Cidades

Polícia Civil conclui inquéritos físicos que tramitavam em Campina da Lagoa

Publicados

em

Delegacia da PCPR em Campina da Lagoa passa a operar somente com IPs eletrônicos

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) concluiu todos os Inquéritos Policiais (IP) físicos, ou seja, em papéis, instaurados em 2019 e anos anteriores, no município de Campina da Lagoa, região Central do Estado. De agora em diante, apenas IPs digitais tramitam na Delegacia da PCPR local. Os procedimentos físicos foram integralmente concluídos no mês de janeiro deste ano.

Desde a implantação do sistema de IP digital, policiais civis que atuam em Campina da Lagoa realizaram uma força-tarefa para encerrar todos os procedimentos físicos que ainda tramitavam na unidade. “Importante ressaltar que nenhum IP que estava em andamento foi digitalizado somente para ser encaminhado ao Fórum e retornar em sua forma digital, todos os procedimentos físicos foram realmente concluídos”, afirma o delegado da PCPR, Ivo Viana.

Inquéritos Policiais integralmente eletrônicos proporcionam a redução de gastos administrativos, melhor controle sobre os procedimentos investigatórios, bem como agilidade aos processos em andamento. Além disso, todos os dados dos procedimentos ficam disponíveis de forma online, desde a lavratura do Boletim de Ocorrência até o encaminhamento ao Poder Judiciário.

Leia Também:  Saúde Confirma Morte de Mulher Por Dengue em Nova Cantu

Viana relata que um dos fatores que contribuíram para que a unidade pudesse trabalhar somente com IPs digitais, foi o apoio do Ministério Público que atua em Campina da Lagoa. “O Ministério Público ofereceu denúncia a todos os casos que foram devidamente elucidados”, finaliza o delegado.

Fonte:Delegacia Campina Da Lagoa

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Cidades

Criança de 11 anos morre após tiro acidental em Apucarana

Publicados

em

Uma tragédia aconteceu na tarde de domingo, 23, em Apucarana, quando uma criança de apenas 11 anos morreu após ser baleada.
O menino teria sido atingido por um tiro acidental enquanto brincava com um adolescente de 15 anos. A vítima estava na casa do garoto. A arma seria um revólver calibre 38. O caso aconteceu no Residencial Solo Sagrado. O menino chegou a ser levado para uma Unidade de Pronto Atendimento, porém não resistiu aos ferimentos. A polícia investiga o caso. A arma seria de um vigilante.
Segundo o investigador Roberto Francisco, chefe do setor de homicídios, após o crime o adolescente deixou o local. “Nós estamos ouvindo testemunhas, fomos até o local onde ocorreu o disparo e eles estariam sozinhos na casa. O menino que morreu, tinha o costume de ir na casa do adolescente para jogar.
“Nós queremos descobrir como essa arma apareceu na casa do adolescente. A princípio após o disparo o adolescente ficou com medo e deixou o local. Na casa morava ele a mãe e irmãos. Estamos investigando,” finaliza Roberto.

Leia Também:  Justiça determina afastamento do prefeito de Iporã e bloqueio de R$ 12,4 milhões em bens de 12 réus investigados na Operação Cleptocracia


Fonte: Cobranews

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo