Carros e Motos

Conheça o EQC 4×4², veículo elétrico off-road da Mercedes-Benz

Publicados

em


source
Mercedes-Benz EQC 4x4²
Divulgação

O novo SUV off-road EQC 4×4² é o futuro veículo robusto com tecnologia totalmente eletrificada da linha Mercedes-Benz


A Mercedes-Benz está cada vez mais empenhada em investir em veículos elétricos de luxo em vários segmentos de mercado. Agora, a montadora alemã apresentou um modelo-conceito de aventura: o novo SUV off-road EQC 4×4², futuro veículo robusto com tecnologia totalmente eletrificada.


“O nosso objetivo é combinar modernidade e sustentabilidade com apelo emocional. O EQC 4×4² visa trazer mobilidade sustentável para atividades de lazer agradável”, afirma a empresa. “Este conceito destina-se a um estudo de dirigibilidade da e-mobilidade da Mercedes-Benz que busca a liderança também neste segmento de veículo”.

O modelo 4×4² foi desenvolvido pela montadora a partir do também SUV elétrico EQC 400 4MATIC já existente e que foi modificado para atender às características de um legítimo off-road. Ele é duas vezes mais alto que o EQC de produção. Ambos são originários do modelo convencional GLC.


Para dirigir no modo fora-de estrada, o conceito da Mercedes-Benz tem freio direcional para realizar curvas com alto torque adequando-se ao terreno. Os seus pneus no tamanho 285/50 R 20 proporcionam melhores padrões de segurança em situações radicais de uso na terra, no barro e na areia, além de dirigibilidade em áreas alagadiças. Tem 29,3 cm de altura em relação ao solo e é capaz de rodar combinando potência de 21,3 a 20,2 kWh a cada 100 quilômetros, com zero emissão de CO2.

Leia Também:  NASA mostra moto movida  pelo vento com turbinas nas rodas

Outro destaque do EQC 4×4² é a sua proposta sonora, trazendo sons da própria paisagem para dentro do carro, de acordo com a Mercedes-Benz. Parâmetros como a posição do pedal do acelerador, velocidade ou taxa de recuperação de energia do carro são processados por algoritmos e transmitidos em tempo real pelos alto-falantes no interior do veículo.

A aparência visual é impressionante complementada pelo carro filmado na cor cinza metálico fosco e pelos faróis e rodas na tonalidade preta, como mostra a sequência de imagens.

Por enquanto o SUV revelado é concentual e não está à venda. No entanto, o modelo deverá entrar em produção num futuro breve para acompanhar a nova tendência de veículos aventureiros elétricos que serão lançados até 2021 como o GM Hummer EV e o novato SUV R1S da startup Reviam.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Carros e Motos

Veja 5 versões do Volkswagen Polo que não tivemos no Brasil

Publicados

em

Por


source

O Volkswagen Polo surgiu em 1975 como uma versão mais modesta do Audi 50, um hatch compacto criado naquele mesmo ano para ocupar uma posição abaixo do Golf no mercado. Atualmente, o modelo está em sua sexta geração e segue como um dos mais vendidos pela marca no mundo. Além da Europa, é produzido atualmente também em países como Brasil, China e África do Sul.

No mercado brasileiro, o Volkswagen Polo chegou pela primeira vez apenas em 1996, na terceira geração. Importado da Argentina na versão sedã Classic, veio para ocupar o espaço deixado pelo Voyage , que saiu de cena com a chegada do Gol “bolinha”. Aqui, era equipado inicialmente com o motor 1.8 AP brasileiro, tendo recebido já perto do final da sua vida, em 2001, uma variação com motor 1.0 16V.

O primeiro Polo brasileiro (4ª geração na Europa) nasceu em 2002 e seguiria em produção até 2014, já que a Volkswagen escolheu não comercializar por aqui o Polo de 5ª geração. O modelo só voltaria ao Brasil em 2017, com o lançamento do carro atual, de 6ª geração. Confira abaixo algumas variações do compacto que nunca tivemos por aqui.

1 – CrossPolo

VW CrossPolo
Divulgação

VW CrossPolo: versão com apelo aventureiro, mas de um jeito mais sofisticado, o que inclui opção de motor a diesel


O Polo de quarta geração foi fabricado em São Bernardo do Campo (SP) nas versões hatch de cinco portas e sedã. Mas embora os carros com visual aventureiro já fizessem sucesso no Brasil dos anos 2000, uma variação que nunca tivemos por aqui foi a CrossPolo , que também era conhecido no exterior por nomes como Polo Dune e Polo Soho.

Leia Também:  Suzuki GT 380, a "perfeitinha"

Como o nome deixa claro, esse CrossPolo cumpria na Europa o papel que era do CrossFox no Brasil, apostando na mesma receita de suspensão elevada e apliques plásticos na carroceria. Só não trazia o estepe na tampa do porta-malas.

2- Volkswagen Polo R WRC

VW Polo R WRC
Divulgação

VW Polo R WRC: com 220 cavalos foi uma versão lançada em alusão ao modelo do Campeonato Mundial de Rali


O Polo de 5ª geração marcou o retorno da Volkswagen para o WRC. Para se adequar às regras do Grupo N, a marca alemã teve que produzir um lote de 2.500 unidades de uma versão de rua do seu carro de rali.

Foi assim que surgiu o Polo R WRC . Além do visual marcado pelos elementos de estética esportiva, trazia sob o capô um motor 2.0 TSI de 220 cv, que era combinado a um câmbio manual de seis marchas. Essa cavalaria permitia ao hatch acelerar de 0 a 100 km/h em 6,4 segundos e atingir 243 km/h de velocidade máxima.

3 – Polo “Ameo”

VW Ameo
Divulgação

VW Ameo era uma espécie de notchback, meio termo entre sedã e hatch, que também não tivemos no Brasil


Assim como a legislação brasileira cobra impostos menores dos carros com motores até 1.0, na Índia a taxação beneficia os carros com menos de quatro metros de comprimento.

Leia Também:  Mitsubishi L200 Triton Sport 2021 estreia a série especial Sertões

Isso deu espaço para a criação de uma categoria de inclui até sedãs “cortados” para caber na medida. Um desses modelos era o Volkswagen Ameo , modelo que era um Polo hatch de 5ª geração que foi adaptado para receber uma curtíssima traseira sedã.

4 – Polo russo

VW Polo
Divulgação

VW Polo com estilo mais arrojado, vendido na Rùssia, é outra variação do modelo que não vimos no Brasil


Enquanto aqui no Brasil a Volkswagen usou a base MQB-A0 do Polo de 6ª geração para desenvolver o Virtus, na Rússia a marca alemã optou por criar uma solução de custo mais baixo.

Chamado apenas de Polo por lá, esse carro usa a base PQ25 do hatch de 5ª geração, combinada com uma carroceria exclusiva, do tipo liftback, que traz elementos dos Volkswagen mais atuais combinada com uma tampa do porta-malas que abre até o teto.

5- Polo GTI

VW Polo GTI
Divulgação

VW Polo GTI europeu é mais sofisticado e rápido que o GTS que temos hoje em dia no Brasil


A versão mais potente do Polo no Brasil é a GTS , que está equipada com um motor 1.4 TSI de 150 cv e permite atingir os 207 km/h de velocidade máxima e acelerar de 0-100 km/h em 8,4 segundos.

Já na Europa, a variação mais apimentada do Volkswagen Polo é a GTI, que é equipada com o mesmo motor 2.0 TSI que era visto nos últimos Golf GTI nacionais, mas calibrado para desenvolver 200 cv. Com este propulsor, que é combinado com um câmbio automatizado DSG de seis marchas e dupla embreagem. O Polo GTI vai a 100 km/h em 6,7 segundos e atinge os 238 km/h de máxima.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo