Saúde

Covid-19 já causou mais de 14 mil mortes no estado do Rio

Publicados

em


.

O número de vítimas da covid-19 no estado do Rio de Janeiro chegou hoje (7) a 14.028, com o acréscimo de mais 87 mortes no boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde.

Desde o início da pandemia, em março, o estado do Rio de Janeiro registrou 175.696 casos da doença, sendo 1.632 novos diagnósticos divulgados no balanço desta sexta-feira. O número de pessoas que se recuperaram chegou a 156.785, e 985 mortes estão em investigação por sua possível relação com o coronavírus.

A cidade do Rio de Janeiro já confirmou 73.855 casos, e os bairros com mais infecções até quinta-feira eram Copacabana, na zona sul, e Campo Grande e Barra da Tijuca, na zona oeste. Já em relação aos óbitos, o município soma 8.596, com mais vítimas nos bairros de Campo Grande, Bangu e Copacabana.

São Gonçalo é a segunda cidade do estado com mais vítimas da doença, com 600 mortes e 9.228 casos confirmados. Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, teve o terceiro maior número de óbitos, com 591 dentro de 6.548 infecções confirmadas desde o início da pandemia.

Leia Também:  SP registra 7.393 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Fora da região metropolitana, a cidade que contabiliza mais casos é Macaé, com 6.056 infecções. Quando analisados os óbitos, o maior número é registrado por Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, onde 228 pessoas morreram em decorrência da doença. 

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Brasil terá maior fábrica de vacinas da América Latina

Publicados

em

Por


.

A Fundação Oswaldo Cruz e a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) assinaram hoje (17) acordo para instalação da maior fábrica de vacinas da América Latina. O Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde vai ocupar uma área de 580 mil metros quadrados e terá capacidade de produção de 120 milhões de frascos de vacinas e biofármacos por ano e será instalada em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro.

As vacinas contra meningite, hepatite e tríplice bacteriana, que atualmente são importadas, vão passar a sair do polo. O acordo prevê a construção de nove prédios e a inauguração está prevista para 2023 e deverá gerar cinco mil empregos diretos. O complexo será responsável por toda produção de vacinas da Fiocruz, inclusive a de covid-19, quando esta for aprovada.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Covid-19: em uma semana casos caem 30% e mortes 13%
Continue lendo