Geral

Auxílio emergencial tem datas para contestação

Publicados

em


Começa hoje (21) o prazo de contestação para beneficiários do Bolsa Família que receberam o auxílio emergencial e o auxílio emergencial extensão, mas tiveram o pagamento cancelado.

Para quem obteve apenas o auxílio emergencial extensão, que é de R$ 300, a data final de contestação do cancelamento vai até amanhã (22). Para quem recebeu as parcelas regulares do auxílio emergencial, que foram de R$ 600, o prazo vai até 30 de novembro para registro de reclamações.

O governo não informou os prazos de análise dos processos que serão recebidos. Caso a análise do cadastro do beneficiário seja positiva, a conta voltará a receber as parcelas do benefício no mês subsequente.

Conforme o governo, as informações cadastrais dos beneficiados são cruzadas com diversas bases de dados, o que pode resultar em situações incompatíveis com as exigências de cadastro para o benefício.

Pessoas com renda acima da regra, ocupantes de cargos eletivos, militares, servidores públicos e portadores de CPFs (Cadastro de Pessoa Física) em situação irregular na Receita Federal não podem receber as parcelas do auxílio emergencial.

Leia Também:  Polícia faz operação contra construções ilegais de milícias no Rio

Para registrar a ocorrência

Para registrar uma queixa sobre a suspensão do auxílio, basta acessar o portal Dataprev de consulta do auxílio emergencial e preencher as informações básicas do beneficiado, com nome completo, CPF, data de nascimento e nome da mãe.

Após o login, o beneficiado poderá ver a razão da suspensão do auxílio e contestá-la. Uma nova análise cadastral será feita para checar irregularidades.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Amapá: fornecimento de energia é restabelecido e rodízio, suspenso

Publicados

em

Por


Vinte e um dias após um incêndio em uma subestação energética de Macapá deixar 13 das 16 cidades do Amapá sem energia elétrica, a empresa privada concessionária do serviço público, Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE), conseguiu colocar em funcionamento um segundo transformador, permitindo o restabelecimento do fornecimento de luz.

Com a restauração da carga de energia de que o sistema necessita para funcionar plenamente, a estatal amapaense responsável pela distribuição da energia elétrica, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), anunciou o encerramento do rodízio imposto pelo incêndio na subestação pertencente a LMTE.

“A normalização do serviço ocorreu após a entrada em funcionamento do segundo transformador, esta madrugada”, informa a CEA, em nota. “Com isto, o fornecimento foi garantido em 100% para atender os 13 municípios que foram afetados com o acidente na subestação de Macapá, no dia 3 de novembro […] e o rodízio do fornecimento de energia foi oficialmente encerrado”, acrescenta a companhia.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, o segundo transformador da subestação Macapá foi energizado por volta das 3h30 de hoje (24), possibilitando que o fornecimento de energia elétrica fosse restabelecido. “O sistema elétrico do Amapá conta, atualmente, com o suprimento a partir de dois transformadores na subestação (que conecta o estado ao Sistema Interligado Nacional), da geração da usina hidrelétrica Coaracy Nunes e da geração térmica local instalada nesta semana”, assinala a pasta, também em nota.

Leia Também:  PF combate, no Rio, furtos de encomendas nos Correios

O transformador que começou a funcionar esta madrugada foi transportado do município de Laranjal do Jari, na região sul do Amapá, a bordo de uma balsa, e chegou à capital no fim da noite do último dia 17. Só o transporte pelo rio demorou cerca de 30 horas.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, outras medidas conjuntas já estão sendo adotadas pelas diversas organizações do setor para “aumentar a confiabilidade” do fornecimento de energia elétrica para a população. Além disso, as razões do incêndio do dia 3, bem como de um segundo blecaute, registrado no último dia 17, estão sendo apuradas.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo