Carros e Motos

Veja cuidados para o carro não estragar ao ficar parado na quarentena

Publicados

em

source
Carro Parado arrow-options
Divulgação

Carro parado: É possível mantê-lo em bom conservação, mesmo que isso seja algo que estrague os componentes

Muitos condutores estão vendendo os seus carros com o advento de soluções de mobilidade mais práticas e menos custosas. Uber, aplicativo de carona, carro compartilhado, bicicleta, transporte coletivo estão entre os exemplos mais comuns.  Além disso, como a quarentena imposta pelo novo coronavírus, é preciso tomar alguns cuidados para deixar o veículo parado.

LEIA MAIS: Veja 5 problemas no carro que podem aparecer de repente e dar prejuízo

Segundo o especialista Alexandre Barros Pinho, da oficina WTC Express, “aos que vão deixar o carro parado apenas nesse período de quarentena, a dica seria, preferencialmente, rodar no quarteirão pelo menos uma vez por semana. Desse modo, nada irá emperrar ou engripar, e o dono do veículo poderá seguir com os prazos de revisão normalmente”.

Ainda segundo Pinho, “uma outra hipótese, menos vantajosa, seria de funcionar o carro na garagem . Se o carro for caburado e/ou movido a etanol, dobre essa frequência. Vale lembrar que é importante funcionar absolutamente tudo nessas voltinhas, como por exemplo o ar-condicionado, que pode perder seu gás e acumular bactérias se ficar sem funcionar por um tempo”.

Pneus arrow-options
Divulgação

Pneus podem sofrer deformidades com o tempo. Vale lembrar, também, que por ressecarem, têm validade de até 5 anos

Também é recomendável aumentar a calibragem dos pneus de uns 20 a 30%. Ou seja, se a pressão normal é de 30 libras, passe para 35 a 40, para evitar uma deformação do pneu na região que fica em contato com o piso. Isso é uma saída para quem não tem um cavalete, que deixaria o carro suspenso. Se o automóvel vai ficar parado mais do que seis meses, é conveniente ao voltar trocar o óleo do motor e o filtro, antes da próxima partida. 

Leia Também:  Governo quer atrair fábrica da Tesla para o Brasil até 2023

De acordo com Pinho, “por outro lado, quando falamos de deixar o carro parado por mais tempo ainda, às vezes até por prazos indeterminados, vale se atentar a cuidados ainda mais específicos; especialmente se o carro já possui uma quilometragem mais elevada ou se os seus componentes já contam com certa idade”, explica ele. “Até vale deixar o freio de mão solto e o câmbio engatado, colocando um peso no pedal de embreagem, para poupar que platô e o disco de embreagem colem”, conclui.

Entretanto, ainda segundo o especialista, “uma ideia ainda melhor seria colocar um calço nos pneus, e deixar tudo solto e desengrenado. Desligar o pólo da bateria, manter os pneus bem calibrados e um combustível de boa qualidade no tanque são outras dicas fundamentais”.

LEIA MAIS: Veja como limpar o carro corretamente, por dentro e por fora

Quanto ao combustível deixado no tanque, isso também vale. Mas, para amenizar os riscos de oxidação por água ou criação de borras — que obstrui os filtros, entupindo os injetores e, no caso dos mais antigos, os carburadores — opte pelos combustíveis aditivados, inclusive etanol. Deixar o tanque completamente vazio pode acumular umidade, dependendo de onde o carro estará armazenado, então tome cuidado.

Leia Também:  Toyota precisa de um SUV compacto no Brasil. Mas qual?

Mais cuidados com a vida útil dos componentes

Bateria arrow-options
Divulgação

Mesmo quando está parado, o carro continua a consumir a carga da bateria com alguns equipamentos.

“Depois de todo o período, quando você for religar o carro, vale lembrar que o cabeçote estará sem “ver” óleo por um bom tempo”, ensina Pinho. “Logo, dê a partida por um instante breve, mas não deixe que o motor ligue. Isso será o suficiente para a bomba de óleo jogar um pouco de óleo no componente, que por sua vez impedirá os danos ao motor quando o carro der a partida efetivamente”, diz ele. “Uma vez funcionando, vá direto trocar os fluídos de freio, do motor e colocar combustível mais novo”, finaliza. 

LEIA MAIS: Veja os 5 carros mais caros e difíceis de consertar, de acordo com o Car Group

Freio de mão arrow-options
Divulgação

Solte o freio de mão do carro parado, e deixe o câmbio engatado. Se for automático, mantenha-o na posição P, de parking

Não importa o quão limpa é a garagem onde você vai deixar seu carro parado , sempre vai aparecer poeira. Procure uma boa capa automotiva de algodão macio. Evite plástico, pois pode arranhar a lataria com o resto de pó que sempre sobra depois de uma lavagem. Escolha uma capa do tamanho certo do seu carro, para que não fique apertada (o que aumenta a chance de riscos) e nem solta demais.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Carros e Motos

VW e Ford desistem de produzir a nova picape em conjunto, na Argentina

Publicados

em

source
Amarok arrow-options
Divulgação

Nova VW Amarok ainda está na fase dos esboços. A fase de criação do conceito será adiada

O projeto que previa o desenvolvimento unitário de picapes entre VW e Ford não será mais executado na América do Sul. A informação foi divulgada pela mídia argentina, onde ela seria criada e produzida pela Ford, mas a VW voltou atrás e desistiu de concedê-la a tarefa. O plano, chamado de Cyclone, previa que as novas Ranger e Amarok compartilhassem a plataforma e muitos componentes mecânicos. A queda brusca do mercado sul-americano nos últimos anos, especialmente da própria Argentina — que despencou sozinha mais de 40% em 2019 — foi o principal motivo para a desistência.

LEIA MAIS: Números do setor automotivo caem quase 90% na segunda metade do mês

A fábrica de Pacheco (Argentina) já estava pré-estruturada para o início da nova linha de montagem, que deveria aumentar ainda mais a capacidade máxima de produção ante os 140 mil veículos/ano (50 mil só de Amarok). Ao fazer as picapes da VW e Ford a partir de 2022, a expectativa era de que a fabricante pudesse alcançar um patamar entre 100.000 e 125.000 unidades/ano, o que voltaria a tornar a operação rentável.

Leia Também:  Toyota precisa de um SUV compacto no Brasil. Mas qual?

LEIA MAIS: Empresas terceirizam frotas para reduzirem custos

Amarok arrow-options
Divulgação

Fábrica da Volkswagen em Pacheco (Argentina) seguirá com a produção da Amarok, postergando novidades para as picapes

Além disso, a crise financeira na Argentina e a crise do Coronavírus não são tão férteis para muito arrojo. Isso levou a Volkswagen a focar no Tarek, que dará origem a um SUV médio no ano que vem, e a considerar manter a Amarok atual em produção por mais um tempo. A VW declarou oficialmente que “está trabalhando em seus ambiciosos planos de cooperação global com a Ford, através de veículos elétricos e autônomos, furgões comerciais e picapes médias”.

LEIA MAIS: A Indústria automotiva precisa mudar de marcha pós-coronavírus

“Esperamos ansiosamente fornecer uma atualização sobre a nossa parceria e informaremos em breve os detalhes dos projetos acordados com a Ford. Não há alterações nos planos atuais da Volkswagen Argentina”, completa a fabricante alemã. Vale lembrar que a VW e Ford chegaram a assinar um memorando de intenções para novas colaborações em segmentos cada vez mais focados em mobilidade, e que, portanto, não se trata de um combinado superficial, apenas.

Leia Também:  VW Jetta GLI encanta pela dirigibilidade afiada
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo