Política Estadual

Deputado destaca o esforço para eliminar a sífilis congênita no Paraná

Publicados

em


O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou, nesta quinta-feira (15), o esforço conjunto dos prefeitos e prefeitas e secretários e secretárias municipais de Saúde para eliminar a sífilis congênita no Paraná. O anúncio foi feito oficialmente pelo secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, com base nos dados divulgados pela Divisão de Infecções Sexualmente Transmissíveis da SESA.

Romanelli enfatiza que essa é uma grande conquista para a Saúde do Paraná, que ao todo tem 134 localidades livres da doença. Ele agradeceu especialmente aos profissionais de saúde que atuam na Atenção Primária e fazem o primeiro atendimento ao paciente nos pequenos e grandes municípios. “Junto com os prefeitos e prefeitas e todos os profissionais de saúde, temos nos esforçado para que várias doenças sejam mantidas sob controle ou até mesmo eliminadas, como é o caso da sífilis congênita. No combate ao coronavírus, esses profissionais são os heróis, que conseguem manter a taxa de contaminação em queda em todo o Estado”, destaca o deputado.

Sífilis — Celebrado no terceiro sábado de outubro (17), o Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita esse ano terá um motivo a mais para ser comemorado. A sífilis congênita é transmitida pela mãe ao bebê durante a gestação, via placentária. No ano passado, o Governo do Paraná lançou uma certificação como forma de fortalecer a capacidade e qualidade dos serviços de saúde de pré-natal e na maternidade.

Leia Também:  Proposta de privatização de unidades básicas de saúde é repudiada por deputado

Apesar dos números favoráveis, Romanelli alerta que o enfrentamento à doença deve ser contínuo e ampliado. Para ele, é necessário que os gestores de saúde dos municípios adotem todos os cuidados necessários para implantar ações que levem a manter a sífilis eliminada nos municípios que já conquistaram essa certificação e criar medidas nos municípios onde a doença ainda está com números crescentes de contaminados.

O deputado explica que o requisito adotado para a certificação da Sífilis Congênita no Paraná é a taxa de incidência de 1,5 caso a cada mil nascidos vivos nos últimos três anos, além da proporção menor que 20% das crianças menores de 1 ano com sífilis congênita nos últimos 3 anos e a proporção de 80% das gestantes com tratamento adequado para sífilis nos 2 últimos anos, entre outros.

“A prevenção é a melhor forma de combater a doença. Por isso, a gestante deve ser constantemente monitorada, com testagem e consultas periódicas”, avalia. Outra forma de combater a sífilis é orientar a população em geral para o uso da camisinha como forma de proteção às infecções por doenças sexualmente transmissíveis, o que envolve um esforço conjunto e diário dos profissionais de saúde do Estado.

Leia Também:  Assembleia começa a debater projeto que prevê a extinção da Imprensa Oficial

No ano passado, a taxa de detecção de sífilis adquirida por 100 mil habitantes no Paraná foi de 92,13%. De sífilis em gestante foi de17,1%; e de sífilis congênita de 5,8%. Neste ano, até o momento, a taxa para sífilis adquirida por 100 mil habitantes é de 20,72%, de sífilis em gestante é de 6,7%; e de sífilis congênita 2,6%.

Na mesorregião do Norte Pioneiro, destaca o deputado, são 22 municípios que conquistaram condições para certificação para eliminação da sífilis congênita. São eles: Guapirama, Jaboti, Japira, Joaquim Távora, Jundiaí do Sul, Leópolis, Nova América da Colina, Nova Fátima, Nova Santa Bárbara, Pinhalão, Quatiguá, Salto do Itararé, Santa Amélia, Santa Cecília do Pavão, Santa Mariana, Santo Antônio do Paraíso, São Jerônimo da Serra, São José da Boa Vista, São Sebastião da Amoreira, Sertaneja, Siqueira Campos e Tomazina, além de Moreira Sales, Santa Mônica e Santo Antônio do Caiuá, no Noroeste do Estado.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Estadual

Pato Branco recebe o título de Capital Tecnológica e Inovadora do Paraná

Publicados

em

Por


O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou na última terça-feira (27) a Lei 20363/2020, concedendo a Pato Branco o título de Capital Tecnológica e Inovadora do Paraná, reconhecendo o importante papel da cidade no setor tecnológico e desenvolvimento sustentável. A lei sancionada também prevê que seja inserida no calendário de eventos oficiais do Estado a comemoração do título durante a Semana de Tecnologia e Inovação, celebrada anualmente entre os dias 16 e 22 de outubro.

A proposta foi apresentada na Assembleia Legislativa do Paraná pelo deputado estadual Luiz Fernando Guerra (PSL), e aprovada no início de outubro. “Pato Branco investe em tecnologia há muito tempo e, sem dúvida, obter esse reconhecimento oficial de Capital Tecnológica e Inovadora do Paraná é muito importante, pois a cidade realmente tornou-se um polo regional de inovação, com repercussão nacional e internacional. Ao mesmo tempo os índices de desenvolvimento municipal apontam que o apoio à inovação foi o caminho certo a ser adotado, servindo de exemplo para todo o Estado”, reforçou o parlamentar.

Pato Branco é referência em tecnologia há alguns anos, se destacando como um polo regional de educação, com mais de 90 cursos e indústrias de softwares, aparelhos e componentes eletrônicos. A ligação da cidade com a tecnologia iniciou-se há 20 anos, com a implantação do antigo Cefet, atual Universidade Tecnológica Federal (UTFPR), e fortaleceu-se com a criação, no ano de 2013, da primeira Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado.

Leia Também:  Semana de Combate à Pirataria e Biopirataria é lei no Paraná

A vocação para a inovação tornou-se realidade com a instalação do Parque Tecnológico no município no ano de 2016. Atualmente a estrutura abriga 19 empresas incubadas, três em processo de instalação, além de cinco empresas nos laboratórios industriais, gerando 141 empregos, entre estagiários, empresários e funcionários.

Iniciativas empreendedoras também contribuíram para que o município se destacasse na área tecnológica, como a organização da Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação – Inventum, realizada desde 2013. O evento, o maior deste tipo no Estado, é uma iniciativa de diversas entidades e mostra a produção científica, tecnológica e as inovações geradas em Pato Branco nesta área. No ano de 2017 em paralelo à Inventum, a cidade foi a primeira do interior de um país a abrigar a Campus Party, um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do mundo, no formato de Campus Weekend.

Destaque – A tecnologia e a inovação fazem parte do dia a dia dos pato-branquenses, que têm à disposição internet livre e árvore digital na praça central; o programa Clique Conhecimento, com tablets para alunos dos 4º e 5º anos; rede de fibra ótica, prontuário eletrônico integrado na Saúde; oficinas de robótica nas escolas; obras de mobilidade urbana; inovação na coleta do lixo; entre outras iniciativas.

Leia Também:  Assembleia aprova projeto que institui diretrizes para inclusão de autistas

Por esses e outros motivos, Pato Branco é reconhecida, desde 2015, como Cidade Digital pela Rede Cidades Digitais; e foi considerada a quinta cidade mais inteligente do País em 2017, segundo um ranking elaborado pela Urban Systems divulgado pela Revista Exame, considerando municípios com até 100 mil habitantes. Cidades inteligentes é um conceito que vem ganhando força em todo o mundo nos últimos anos. A proposta envolve o desenvolvimento de projetos sustentáveis e inovadores, com o uso da tecnologia, e que ajudam a melhorar a mobilidade urbana, o atendimento à saúde, a qualidade do ensino e o desenvolvimento urbano.

As conquistas do investimento feito em inovação dão frutos ao longo dos anos. Pato Branco é hoje uma das cidades mais desenvolvidas do País, ocupando as primeiras colocações em diversos rankings divulgados anualmente. Entre os 5.570 municípios brasileiros avaliados no Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) de 2015, a cidade ocupava a 7ª posição do Paraná e a 51ª posição nacionalmente. O índice tem como base principal de análise as áreas de saúde, educação e geração de emprego e renda. No IFDM mais recente, divulgado em 2018, e que avaliou o desempenho referente ao ano de 2016, o município conquistou o 4º maior IFDM do Estado e subiu para a 19ª colocação nacionalmente.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo