Política Nacional

Comissão de Direitos Humanos vota projetos e apresenta relatório anual

Publicados

em

A Comissão de Diretos Humanos (CDH) se reúne nesta quarta-feira (4), às 12h, com uma extensa pauta de deliberação, com 59 itens. São 17 requerimentos — principalmente de realização de audiências públicas —, além de 11 sugestões legislativas e 31 projetos.

Entre os projetos, está o PL 4.009/2019, da senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), que pune os motoristas que estacionarem seus veículos no acesso (rebaixamento da calçada) para pedestres, bicicletas e pessoas com deficiência. O texto também penaliza quem estacionar no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, ciclovia ou ciclofaixa. Pelo projeto, esse tipo de infração passa a ser considerada gravíssima.

A senadora paulista, que é cadeirante, explica que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é muito condescendente com esse tipo de comportamento antissocial.

— É desnecessário relembrar os transtornos que essa prática causa, principalmente às pessoas que dependem de cadeiras de rodas para transitar. Também são prejudicados os ciclistas, que têm os mesmos direitos dos pedestres se estiverem empurrando a bicicleta, assim como as pessoas com carrinhos de bebê e aquelas com outros tipos de mobilidade reduzida.

Leia Também:  Toffoli entrega sugestões para dar rapidez a tribunal do júri

Também há dois projetos visando conceder prioridade em programas de aquisição da casa própria, como o Minha Casa, Minha Vida. O PL 4.692/2019, do senador Ciro Nogueira (PP-PI), confere prioridade à vítima de violência doméstica nos programas sociais de acesso à moradia. E o PL 2.902/2019, da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), institui o sistema financeiro para aquisição da casa própria, com a finalidade de dar prioridade à mulher chefe de família.

Balanço

Na primeira parte da reunião da CDH, está prevista a apresentação do relatório de atividades da CDH de 2019, com uma mostra resumida dos principais temas que a comissão debateu neste ano.

Segundo o presidente da comissão, senador Paulo Paim (PT-RS), o relatório é uma maneira de dar transparência aos trabalhos da comissão.

— Temos de mostrar que, em um período de obscurantismo dos direitos humanos, a Comissão de Direitos Humanos do Senado é um farol, um porto seguro para a defesa das minorias.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Leia Também:  Boulos e Erundina podem formar chapa para disputar à prefeitura de São Paulo
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

Após ataque ao irmão, Ciro chama Carlos Bolsonaro de “libélula deslumbrada”

Publicados

em

source
Ciro arrow-options
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Em postagem, Ciro atacou o clã Bolsonaro nas redes sociais

Após o incidente envolvendo o irmão Cid, que tentou invadir quartel da Polícia Militar na cidade de Sobral-CE, Ciro Gomes trocou farpas com Carlos Bolsonaro nas redes sociais neste domingo (23). Após chamar o vereador de “libélula deslumbrada”, o ex-governador cearense disse que o presidente é o “canalha maior”.

Leia também: Ao tentar provar que Terra é plana em experimento com foguete, aventureiro morre

“Libélula deslumbrada, nós aqui no Ceará somos e seremos o pior pesadelo de sua família de canalhas, milicianos e peculatários corruptos . Quanto dinheiro roubado o Queiroz depositou na conta da mulher de seu pai, o canalha maior?”, questionou Ciro.

A resposta aconteceu horas depois de Carlos fazer piada com a situação vivida por Cid. Na publicação, ele chamou os apoiadores do senador de “nariz nervoso e lambedor de beiço”.

Leia Também:  Novas alíquotas de contribuição à Previdência valem em março de 2020

Leia também: Governo vai ao STF para expulsar major da PM reintegrado após furto de caixa

“Sabe aquel(x) senador(x), que não fez corpo de delito porque disseram ser um chupão que tinha na barriga, além de lutar contra você pagar menos tributos (DPVAT)? Agora quer passar por cima de crianças e mulheres com o pessoal do nariz nervoso e lambedor de beiço do Ceará”, escreveu o vereador.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo