Carros e Motos

Chevrolet Onix volta para a ponta na 1ª quinzena de outubro

Publicados

em


source
Chevrolet Onix RS
Divulgação

Chevrolet Onix RS


O Chevrolet Onix finalmente encontrou em 2020 alguns concorrentes capazes de tirá-lo do topo do ranking dos carros mais emplacados. Mas depois do Volkswagen T-Cross, em julho, e da Fiat Strada, em setembro, a perseguição parece ter esfriado e o hatch compacto liderou a relação dos mais vendidos na primeira quinzena de outubro, com 5.793 unidades.

Esfriou, mas nem tanto. A vantagem do Onix para a vice-líder Fiat Strada (5.394) foi de apenas 399 carros, um indicativo de que a briga pela liderança deve ser boa até o final do mês. Fechando o pódio do ranking dos mais vendidos  aparece o Volkswagen Gol, que aparece bem distante com 4.452 unidades.

Entre os SUVs, a liderança no período ficou com o compacto Chevrolet Tracker, com 3.396 emplacamentos, que junto do médio Jeep Compass (3.169) foram os únicos utilitários esportivos a aparecerem na relação dos dez modelos de automóveis mais comercializados do mercado brasileiro.

Leia Também:  Suzuki GT 380, a "perfeitinha"

Já no ranking dos modelos de picapes médias mais vendidos , a liderança é da Chevrolet S10 (1.813), com a Toyota Hilux no segundo posto (1.498). Confira abaixo como ficou o top 10 de emplacamentos na 1ª quinzena de outubro. Os números são computados pelo Renavam e divulgados pela Fenabrave.

1 -Chevrolet Onix: 5.793
2 – Fiat Strada: 5.394
3 – Volkswagen Gol: 4.452
4 – Chevrolet Onix Plus: 4.119
5 – Hyundai HB20: 4.037
6 – Fiat Argo: 4.015
7 – Chevrolet Tracker: 3.396
8 – Ford Ka: 3.251
9 – Jeep Compass: 3.169
10 – Fiat Toro: 2.992

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Carros e Motos

Obrigatoriedade do ESP em todos os carros brasileiros é adiada para 2024

Publicados

em

Por


source
Sistema ESP
Divulgação

Sistema ESP evita que o carro derrape em mudanças em mudanças repentinas de direção ou em pisos escorregadios


Quem esperava ver em breve os controles eletrônicos de tração e estabilidade em todos os carros vendidos no Brasil, agora terá que esperar mais um pouco. Atendendo ao pedido dos fabricantes de veículos, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) adiou de 1º de janeiro de 2022 para 1º de janeiro de 2024 a obrigatoridade dos sistemas de segurança em todos os carros de passeio fabricados no País.


O adiamento está na Resolução nº 799 do órgão, que foi publicada no Diário Oficial da União no último dia 27 de outubro. Pelo texto, a adoção do pacote eletrônico, também conhecido por siglas como ESC e ESP , passa a ser feita de maneira escalonada nos carros de passeio, com 50% da produção passando a incorporar a tecnologia já em 1º de janeiro de 2023. No caso dos veículos comerciais, o prazo final passou de janeiro de 2023 para janeiro de 2025.

Leia Também:  Chevrolet Onix Plus é o carro que menos perde valor, aponta estudo

“O adiamento dos prazos de instalação de alguns novos itens de segurança, sugerido pela Anfavea, foi compreendido pelos conselheiros do Contran como inevitável, dado o atraso no cronograma de desenvolvimentos, testes, homologações e treinamentos provocado pela pandemia do novo coronavírus”, destacou em nota a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Ainda segundo o comunicado da associação que reúne as montadoras, “mesmo com a retomada dos trabalhos após uma paralisação no auge da quarentena, o ritmo ainda vem sendo afetado pelos protocolos sanitários nas fábricas, laboratórios e campos e provas, e também pelo afastamento de profissionais de grupos de risco ou reduções de jornada provocadas pela MP 936”.

Não foi adiado apenas o ESP

DRL
Divulgação

Além do ESP, o DLR, ou a luz diurna de posição também teve a obrigatoriedade adiada em um ano, para 2024

Vale destacar que o equipamento segue sendo obrigatório novos projetos de automóveis lançados no Brasil desde janeiro deste ano. Também não há impeditivo para que os fabricantes se antecipem à implantação do equipamento em toda a sua linha de produtos.

Leia Também:  Obrigatoriedade do ESP em todos os carros brasileiros é adiada para 2024

Outro ponto a ser destacado é que o sistema de controle eletrônico de establidade (ESP) não é tão simples de ser instaldo, uma vez que exige que o modelo venha com a última geração dos freios ABS , o que alguns modelos feitos no Brasil ainda não têm. Portanto, torna-se necessário mudar toda a arquitetura eletrônica dos carros.

Além do ESP , a resolução mexe também com os prazos limite para a adoção das DRL (luzes de circulação diurnas) e para a adoção de novas normas de proteção para os ocupantes em impactos laterais em todos os veículos comercializados no Brasil, que passam de janeiro de 2023 para janeiro de 2024.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo