Política Estadual

EPL vai detalhar aos deputados estudo sobre novo modelo de pedágio no Paraná

Publicados

em


.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) confirmou na quarta-feira (1º) que representantes da EPL (Empresa de Planejamento e Logística) vão explicar na Assembleia Legislativa do Paraná, em audiência a ser ainda marcada a data, os estudos sobre a nova modelagem de concessão das rodovias paranaenses. Os deputados querem acesso aos detalhes sobre a forma de contratação das concessionárias e as cobranças de tarifa.

Romanelli defende que a EPL apresente informações para garantir transparência e lisura no processo de licitação. As atuais concessões vencem em novembro de 2021.

“Por 24 anos os paranaenses estão pagando as tarifas mais caras de pedágio do País. Não podemos admitir que uma nova concessão seja permitida, sem que antes se discuta com os deputados e a sociedade paranaense as obras que serão executadas e os valores praticados pelas concessionárias”, disse Romanelli.

Esclarecimentos – O deputado afirmou que a direção da empresa responsável pelos estudos entrou em contato para prestar esclarecimentos sobre a nova modelagem das concessões. Segundo a direção, os estudos ainda não estão concluídos, o que deve acontecer somente em agosto.

“A direção da EPL disse que faz absoluta questão de dar toda a transparência, e muito especialmente a esse parlamento, sobre os estudos que estão desenvolvendo. É de extrema importância que tenhamos conhecimento sobre os critérios adotados pelo Estado e a União, para que os paranaenses não paguem as tarifas de pedágio mais caras do Brasil por mais 30 anos”.

Leia Também:  Deputados lamentam tragédia ocorrida neste domingo (2) na BR-277

Debate — Romanelli observa que é importante promover debates sobre a questão do pedágio entre os deputados estaduais e federais e o Governo do Estado e a União, além de realizar audiências públicas para ouvir a sociedade paranaense.

A EPL disse estar à disposição dos deputados para fazer uma conferência e apresentar balanço de como estão os estudos e receber propostas. “Vamos utilizar um espaço da sessão para que possamos ouvir a EPL e fazer questionamentos ou sugestões em relação ao pedágio. Porque o que não podemos aceitar é um novo pedágio caro e ainda aguentar essa conta por mais 30 anos”.

Estudos — A EPL atua em parceria com o IFC (Corporação Financeira Internacional), braço de projetos do Banco Mundial. Os estudos serão apresentados ao Ministério da Infraestrutura assim que estiverem concluídos.

Romanelli reforça a importância do debate amplo sobre o assunto, para evitar que as novas concessões sejam praticadas por meio de valores abusivos das tarifas de pedágio. Segundo ele, os deputados anseiam pela transparência prévia sobre a nova modelagem de contratos que virão a ser celebrados.

“Tendo em vista que os atuais contratos reconhecidamente foram superfaturados, é necessário total transparência. Isso é extremamente importante”.

Leia Também:  Definidos o presidente e o relator da Comissão Especial da PEC sobre a Ponte de Guaratuba

Modelo — O novo modelo de pedágio no Paraná, que ainda não é de total conhecimento dos deputados, prevê a privatização de 3,8 mil quilômetros de rodovias, que serão divididos em oito lotes, cada um com cerca de 500 quilômetros.

Atualmente, são seis os lotes de rodovias do Anel de Integração. A nova proposta não atende ao que o Governo previa, deixando 300 quilômetros de fora. Por outro lado, aumenta em 1,3 mil km o trecho de rodovia a ser pedagiado.

A nova concessão será pelo período de 30 anos, seis a mais que os atuais, de 24 anos. “Isso tudo ainda precisa ser debatido pelos deputados e pela sociedade paranaense. Sabemos que a quantidade de obras propostas impacta diretamente nos valores a serem cobrados, mas não podemos aceitar tarifas abusivas como as que têm sido praticadas nas últimas duas décadas e meia”.

Os estudos elaborados pela EPL foram orçados em R$ 60 milhões O governo federal vai analisar as propostas, que depois serão apresentadas e debatidas em audiências públicas. A estimativa é de que, ainda nos primeiros meses de 2021, o resultado comece a ser divulgado.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Estadual

Soldado Fruet cobra solução para viaturas paradas em oficinas

Publicados

em

Por


.

O deputado estadual Soldado Fruet (PROS) cobrou, na sessão remota desta segunda-feira (3), que o Governo do Estado adote providências para agilizar o conserto de viaturas policiais. “Há muitas regiões, como Foz do Iguaçu e outras cidades pequenas, com problema de manutenção de viaturas. Houve a licitação, sei que é burocrático até que comece o empenho do dinheiro, mas tem várias viaturas paradas em oficinas que já haviam sido empenhadas, mas o empenho foi cancelado porque acabou o contrato e tem uma nova empresa”, relatou, referindo-se ao término do contrato emergencial de gestão da frota do Executivo com a Maxifrota e ao novo, assinado com a empresa Prime Consultoria e Assessoria Empresarial.

“Tem cidades pequenas que, se não fosse a boa vontade dos empresários, não teria viatura. Para se ter uma ideia, aqui em Foz do Iguaçu, das doze viaturas, oito estão na oficina”, apontou. “É segurança pública. São viaturas que rodam 24 horas por dia, não podemos depender de certas burocracias”, ressaltou, lembrando que a questão da manutenção da frota já foi motivo de uma CPI na Assembleia Legislativa, proposta e presidida por ele.

Leia Também:  Definidos o presidente e o relator da Comissão Especial da PEC sobre a Ponte de Guaratuba

Em abril deste ano, o plenário aprovou o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito da JMK, que pediu o indiciamento de 19 pessoas por crimes contra a Lei de Licitações e atos de improbidade administrativa no contrato de gestão da frota do Executivo vigente entre janeiro de 2015 e maio de 2019. “Espero que não volte o mesmo imbróglio para não deixar as viaturas paradas e sem atender a população paranaense”, afirmou o deputado.

O Líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD), agradeceu o Soldado Fruet pelo questionamento e informou que já conversou sobre a situação com o secretário da Administração, Marcel Micheletto. “O deputado Fruet levantou com muita propriedade a questão. Existe um probleminha burocrático que será superado. Agradecemos Vossa Excelência, essa intervenção é benéfica e importante, ajuda o governo a melhorar, mas providências serão tomadas pelo secretário ainda nesta semana no sentido de que a frota seja agilizada”, prometeu Bakri, ressaltando que a Secretaria da Fazenda irá autorizar os recursos necessários para consertar os veículos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo