Estadual

Estado anuncia ativação de leitos de UTI Covid em Curitiba

Publicados

em


O Governo do Estado anunciou nesta sexta-feira (20) a ativação de 38 leitos exclusivos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital de Reabilitação, em Curitiba, para tratamento de pacientes diagnosticados com a Covid-19.

Há também previsão pela Secretaria de ativação de leitos em outros municípios do Paraná na próxima semana. “O número de casos de coronavírus está subindo e consequentemente aumentou a procura por atendimento médico e em alguns casos a necessidade de internação em leito exclusivo. Por orientação do governador Ratinho Junior, anunciamos a ativação destes 38 leitos na Capital”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.
Desde setembro, com a diminuição do número de casos de coronavírus e redução da taxa de ocupação dos leitos, o Paraná estava desativando leitos gradativamente, sem comprometer a assistência aos pacientes, e permitir o redirecionamento da estrutura para atendimento geral às emergências e também atendimento eletivo.

Neste período, 232 leitos de UTI adulto, 447 enfermarias adulto, 27 leitos de UTI pediátrica e 35 de enfermaria pediátrica foram desativados. Na última semana, com o aumento no número de casos, principalmente em Curitiba, e posteriormente aumento da demanda de internamento hospitalar, a Secretaria de Estado da Saúde voltou reativar progressivamente os leitos.
Os contratos com as equipes médicas, de enfermagem e técnicos também estavam finalizando, coincidindo assim com a redução da demanda pelas estruturas hospitalares nas últimas semanas, o que permitiu a diminuição de leitos.

Leia Também:  Está no ar a nova edição do fazine da BBP para o público infantil

TCE – O secretário Beto Preto, o diretor de Gestão em Saúde da Sesa, Vinícius Filipak, e o diretor do Complexo Hospitalar do Trabalhador, Geci Labres de Souza, também estiveram nesta sexta-feira com o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Fernando Augusto Guimarães, para discutir pontos da continuidade da prestação de serviços pelos profissionais, respeitando as orientações dos órgãos de controle e a legalidade dos procedimentos.

“É importante ressaltarmos que desde o início da pandemia nenhum paranaense que precisou de um leito ficou desassistido. Tínhamos a estratégia de desativação segura com a queda de casos e agora com o novo aumento voltaremos a disponibilizar estes leitos, não só na Capital como no interior do Estado, lembrando que o recurso é finito. A melhor prevenção ainda é evitar aglomerações, respeitar o distanciamento social e manter as medidas sanitárias”, acrescentou o secretário.
EQUIPAMENTOS – A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) cedeu ainda 12 respiradores e 12 monitores para a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, possibilitando a ativação de 10 leitos no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie nesta sexta-feira (20).

Leia Também:  Governo reativa 573 leitos exclusivos para infectados pelo coronavírus

Além disso, a Sesa enviou mais 20 monitores ao Hospital Municipal de Foz do Iguaçu e conseguiu, em parceria com o Ministério da Saúde, 20 respiradores, que irão viabilizar mais leitos de UTI na unidade.
ATENDIMENTO EXCLUSIVO – A Sesa adotou a estratégia de atendimento exclusivo a pacientes suspeitos e/ou confirmados com a Covid-19 em 26 de março. Inicialmente o plano contemplava 264 leitos, sendo 52 de UTI e 212 de enfermaria. Atualmente o Paraná soma 2.199 leitos, sendo 944 de UTI adulto, 1.199 enfermaria adulto, 22 UTI pediátrica e 34 enfermaria pediátrica.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Portos do Paraná redobram a atenção no combate à pandemia

Publicados

em

Por


As ações adotadas pela empresa Portos do Paraná desde março para prevenção e combate da Covid-19 continuam e devem ser intensificadas. Novas estratégias de reforço foram debatidas nesta sexta-feira (04), com participação do Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), Sindicato dos Trabalhadores Portuários (Sintraport) e a Intersindical, que reúne os sindicatos dos estivadores, capatazia, conferentes de carga, arrumadores, trabalhadores do bloco, vigias e práticos do Estado.

Os procedimentos adotados desde o início da pandemia, em março, estão mantidos nos portos de Paranaguá e Antonina. As triagens iniciais de saúde seguem acontecendo 24 horas, com atendimento médico especializado. Também são disponibilizados álcool em gel, novas torneiras, sabão antisséptico, chuveiros e lava-pés com hipoclorito de sódio.

“As equipes de enfermagem realizaram mais de 1 milhão de aferições, aplicando o questionário de segurança em todos os trabalhadores que acessam as áreas portuárias. A estrutura montada no início da crise foi mantida e agora contamos com cada trabalhador para redobrar a prevenção”, explica Luiz Fernando Garcia, diretor-presidente da Portos do Paraná.

Leia Também:  Copel recebe Selo Sesi ODS com ações de combate à pandemia

A parceria entre sindicatos e operadores portuários tem sido essencial para dar segurança aos trabalhadores e suas famílias. “A doença é grave e exige o esforço conjunto. Todos precisam fazer sua parte, seja em casa ou em serviço”, alertou Garcia.

O OGMO Paranaguá anunciou a disponibilidade de um ônibus extra, nos horários de pico, para o transporte seguro dos trabalhadores portuários autônomos. O órgão faz o monitoramento constante dos mais de 2 mil Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs).

“Temos tomado as ações necessárias para que o trabalhador se sinta protegido e as operações portuárias não parem. Mantemos um canal de comunicação com todos, em que mais de 90% diz se sentir seguro dentro do porto, com as ações adotadas em conjunto”, ressalta o gerente operacional do OGMO, Manuel Rubens de Magalhães Filho.

Para João Antonio Lozano, presidente do Sindicato dos Estivadores e da Intersindical Portuária, o momento é de união e alerta. “É fundamental que todos entendam e colaborem. Não adianta o porto, operador portuário, OGMO adotarem medidas de prevenção se o trabalhador não usar máscara, lavar as mãos, manter distância”, reforça.

Leia Também:  BRDE libera R$ 191,9 milhões a cooperativas agrícolas paranaenses

“Hoje os trabalhadores se sentem mais seguros dentro do porto do que fora. Meu pedido é para que todos façam a prevenção e a mantenham também nos momentos de descanso. Juntos podemos vencer a Covid”, disse Lozano.

CUIDADOS – Além das medidas já adotadas, os portos do Paraná devem intensificar as campanhas de comunicação. A biometria para entrada no cais será mantida, seguindo determinação da Receita Federal e Cesportos.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo