Esportes

Vice mundial de natação é absolvido de doping e disputa vaga em Tóquio

Publicados

em

Um dos principais velocistas da natação brasileira, Gabriel Santos poderá disputar vaga na Olimpíada de Tóquio, no Japão. Nesta sexta (14), a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) absolveu o atleta do Esporte Clube Pinheiros de uma punição por doping recebida em julho do ano passado. Com isso, ele está liberado para participar da seletiva olímpica, realizada entre 20 e 25 de abril no Parque Aquático Maria Lenk (Rio de Janeiro).

Gabriel foi flagrado em um exame antidoping realizado em São Paulo há nove meses, fora de competição, a pedido da Federação Internacional de Natação (Fina, na sigla em inglês). O exame detectou presença de Clostebol, agente anabólico proibido pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), mesma substância que, em 2003, ocasionou o doping de Maurren Maggi, saltadora campeã olímpica cinco anos depois em Pequim, na China.

 Gabriel Santos. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 04 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA Gabriel Santos. Trofeu Maria Lenk. Parque Aquatico Maria Lenk. 04 de Maio de 2017, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Gabriel Santos participará de seletiva olímpica no Parque Aquático Maria Lenk – Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Leia Também:  Futsal: Classificado para Copa do Mundo, Brasil goleia na eliminatória

A Fina, à ocasião, puniu o nadador com suspensão por um ano. Com isso, Gabriel perdeu não só o Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju (China), como também os Jogos Pan-Americanos de Lima (Peru), ambos no ano passado. O CAS, porém, entendeu que o brasileiro não teve culpa ou negligência pela contaminação. A justificativa do paulista foi que teria usado uma toalha ou peça de roupa de seu irmão, cujo creme pós-barba continha Clostebol.

Aos 23 anos, Gabriel tentará vaga na segunda Olimpíada da carreira, ele competiu no Rio de Janeiro, em 2016. Após os Jogos, ele foi medalhista de prata no Mundial de Budapeste (Hungria) em 2017 e de ouro no Pan-Pacífico de Tóquio, sempre no revezamento 4×100 metros estilo livre. Sem o nadador, o quarteto brasileiro ficou em sexto lugar no Mundial de 2019.

Edição: Fábio Lisboa

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esportes

Federação pede jogos com portões fechados por causa de Coronavírus

Publicados

em

O presidente da Federação de Futebol de Itália, Gabriele Gravina, afirmou nesta segunda-feira (24) que fez um pedido formal ao Ministério do Esporte da Itália para que as partidas do Campeonato Nacional da primeira divisão sejam realizadas com portões fechados (sem público) após o aumento de casos de Coronavírus no país.

A intenção inicial do Governo era de que não fosse realizado nenhum tipo de evento esportivo até o início de março. Inclusive, no último final de semana foram adiados quatro jogos da Série A do Campeonato Italiano: Inter de Milão x Sampdoria, Atalanta x Sassuolo, Torino x Parma e Hellas Verona x Cagliari.

Contudo, nesta segunda a Federação Italiana propôs uma medida alternativa, a realização de jogos com portões fechados como forma de evitar o aumento do contágio do vírus sem prejudicar muito o calendário esportivo. “Enviamos uma solicitação oficial e estamos ansiosos pelo retorno positivo”, afirmou Gravina.

A proposta incluiria apenas a disputa de partidas da Série A do Campeonato Italiano e de competições europeias (como Liga Europa e Liga dos Campeões) sem público. As outras seriam adiadas.

Leia Também:  Trinca brasileira arremata o pódio dos 100m masculino-T47, em Dubai

O Governo Italiano ainda não respondeu à demanda da Federação de Futebol.

Edição: Verônica Dalcanal

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo