Polícia Federal

PF investiga prática de crimes previdenciários no Pará

Publicados

em

Belém/PA – A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (13/2) a Operação Tartufo, que visa desarticular associação criminosa especializada em fraudar a Previdência Social mediante a utilização de documentos falsos para a obtenção indevida de benefícios previdenciários no Pará. Foi cumprido um mandado de busca e apreensão na cidade de Belém.

A fraude consistiu na obtenção de pensão por morte a partir da criação de pessoa fictícia e posterior simulação de casamento e óbito. Após a obtenção indevida do benefício previdenciário, o grupo criminoso conseguiu ainda realizar empréstimos consignados e adquirir bens em nome das pessoas fictícias.

O envolvido na operação de hoje pertence ao mesmo grupo investigado durante a Operação Pseudocídio, que apurou fraudes em diversos benefícios de pensão por morte e amparo social ao idoso no Estado do Pará.

De acordo com o Núcleo Regional da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Pará, o prejuízo estimado aos cofres públicos dos benefícios já fraudados pelo grupo criminoso já ultrapassa R$ 2 milhões de reais.

Os envolvidos responderão pelos crimes de associação criminosa, estelionato previdenciário, falsificação de documento público, uso de documento falso, dentre outros.

Leia Também:  Polícia Federal deflagra nova fase da Operação Appius

* “Tartufo” é um termo utilizado para identificar pessoa que dissimula ou enganadora. Falso.

 

Contato: (91)3214 8029 /984222396

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia Federal

Polícia Federal participa da prisão de fugitivos acusados da morte de brasileira nos Estados Unidos

Publicados

em

Vitória/ES – A Polícia Federal participou da prisão, hoje (22/2), na cidade capixaba de Cariacica, de dois dois homens, acusados do assassinato da brasileira Ana Paula Braga, de 23 anos, no último dia 30 de janeiro, em Los Angeles – Estados Unidos.

A prisão dos acusados, também brasileiros, contou com o apoio de diversas agência de segurança pública dos dois países e só foi possível com um grande esforço de cooperação internacional.

A fuga cinematográfica dos suspeitos começou logo após o homicídio, quando os homens seguiram no automóvel da vítima, carregando seu corpo, em uma viagem de 2 horas, até abandoná-lo na cidade californiana de Hot Springs. Ainda no automóvel da vítima, viajaram ao Estado de Oklahoma, e mais tarde, de ônibus, para o Texas. A fuga ainda contou com uma travessia terrestre para o México, de onde, a partir da capital, Cidade do México, tomaram um avião para o Rio de Janeiro/RJ.

Durante todo esse tempo, a dupla pressionou e extorquiu, tanto os próprios familiares quanto parentes da vítima, com o intuito de obtenção de recursos que os ajudassem na fuga.

Leia Também:  PF apreende quase 20 kg de cocaína no Aeroporto Internacional de SP

O crime chegou ao conhecimento da PF, que passou a monitorar os acusados e manter contatos com as autoridades norte-americanas. Enquanto a PF seguia no encalço dos fugitivos, a LAPD (Los Angeles Police Department) investigava as circunstâncias do crime e da fuga, nos Estados Unidos. Os contatos entre as agências eram feitos mediante a participação ativa do Serviço de Segurança Diplomática do Consulado Americano no Rio de Janeiro e da Adidância da Polícia Federal em Washington.

Com a confirmação de que os alvos se encontravam em Cariacica/ES, montou-se uma grande operação para capturá-los, que contou com a decisiva participação GIOSP, o Grupo Integrado de Operações de Segurança Pública do Espírito Santo.

Com o empenho da Promotoria de Justiça, o Poder Judiciário decretou a prisão temporária dos fugitivos, que foram capturados, na manhã de hoje, por homens do 7º Batalhão da Polícia Militar do ES e já estão à disposição da justiça.

 

Comunicação Social da Polícia Federal

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo