Política Nacional

Eduardo Bolsonaro posta foto do nascimento da filha: “Bebê mais lindo que já vi”

Publicados

em


source
Eduardo Bolsonaro filha
Reprodução / Facebook

Geórgia nasceu há uma semana e Eduardo Bolsonaro recordou momento compartilhado foto do parto

O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) , compartilhou pela primeira vez uma imagem da filha Geórgia nas redes sociais. A criança nasceu há uma semana, em um parto natural e humanizado. Na imagem, Eduardo aparece ao lado da esposa, psicóloga Heloísa Wolf e da equipe médica.

“Há 1 semana Heloísa começou a sentir contrações a noite, a Enfermeira Fernanda Bittencourt @fefe_sb veio à nossa casa e depois de madrugada fomos ao hospital. As contrações ficaram mais fortes, Heloísa sofreu, mas foi forte, segurou a onda. Tive pena dela, mas não havia o que eu pudesse fazer e sabia que depois viria a bonança. Cerca de 2 horas depois nascia nossa princesa de parto natural”, relembrou Eduardo.

Leia Também:  Aliados de Lula e Ciro ficam em dúvida se aliança para 2022 será mesmo formada

Pai de primeira viagem, Eduardo Bolsonaro  diz que ainda se emociona ao lembrar do momento em que Geórgia chegou ao mundo.

“Impossível não se emocionar – até escrevendo isso e relembrando me seguro. Ficamos felizes porque ela veio com muita saúde e tudo deu certo”.

O deputado agradeceu as orações e mensagens recebidas em apoio à nova fase. Nos comentários, diversos apoiadores falaram sobre como o “milagre da vida” é importante e transformador na vida das pessoas e parabenizaram o casal. 

Leia o relato completo:


COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

A partir de hoje, candidatos só podem ser presos em flagrante

Publicados

em

Por


source

Agência Brasil

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno
Foto; José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno

A partir deste sábado (31), nenhum candidato às eleições 2020 pode ser preso ou detido, a não ser em casos de flagrante.

Segundo o Código Eleitoral, a imunidade para os concorrentes começa a valer 15 dias antes da eleição. Já eleitores não poderão ser presos cinco dias antes das eleições, ou seja, a partir do dia 10, exceto em flagrante delito; em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável; e por desrespeito a salvo-conduto.

A regra para ambos os casos vale até 48 horas antes depois do término do primeiro turno.

Ainda pelo calendário eleitoral, hoje também é o último dia para a requisição de funcionários e instalações destinadas aos serviços de transporte de eleitores no primeiro e eventual segundo turnos de votação. 

Leia Também:  Aliados de Lula e Ciro ficam em dúvida se aliança para 2022 será mesmo formada

Este ano por causa da pandemia do novo coronavírus uma emenda constitucional, aprovada pelo Congresso Nacional, adiou as eleições de outubro para 15 e 29 de novembro, o primeiro e o segundo turno, respectivamente.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo