Política Estadual

Emergência hídrica na Região Metropolitana de Curitiba será debatida em audiência pública

Publicados

em


.

A estiagem prolongada e suas consequências, como o rodízio no abastecimento de água que afeta Curitiba e os municípios da Região Metropolitana, serão temas da audiência pública on-line “Emergência Hídrica e o Abastecimento de Água na Região Metropolitana de Curitiba”, que será realizada no dia 13 de agosto, a partir das 9h30, na Assembleia Legislativa do Paraná.

A proposta foi definida após uma videoconferência realizada, nesta quinta-feira (30), entre o presidente da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais, deputado estadual Goura (PDT), e o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Júlio Cesar Gonchorosky.

Situação grave – “A emergência hídrica que estamos vivendo é muito grave. É preciso que a sociedade tenha acesso a todas as informações sobre quais medidas estão sendo tomadas para resolver o problema”, disse Goura. “Também precisamos saber e apontar soluções para que esta situação não se repita futuramente.”

O deputado explica que a audiência pública vai permitir um debate amplo com a participação de representantes do Governo do Estado, da Sanepar, dos consumidores e de outros interessados em aprofundar as discussões sobre as causas e as soluções para a crise hídrica.

Leia Também:  Presidente da Comissão de Turismo da Assembleia pede a ministro medidas para estimular a retomada do turismo

Audiência Pública – O diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar diz que essa audiência pública vai tornar pública as ações da empresa no enfrentamento da crise hídrica e detalhar os critérios que determinam como funciona o rodízio no abastecimento de água na Região Metropolitana de Curitiba.

“É uma estiagem histórica e os volumes de chuvas estão 60% inferiores à média histórica nos últimos meses. O rodízio é uma necessidade e pelo atual cenário se prolongará por pelo menos mais um ano”, alertou Gonchorosky. “Por isso, esta audiência pública será fundamental para esclarecer todos sobre o problema.”

La Niña – Segundo o diretor da Sanepar, o cenário não é otimista e as previsões apontam para o prolongamento da estiagem para os próximos meses. “Mesmo no período de que seria de chuvas, a partir de outubro, as previsões apontam baixos níveis de chuvas, por conta do fenômeno chamado de La Niña”, explica.

Gonchorosky disse os níveis dos quatro reservatórios de água para abastecimento público registram, neste 30 de julho, a preocupante média de 40,72%. “E a perspectiva de que possa a vir melhorar nos próximos meses não condiz com a realidade”, diz ele.

Leia Também:  Deputado cobra explicações da Agepar e do DER sobre acidente na BR-277

Níveis baixos – Na Barragem do Iraí, a primeira a ser utilizada pela Sanepar, o nível é de 11,17%, na do Passaúna, o nível é de 34,29%; em Piraquara I, 20,76%; e Piraquara II, que é a última a ser utilizada, está com 99,66%. “Nos últimos 10 anos, as barragens não tiveram níveis tão baixos.”

Rodízio – Desde março, Curitiba e a Região Metropolitana tem enfrentado o rodízio no abastecimento de água. “Com o rodízio, as regiões definidas ficam um dia sem água e quatro com água”, explica Gonchorosky. “É necessário e importante que se economize água. Se não for feito isso, em pouco tempo teremos racionamento, uma situação muito pior para as pessoas.”

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Estadual

Nutricionista lista os alimentos que ajudam na imunidade e reagem às infecções, entre elas as causadas pelo coronavírus

Publicados

em

Por


.

Você deve saber que uma alimentação saudável, relacionada a um estilo de vida ativo, pode prevenir uma série de doenças. Mas consegue imaginar que os alimentos ricos em determinadas substâncias podem definir a forma com que seu corpo vai reagir às infecções, entre elas a da Covid-19, causada pelo coronavírus? Estas questões serão respondidas pela nutricionista Adriana Zadrozny no programa Assembleia Entrevista da TV Assembleia.

Mestre em Fisiologia Humana, Adriana explica quais os alimentos mais indicados para encarar os longos dias em casa durante a pandemia. “Algo que nos tem preocupado é a falta de radiação solar, estamos tomando muito pouco sol. Esta menor síntese de vitamina D em nossos organismos predispõe processos de ordem depressiva que, por sua vez, podem alterar o comportamento alimentar”, exemplifica.

Segundo ela, as pessoas têm buscado mais alimentos processados e industrializados, mais práticos, porém mais ricos em gorduras e açúcar. “Um estudo australiano com crianças obesas, comparando o padrão alimentar de um ano atrás e de agora, mostra que em média elas fazem uma refeição a mais por dia” alerta a nutricionista. 

Leia Também:  Assembleia Legislativa recebe câmera termográfica da Unale para aferição de temperatura

Adriana Zadrozny afirma que um conjunto de fatores resultam em um quadro imunológico adequado para que o corpo lide com situações como a da pandemia do Coronavírus. Entre os alimentos mais indicados para isto, estão a cúrcuma, a canela, a couve-flor, brócolis, repolho e couve de Bruxelas, ricas em vitamina C e substâncias anti-inflamatórias. 

“Mas não se pode depositar nossa confiança somente nisso. Temos uma imunidade indireta, os produtos fermentados criam uma condição intestinal que melhora a absorção de subprodutos da dieta que potencializam o sistema imunológico, é uma cadeia que melhoram a imunidade”, frisa.

Alimentos como kefir e vegetais orgânicos potencializam o crescimento de bactérias intestinais benéficas, com função probiótica. “Os vegetais orgânicos oferecem ao organismo o que eles nutricionalmente podem oferecer”, diz, lembrando que o vegetal não orgânico pode conter produtos tóxicos em sua proteção.

A nutricionista explica ainda que alimentos reduzem a alcalinidade sanguínea. “É algo conhecido por todos, mas pouco aplicado. Temos uma oportunidade muito rara de olharmos com mais atenção nossas geladeiras e nossas escolhas e tentar que algo de bom aconteça do ponto de vista alimentar a partir de agora”, completa.

Leia Também:  Projeto que combate preços abusivos de produtos utilizados no combate à Covid-19 avança na Assembleia

Assembleia Entrevista – A íntegra da entrevista com a nutricionista Adriana Zadrozny, além de muitas outras entrevistas já feitas pelo programa Assembleia Entrevista, pode ser conferida pela TV Assembleia através do canal aberto 20.2 e 16 pela Claro/Net, além do canal do Youtube pelo link: https://bit.ly/3k705Ag

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo