Novo Cantu - Brasil

Em Goiânia, Menino é queimado com ferro quente porque mãe tinha dívida de drogas

Publicados

em

Em Goiânia, Menino é queimado com ferro quente porque mãe tinha dívida de drogas

 

Um menino de 11 anos foi marcado com um ferro quente após a mãe dele não pagar dívida de drogas, segundo informou o Conselho Tutelar de Goiânia. O garoto foi resgatado pela equipe da região leste da capital junto com a irmã, de 9 anos, e os dois foram levados a um abrigo, nesta sexta-feira (25).

O conselheiro tutelar James da Silva Barbosa contou que recebeu denúncias anônimas dessa situação e foi até a casa das crianças para buscá-las. Ele as levou até o conselho, onde elas foram ouvidas, ao Instituto Médico Legal (IML) onde o menino passou por exames que confirmaram a tortura, e depois ao abrigo.

O garoto foi raptado por esses traficantes que o mantiveram em cárcere privado por três dias, até ele conseguir fugir. […] A criança relata que foi marcada por ferro quente por duas vezes e que estavam ameaçando degolá-la caso a dívida não fosse paga”, afirmou.

Segundo Barbosa, a mãe das crianças não estava em casa no momento que os irmãos foram resgatados pelo Conselho e o pai delas foi morto a facadas há cerca de cinco anos, também por causa de dívida de drogas.

Ainda de acordo com ele, horas mais tarde a mãe apareceu, confirmou a história do filho e disse que também está sendo ameaçada de morte, mas se recusa a sair de casa.

O menino demonstra muito medo de ser morto sendo degolado, mas ficou feliz em ser abrigado, porque disse que sente que vai estar seguro”, acrescentou.

Conforme o conselheiro, o caso foi registrado na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). A delegada titular da unidade, Paula Meotti, disse que essas situações sempre são investigadas pela Polícia Civil.

 

Falta de estrutura

O conselheiro disse que a urgência do caso exigiu que ele usasse o próprio carro para buscar as crianças, já que não tinha um veículo do conselho disponível. Ainda segundo ele, o veículo chegou horas depois da solicitação.

Imagens feitas na unidade mostram que a estrutura do local está precária, com paredes rachadas e vazamentos.

Outra profissional da unidade disse que a equipe precisa de novos membros para que consigam atender às demandas. “Precisamos de ao menos mais dois administrativos, uma assistente social e uma psicóloga”, avaliou a conselheira Ana Amélia Tavares

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) informou, por meio de nota, que “possuí uma frota de 6 veículos para atender as demandas dos conselhos tutelares de Goiânia, tendo como déficit 3 motoristas, situação que deve ser regularizada nos próximos 20 dias”.

Também de acordo com o texto, “uma área própria na região está sendo analisada, para sua transferência”, já que o local apresenta problemas estruturais. Sobre a falta de pessoal, a Semas acrescentou que os atendimentos devem ser encaminhados para o Centro de Referência em Assistência Social (Creas) Leste.

 

Fonte: G1 Goiás

Leia Também:  Heterossexual 'está virando minoria', diz ministro do STJ
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Novo Cantu - Brasil

TRF3 nega habeas corpus a Joesley e Wesley Batista

Publicados

em

Por

TRF3 nega habeas corpus a Joesley e Wesley Batista

 

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), em São Paulo, negou hoje (15) os pedidos de habeas corpus impetrados pelos advogados de defesa de Wesley Batista e Joesley Batista, do grupo J&F. O pedido de habeas corpus se refere à investigação dos irmãos no processo que apura se eles teriam usado informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro.

Hoje à tarde, a partir das 16h, ocorre a audiência de custódia de Joesley Batista, na Justiça Federal. O executivo, que estava preso na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, chegou a São Paulo no fim da manhã de hoje.

A transferência foi feita por ordem do juiz João Batista Gonçalves, da 6ª Vara Federal de São Paulo, referente à Operação Tendão de Aquiles, que investiga a venda de ações de emissão da JBS S/A na Bolsa de Valores e à compra de contratos futuros e a termo de dólar no mercado financeiro. As transações foram feitas em abril e maio, antes da divulgação dos áudios de conversas de Joesley Batista com o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, que levaram a denúncias contra ambos.

Em nota, os advogados de Joesley e Wesley Batista disseram que vão recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ) ainda hoje. “A própria decisão reconhece a ausência de fato novo apto a justificar a prisão. A inexistência de qualquer outro preso preventivo no Brasil pela acusação de insider trading revela uma excepcionalidade no mínimo curiosa”, argumenta a defesa.

 

Fonte: Congresso em Foco

Leia Também:  Ex-morador de Quarto Centenário mata mulher e põe fogo no corpo em SP
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo