigados identificou que o procurador-geral de Laranjal foi beneficiado com mais de R$ 370 mil da conta da empresa, tendo sido repassado diretamente para a conta do ex-prefeito o valor de R$ 75 mil. A investigação também verificou que o procurador jurídico do Consórcio recebeu R$ 140 mil, a diretora-executiva, R$ 38.553,53, e a controladora interna do CIS, R$ 25.300,00, respectivamente.

Os denunciados também causaram prejuízos tributários ao fisco federal, deixando a empresa com uma dívida ativa no valor de R$ 848.232,21.

Entre os crimes imputados aos denunciados, estão os de organização criminosa, falsidade ideológica e corrupção ativa e passiva.

Fonte: Ministério Público do Paraná

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Cidades

Rotam encontra máquina de contar dinheiro e arsenal de munições após denúncia em Campo Mourão

Publicados

em

Por

Uma equipe Rotam (Polícia Militar), apreendeu um arsenal de munições de diversos calibres, bloqueador de sinal de GPS e telefones, drogas e até uma máquina de contar dinheiro em uma edícula, no jardim Sol Nascente, após uma denúncia anônima. A ação aconteceu no fim de semana. O proprietário do local acabou preso.
De acordo com o Setor de Comunicação do 11º BPM, a polícia recebeu uma denuncia de som alto com aglomeração de pessoas no local em um imóvel na rua Augusto Paulovisck, no jardim Sol Nascente. Ao chegar ao local, um homem se identificou como responsável pelo imóvel, permitindo a entrada dos policiais no interior do imóvel.
Como havia muitas pessoas, incluindo diversos homens conhecidos pela polícia por terem passagem criminal além da denúncia de possível arma no local, foi dada voz de abordagem a todos, sendo feita busca pessoal e domiciliar no intuito de localizar drogas e armas. Nas
buscas a polícia encontrou um invólucro de maconha pesando aproximadamente 60 gramas.
Na sequência foram encontradas caixas com munições, totalizando 144, sendo 97.40, marca CBC, 13 munições marca WIN, e 34 munições .380. Durante a abordagem o proprietário da casa por  diversas vezes tumultuou a ocorrência, desobedecendo as ordens policiais, sendo o mesmo advertido que se não acatasse a ordem policial seria encaminhado por desobediência.
Durante as buscas foram localizados ainda na edícula rádios capazes de operar na frequência da polícia, máquina de contar dinheiro, um carregador de pistola Glock, carregado com 13 munições intactas e uma máquina bloqueadora de sinais de telefone,rastreadores, geralmente utilizados por criminosos para roubos.
O responsável pelo local assumiu ser responsável pelos objetos. Ele relatou que trabalha com cigarros contrabandeados do Paraguai e por isso tinha os objetos. Diante da situação foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil para as providências cabíveis.

Leia Também:  Rotam encontra máquina de contar dinheiro e arsenal de munições após denúncia em Campo Mourão

Fonte: Tribuna do Interior

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo