Policial

PCPR prende suspeito de estupro de vulnerável em Cascavel

Publicados

em

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu um suspeito de estupro de vulnerável em Cascavel na quinta-feira (28). O homem de 58 anos estava foragido desde 2013, quando o mandado de prisão preventiva foi expedido. Ele é investigado por praticar o crime em Sapezal (MT).

O suspeito foi preso em frente a casa em que residia, localizada no bairro Julieta Bueno. Ele chegou a mentir o nome para a equipe policial na tentativa de não ser preso, mas foi identificado como o foragido. O homem foi encaminhado para a Cadeia Pública de Cascavel, onde permanece à disposição da Justiça.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  BPMOA promove treinamento anual em Gerenciamento de Recursos de Equipe em Curitiba
Propaganda

Policial

RONE simula roubo a banco no Centro de Curitiba; exercício faz parte do III Curso da unidade

Publicados

em

Marcia Santos

Jornalista responsável

 

 A Rondas Ostensivas de Natureza Especial  (RONE), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), promoveu um exercício simulado de roubo a banco na noite desta sexta-feira (06/12). A ação aconteceu no centro de Curitiba e faz parte do III Curso da RONE, que conta com 27 policiais militares.

Segundo o Comandante da RONE e Coordenador do curso, capitão Paulo Alexandre Rodrigues,  esse foi o segundo exercício aplicado apenas nessa semana. “Na (quarta-feira) fizemos um exercício na Estrada da Itambé, em Campo Largo, na RMC, simulando um roubo à carro forte. Já na sexta-feira simulamos um roubo à uma Agência bancária no Centro de Curitiba”, contou o capitão.

Ainda de acordo com o capitão, ambos os exercícios foram feitos os mais reais possíveis. “Colocar o policial militar em uma situação, mesmo que simulada e estressante faz com ele esteja preparado para o dia a dia. A adrenalina faz com que a pessoa tenha diversas reações e aprenda a suportar adversidades quando vier a participar de situações reais”, complementou.

Leia Também:  PM encaminha três homens, em situações separadas, no Norte do Paraná

Durante os exercícios foram usadas balas de festim (não letal) e bombas. Os próprios policiais militares e instrutores desempenharam os papéis dos suspeitos e dos reféns.

O curso iniciou-se no dia 5 de novembro e terá a duração de 50 dias. Além dos militares estaduais paranaenses, participam da especialização policiais de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo