Tecnologia

Publicados

em

source

Olhar Digital

bicicleta xiaomi arrow-options
Divulgação/Xiaomi

Xiaomi lança bicicleta dorbrável


Além dos smartphones de baixo custo, a Xiaomi  é bastante conhecida por seus produtos curiosos. A nova aposta da empresa é o Himo H1 , uma bicicleta elétrica dobrável . Seu design é bastante curioso. A justificativa para isso é que a bicicleta foi projetada como ênfase na portabilidade. Quando dobrada, ela fica do tamanho de uma folha de papel A3.

A Xiaomi  está oferecendo o Himo H1 por 2.999 yuan (aproximadamente R$ 1.700). Entretanto, o dispositivo não está disponível fora da China. Porém, como sabemos, todo e qualquer dispositivo lançado pela empresa logo é disponibilizado por sites de compra chineses, e que enviam os produtos para diversas partes do mundo.

Leia também: Celulares da Black Friday: confira os melhores modelos para adquirir na data

A Xiaomi  se orgulha de sua bicicleta possuir mais pontos de dobragem do que alguns outros aparelhos. Quase todas as partes são dobráveis e possuem travas para garantir que elas fiquem na posição que foram deixadas para que não alterem seu estado em momentos inoportunos.

Leia Também:  Cuidado! Novo golpe usa Nubank para roubar dados dos usuários

A bicicleta elétrica é relativamente leve, pesando apenas 13 kg, além de caber dentro de uma maleta. Para facilitar o transporte, a Xiaomi  disponibiliza um estojo para acomodar o dispositivo. O guidão pode ter sua altura ajustável e inclui um velocímetro de LED e medidor de bateria.

Leia também: Apple, Xiaomi e Huawei: veja quem ganha na disputa de câmeras

O motor presente, e que se localiza na parte traseira, não é exatamente potente, tendo apenas 180 W, com isso, a velocidade máxima atingida pela bicicleta é de 18 km/h . Além disso, a falta de pedais pode fazer com que esse aparelho não seja classificado como uma bicicleta, mas sim como uma espécie de scooter , já que há apenas apoio para os pés.

Embora pareça pequena, a bicicleta da Xiaomi  não possui um limite de altura, dois adultos conseguem usá-la sem problemas. As imagens também mostram adesivos temáticos da franquia Transformers, porém, não se sabe se a marca solicitou a licença para uso dos personagens.

Leia Também:  Whatsapp foi aplicativo mais baixado no Brasil e no mundo em 2019
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tecnologia

App de reconhecimento facial identifica foragidos no carnaval baiano

Publicados

em

source

Olhar Digital

E mais uma vez, o sistema de reconhecimento facial utilizado pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia ( SSP-BA ) foi útil para capturar foragidos em meio ao carnaval de Salvador . No total, 42 pessoas – 40 homens e duas mulheres – foram identificadas nas comemorações de 2020.

Confira quais serão os jogos gratuitos da PS Plus em março

“O Carnaval de 2020 confirma o nosso pioneirismo no uso de tecnologia de ponta em grandes eventos. Começamos na festa do ano passado, com o reconhecimento facial e tivemos um preso. Na Micareta de Feira de Santana alcançamos 33 foragidos e agora, encerramos a folia de Salvador com 42 capturados”, informou Maurício Teles Barbosa , destacou o secretário de Segurança Pública .

Dessa vez, porém, não foi o sistema de reconhecimento facial espalhado por câmeras instaladas nas ruas da capital baiana que reconheceu os fugitivos, mas sim um aplicativo chamado Face Check . Para efetuar a ação, os peritos tinham que tirar uma fotografia do rosto do indivíduo suspeito para que, em seguida, o software apresentasse todos os dados do cidadão e, consequentemente, sua ficha criminal.

Leia Também:  TikTok é processado por coletar dados de crianças sem consentimento dos pais

Reprodução

Durante a ação, dois ligados a homicídios , 13 relacionados ao tráfico de drogas , 14 procurados por roubo e três envolvidos com furto foram identificados.

Nesta quarta-feira (26), as fotografias e os dados registrados no Face Check foram apresentados no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar da Bahia , onde os dados foram verificados.

Vilões não podem usar iPhone; entenda o porquê

Essa é a primeira vez que o governo baiano usa a tecnologia, que ainda está em fase de testes e é ligada ao banco de dados do Instituto de Identificação Pedro Mello ( IIPM ). Até gora, o aplicativo possui cerca de 160 mil cadastros dos 9 milhões de registros guardados pela instituição.

Além dos foragidos identificados, o aplicativo serviu, também, para calcular o número real de foliões que passaram pelas ruas de Salvador durante o carnaval de 2020: entre quinta-feira (20) e quarta-feira de cinzas, 11,7 milhões de pessoas curtiram os principais circuitos soteropolitanos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo