Internacional

Rio Grande do Sul será sede do encontro anual de embaixadores europeus

Publicados

em

Pelo seu potencial econômico e pela localização estratégica em relação ao Mercosul, o Rio Grande do Sul foi o estado escolhido para sediar a missão anual dos embaixadores dos estados-membros da União Europeia no Brasil. O evento começa nesta quarta-feira (4) e vai até domingo (8). O objetivo é permitir a troca de informações sobre temas econômicos, comerciais e investimentos entre os dois blocos.

Segundo o Embaixador da União Europeia (UE) no Brasil,  Ignacio Ybañez Rubio, a relação da Europa com o Brasil é “íntima”  tanto no aspecto cultural quanto histórico. “Essa sintonia abre muitas portas para as relações econômicas. Quem está na América do Sul precisa olhar para o Rio Grande do Sul, que não é apenas um estado brasileiro, mas também um estado integrado às culturas da Argentina, do Chile e do Uruguai”, destacou.

A missão liderada pela União Europeia conta com representantes da Alemanha, Áustria, Bélgica, de Chipre, da Croácia, Dinamarca, Eslovênia, Espanha, Finlândia, Grécia, Irlanda, de Luxemburgo, dos Países Baixos, da Polônia, de Portugal, da República Tcheca, Romênia e Suécia.

Leia Também:  Portaria eleva limite de compras para quem cruza fronteira por terra

Rubio ressaltou também as boas relações comerciais mantidas pelo Rio Grande do Sul com a Europa. Ele observou que a balança comercial do Rio Grande do Sul com a União Europeia é positiva para o estado brasileiro. Em 2018, o Rio Grande do Sul exportou  US$ 4,1 bilhões para a União Europeia e importou  US$ 1,6 bilhão dos países do bloco.

Além do destaque econômico, representado pelas oportunidades que acarretará no futuro o Acordo UE- Mercosul, Porto Alegre, a capital do estado, é o local ideal para ser visitada por europeus, observou Rubio. Ele lembrou que a cidade é fruto de influências culturais de diversos países que integram a UE.

No quinta-feira (5), embaixadores europeus terão encontros institucionais no estado e participarão do seminário Parceria Estratégica UE-Brazil, no âmbito do Rio Grande do Sul.

O evento será na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e abordará assuntos como valores europeus e acadêmicos, parcerias acadêmicas entre o estado e a UE, inovação e tecnologia. Após o seminário, os representantes europeus participarão de almoço oferecido pela prefeitura de Porto Alegre. À tarde, os embaixadores farão uma visita guiada  à Stihll, empresa europeia de sucesso no Brasil, especializada em produtos destinados aos mercados florestal, agropecuário, jardinagem profissional, limpeza e conservação e construção civil. No fim do dia, eles se encontrarão com dirigentes da Federação de Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), em um jantar.

Edição: Nádia Franco
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Internacional

Câmara dos Representantes avança com acusação para destituir Trump

Publicados

em

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos (equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil) irá redigir artigos de acusação para o processo de destituição do Presidente Donald Trump. O anúncio foi feito esta quinta-feira (5) por Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes, que deixou claro que “na América ninguém está acima da lei”.

“As ações do Presidente violaram seriamente a Constituição”, frisou Pelosi. “Hoje, peço ao presidente [do Comitê Judiciário] que avance com os artigos para o impeachment“.

“Os fatos são incontestáveis. O presidente Trump abusou do poder para o seu próprio benefício político à custa da nossa segurança nacional, ao condicionar o apoio militar e uma reunião na Sala Oval à troca de uma investigação ao seu rival político”, salientou, referindo-se a Joe Biden.

Os artigos de acusação para o impeachment representam um passo importante neste processo, uma vez que um presidente não pode ser destituído até que a Câmara dos Representantes os aprove.

O Comitê Judiciário da Câmara do Represenantes é o responsável por redigir os artigos, sendo que cada um destes corresponde a uma acusação. Os artigos serão, depois, votados separadamente.

Leia Também:  Tiroteio entre traficantes e policiais deixa 14 mortos no México

No caso de Donald Trump, os Democratas vão redigir artigos para as acusações de abuso de poder, suborno e obstrução de Justiça.

Os artigos, redigidos por Pelosi, Jerry Nadler, presidente do comitê judiciário, e Adam Schiff, presidente do Comitê de Inteligência, poderão ser votados já nas próximas semanas e o seu conteúdo deverá permanecer secreto até que a decisão da votação seja revelada.

Caso uma maioria simples na Câmara dos Representantes vote a favor dos artigos para a destituição, o caso passará para o Senado.

Donald Trump pede “julgamento justo”

Momentos antes do anúncio de Pelosi, o presidente norte-americano avisou os democratas de que devem apressar-se a destituí-lo.

“Se vão avançar com o impeachment, façam-no agora, depressa, para que possamos ter um julgamento justo no Senado, e para que o nosso país possa voltar a focar no que importa”, declarou Trump.

Edição:
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo