Turismo

Blogueira passa uma semana em navio de carga para sair de ilha na pandemia

Publicados

em


source
Eva zu Beck
Reprodução/Youtube/Eva zu Beck

Eva zu Beck


Eva zu Beck, uma blogueira de viagens, passou por um perrengue e tanto por conta da pandemia do novo coronavírus. Ela relatou em seu  canal no YouTube que ficou presa em uma ilha do Iêmen e que viveu uma saga de seis dias navegando em um navio de carga para os Emirados Árabes para conseguir, enfim, pegar um voo para sua casa, na Polônia. 

A história de Eva, que foi parar no jornal britânico DailyMail , começou em março deste ano. Ela chegou a Socotorá, no Mar Arábico, em um vôo comercial do Cairo e lutou para encontrar uma maneira de voltar para casa depois que a ilha fechou devido à pandemia. Com vôos não autorizados a pousar no local, as únicas opções comerciais eram navegar para Omã, que havia fechado suas fronteiras, ou para o continente, que Eva acreditava ser arriscado devido à crise da saúde e à guerra civil.

Leia Também:  Entidades lançam guia de segurança para viajar na pandemia

Então Eva passou semanas procurando um caminho de casa, até que recebeu a passagem de um navio de carga para o Oriente Médio. A jornada, documentada no canal do YouTube de Eva, levou seis dias e o grupo foi obrigado a passar mais oito dias a bordo do navio na costa dos Emirados Árabes cumprindo quarentena antes de poder transitar e pegar um voo para casa.

“Eu sabia que se eu ficasse lá corria o risco de ficar presa lá até o outono. Meus amigos e eu passamos cerca de um mês tentando encontrar uma saída da ilha desde o início de maio”, contou Eva em seu canal. Agora, ela já está sã e salva na Polônia.


Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Turismo

Saiba como planejar seu reveillon em tempos de pandemia

Publicados

em

Por


source

Apesar de muitas incertezas sobre os desdobramentos da pandemia, muitos estão vendo que os comércios e turismo estão abrindo. Logo, uma faísca de esperança surgiu e muitos começaram a rever os planos de viajar no ano novo.

Para te ajudar com os possíveis preparativos para a viagem do fim de ano, o iG Turismo conversou com a turismóloga e professora da PUCPR Raquel Panke para dar dicas para sua viagem ser mais segura possível. 

mala e máscara
Reprodução/Pixabay

Confira as dicas para você planejar sua viagem de ano novo em segurança


Quais as medidas de segurança que a pessoa deve ter ao planejar a viagem de ano novo? 

O planejamento de viagens, antes mesmo da pandemia, já envolvia a pesquisa do destino turístico pretendido por meio de diferentes canais de acesso, especialmente com a utilização dos sites de busca na Internet. 

No contexto atual, isso é fundamental para se obter informações antecipadas dos produtos que pretende contratar com relação à segurança sanitária, a capacidade de atendimento de meios de hospedagem (que está reduzida para melhor garantir o distanciamento social), a disponibilização de álcool em gel, de tapetes sanitizantes, a medição de temperatura corporal, o rigor e o aumento nos procedimentos de limpeza, entre outros. 


Por isso, todos os serviços turísticos (meios de hospedagem, restaurantes, atrativos, destinos) precisam estar preparados para esta demanda de informações de forma clara e de fácil acesso on-line. A especialista acredita que em um cenário otimista e que é possível visualizar uma tendência para o final do ano chamado o “turismo de isolamento”. 

“Podendo retomar a atividade turística pelo turismo doméstico, em especial, localidades próximas aos destinos emissores de turistas (grandes cidades) em direção às áreas rurais e litorâneas que se planejarem para um turismo controlado e de capacidade restrita no número de visitantes”, explica. 

Quais os destinos mais seguros?

Panke acrescenta que os destinos mais seguros para esse momento  são aqueles de pequena escala, ou seja, que não permitem aglomerações e estão se preparando de forma responsável para receber o turista, como pousadas rurais e áreas litorâneas mais isoladas que possuam “capacidade de carga” (número máximo de visitantes permitido por período). 


Destinos ecoturísticos devem ser visitados somente em pequenos grupos. Ela também recomenda localidades que ofereçam o turismo de experiência, também de forma mais personalizada. 

“Os destinos mais seguros podem estar bem próximos de sua cidade, pesquise localidades que ofereçam práticas de segurança e responsabilidade social, olhe para seu “quintal” e valorize o Brasil. Fica a dica!”, encerra. 

Fonte: IG Turismo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo