Economia

Caixa abre 771 agências hoje para pagar auxílio emergencial

Publicados

em


A Caixa Econômica Federal abre hoje (21) 771 agências para o pagamento do auxílio emergencial a 7,4 milhões de beneficiários dos ciclos 3 e 4 nascidos em abril e maio. O atendimento será das 8h ao meio-dia.

Ao todo, foram creditados R$ 6,1 bilhões para esse público. Desse total, R$ 2,7 bilhões são referentes às parcelas do auxílio emergencial, de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras).

O restante, R$ 3,4 bilhões, corresponde às parcelas do auxílio emergencial extensão, de R$ 300 (R$ 600 para mães solteiras).

A lista das agências está disponível no endereço. Não é preciso chegar antes do horário de abertura. Em comunicado, a Caixa esclareceu que todas as pessoas que procurarem as agências dentro do período de funcionamento serão atendidas.

Além do saque, será possível transferir de forma gratuita os valores, por meio do aplicativo Caixa Tem, para outra conta, seja da Caixa ou de outras instituições financeiras.

Beneficiários

Do total de beneficiários, 3,6 milhões de pessoas nasceram em abril e 3,8 milhões, em maio. Entre os beneficiários do ciclo 3, o dinheiro havia sido depositado na conta poupança digital em 9 de outubro, para os nascidos em abril, e em 11 de outubro, para os nascidos em maio.

Leia Também:  Captação da poupança cai pela primeira vez desde janeiro

No ciclo 4, os depósitos na poupança digital haviam sido feitos em 6 de novembro, para os nascidos em abril, e em 8 de novembro, para os nascidos em maio.

Desde então, os recursos podiam ser movimentados apenas por meio do Caixa Tem, que permite compras por cartão de débito virtual, compras por QR Code (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros e o pagamento de boletos e de contas residenciais.

Somados aos pagamentos deste sábado, o auxílio emergencial alcançará 67,8 milhões de brasileiros, num montante de R$ 258,2 bilhões.

Edição: Kleber Sampaio

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Dólar cai para R$ 5,12 e fecha terceira semana seguida de queda

Publicados

em

Por


Beneficiado pela entrada de fluxos internacionais durante a tarde, o dólar fechou a terceira semana seguida em queda e está no menor valor em quatro meses. Na quinta semana seguida de valorização, a bolsa de valores aproximou-se dos 114 mil pontos e quase zerou as perdas no ano se desconsiderar a variação cambial.

O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (4) vendido a R$ 5,125, com recuo de R$ 0,016 (-0,3%). A cotação operou em alta durante quase toda a sessão, atingindo R$ 5,18 por volta das 12h30. No entanto, passou a cair nos 90 minutos finais de negociação.

A moeda norte-americana está no menor valor desde 22 de julho (R$ 5,114) e acumula recuo de 3,77% na semana e de 4,14% em dezembro. Em 2020, a divisa subiu 27,72% ante o real.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 113.750 pontos, com ganho de 1,3%. O indicador operou em alta durante todo o dia, beneficiado pelo ingresso de capital estrangeiro e pelos recordes nas bolsas norte-americanas em meio a avanços nas pesquisas de vacinas contra a covid-19.

Leia Também:  Grupo Neoenergia vence leilão da CEB com ágio de 76,63%

Apesar do número recorde de casos diários e de mortes nos Estados Unidos e em países da Europa, os investidores estão animados com a aprovação da vacina no Reino Unido e pela divulgação de planos de imunização em diversos países. A vacinação aumenta as expectativas de reabertura mais rápida de economias avançadas, o que estimula a aplicação em mercados emergentes de maior risco, como o Brasil.

Paralelamente ao avanço das vacinas, a divulgação de que a criação de empregos nos Estados Unidos foi menor que o esperado diminuiu as pressões sobre o câmbio. O desempenho do mercado de trabalho reforça a expectativa de aprovação de um pacote de estímulos na maior economia do planeta que injetará dólares nos mercados globais.

Os três principais índices das bolsas norte-americanas fecharam em máximas históricas. O Dow Jones (índice das empresas industriais) subiu 0,83%, o S&P 500 (das 500 maiores empresas) ganhou 0,88%, e o Nasdaq (das empresas de tecnologia) teve alta de 0,7%.

* Com informações da Reuters

Edição: Liliane Farias

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo