Estadual

Estado lança edital do curso de formação de oficiais da PM

Publicados

em


O Governo do Estado lançou nesta sexta-feira (16) o edital para o concurso público de ingresso ao Curso de Formação de Oficiais (CFO) da Polícia Militar do Paraná, turma 2021.

As inscrições abrem no dia 3 de novembro e seguem até às 12h do dia 18 de dezembro. 

São 60 vagas para cadete policial militar (seis para candidatos afrodescendentes) e 10 vagas para cadete bombeiro militar (uma para candidato afrodescendente). Confira o  edital no http://portal.nc.ufpr.br/PortalNC/Concurso?concurso=CADETEPMPR2020.

Para participar do concurso, os candidatos devem ler atentamente o edital e verificar os pré-requisitos básicos. Quando forem abertas, as inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná, mediante o preenchimento do formulário de inscrição. Serão consolidadas com o pagamento da taxa, ou após a homologação da isenção dessa taxa (ver critérios no edital).

A SELEÇÃO – O processo seletivo será regulado pela UFPR. A primeira etapa, de caráter eliminatório e classificatório, consiste no processo seletivo da UFPR, o qual será dividido em duas fases, que avaliarão o domínio dos conteúdos das disciplinas do ensino médio, as capacidades de articular ideias com clareza, de relacionar e interpretar fatos e dados e de raciocinar de maneira lógica. (ver www.nc.ufpr.br).

Leia Também:  Consulta pública aprova modelo cívico-militar em 163 colégios

Depois os candidatos serão submetidos às Provas de Habilidades Específicas (PHE) no âmbito da PMPR e reguladas por edital.

As PHEs, de caráter eliminatório, serão compostas pelas seguintes fases: Investigação Social (IS), Avaliação Psicológica (AP), Exame da Capacidade Física (Ecafi) e Exame de Sanidade Física (Esafi).

CFO – O Curso de Formação de Oficiais, oferecido pela Escola de Formação de Oficiais, é disponibilizado todos os anos pela UFPR.

As disciplinas fundamentais estão ligadas diretamente à vida militar, buscando adaptar os cadetes para o melhor cumprimento da sua atividade como policial militar e bombeiro militar.

São diversos segmentos do direito, uso correto de armas de fogo, psicologia, estatística, educação física, direitos humanos e policiamento comunitário, além de técnicas de salvamento e prevenção de incêndios, entre outras.

O curso tem duração de três anos e, no 1º ano, o cadete recebe um subsídio de R$ 3.277,88, no 2º ano o valor é de R$ 3.671,24; e no 3º ano é de R$ 4.221,93.

Leia Também:  Sanepar é a segunda melhor empresa de saneamento do País

Ao concluir o 3º ano o cadete é declarado aspirante à oficial com subsídio no valor de R$ 7.211,35. Após o período de estágio probatório, o militar estará apto a ser promovido ao posto de 2º tenente com subsídio de R$ 9.735,33.

Link do Edital: portal.nc.ufpr.br/PortalNC/PublicacaoDocumento?pub=250

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Consulta pública aprova modelo cívico-militar em 163 colégios

Publicados

em

Por


O balanço parcial desta sexta-feira (30), quarto dia da consulta pública sobre a migração de escolas do sistema tradicional para o modelo cívico-militar, mostra que a alteração foi aprovada em 163 escolas onde o quórum de votação foi alcançado. Outras 54 escolas continuam a votação na manhã deste sábado (31) e também após o feriado.

A estimativa da equipe da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, que coordena a consulta, é que ainda na noite desta sexta-feira (30) mais 28 escolas, das 54 que ainda estão fazendo consulta, possam atingir o quórum. As demais terão um tempo maior para finalizar o processo na próxima semana.

O balanço divulgado no final da tarde aponta que mais de 72 mil pais, estudantes, funcionários de escola e professores já registraram a opinião sobre a proposta de alterar o modelo de escolas.

No total, 217 instituições de ensino, em 117 municípios do Paraná, estão com processo de consulta pública aberto para que a comunidade escolar vote.

A votação continua neste sábado, das 8 às 12 horas, nas escolas em que o quórum absoluto não tenha sido alcançado ainda. E retoma depois do feriado, com horário das 8h às 20h. O projeto, que criou o modelo Cívico-Militar e a consulta pública, permite a extensão da votação até atingir o quórum necessário.

Leia Também:  Saúde e TRE tratam de medidas sanitárias para o período eleitoral

APROVAÇÃO – Para que a implementação seja efetivada, é preciso que mais de 50% das pessoas aptas a votar na escola participem da consulta e que a maioria simples dos votantes (50% e mais um voto) seja favorável ao programa — o maior do país na área, com investimento de cerca de R$ 80 milhões, direcionado a 129 mil alunos. Nos colégios onde a migração for aprovada, haverá implementação da modalidade cívico-militar em 2021.

As escolas contarão com aulas adicionais de Português, Matemática e Civismo, permitindo aos estudantes que aprendam sobre leis, Constituição Federal, papel dos três poderes, ética, respeito e cidadania. No Ensino Médio, haverá, ainda, a adição da disciplina de Educação Financeira.

Além de questões curriculares, outra mudança trazida pela nova modalidade de ensino — que será aplicada em escolas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio — é a gestão compartilhada entre civis e militares.

O diretor-geral e o diretor-auxiliar permanecem sendo civis e as aulas continuam sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto o diretor cívico-militar será responsável pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá, também, de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola.

Leia Também:  Grupo vai estimular adesão à Nova Agenda Urbana

CONSULTA PÚBLICA — É necessário levar documento pessoal com foto para a votação, e recomenda-se que cada pessoa leve sua própria caneta. Pais ou responsáveis votam de acordo com o número de matriculados sob sua tutela na escola, ou seja, uma mãe com três filhos pode votar até três vezes.

Estão sob consulta da comunidade colégios em regiões com alto índice de vulnerabilidade social, baixos índices de fluxo e rendimento escolar, conforme a legislação aprovada pela Assembleia Legislativa.

As escolas também precisam estar em municípios com mais de dez mil habitantes e que tenham ao menos duas escolas estaduais na área urbana.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo