Entretenimento

Paulo Barros, Marielle e ciganos: o que esperar dos desfiles de São Paulo

Publicados

em

source

Durante esta sexta-feira (21) e sábado (22), o público poderá conferir os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo. Discussões sobre a importância do povo negro no desenvolvimento do Brasil, novidades nos critérios de avaliação da bateria, a estreia do carnavalesco Paulo Barros no Carnaval paulista pela Gaviões da Fiel e o desempenho da atual campeã Mancha Verde devem dar o que falar.

Leia mais: Carnaval 2020: confira os sambas-enredo das escolas de samba de São Paulo

Renata Spallici arrow-options
Reprodução/Instagram

Renata Spallici é a rainha de bateria da Barroca Zona Sul


A Barroca Zona Sul  inicia os desfiles às 23h15 trazendo o samba-enredo “Benguela… A Barroca clama a ti, Tereza!”, uma homenagem a líder quilombola Tereza de Benguela, que lutou contra a escravidão durante o século 18. Falando ainda sobre a luta do povo negro, a Tom Maior pretende trazer nas alas da escola personalidades de extrema relevância para a construção da população brasileira. Uma das alas deve homenagear Marielle Franco com o enredo “É coisa de preto”.

Cheia de sede de vitória, a Mocidade Alegre , uma das escolas mais tradicionais da capital e que chegou a ganhar três títulos em 2012, 2013 e 2014, também pretende trazer um tom mais social e místico falando sobre o poder do feminino com o tema “Do canto das Yabás renasce uma nova morada” para mostrar um canto de esperança para que Terra volte a ser um paraíso, exaltando a sabedoria e a força da mulher.

Regionalismo dá samba?

As regionalidades também não estão fora do portfólio do Carnaval de São Paulo. A  Império da Casa Verde trará a cultura libanesa para a avenida e, por isso, contará com a participação de cerca de 150 libaneses no desfile. Já a  Unidos de Vila Maria homenageará a China com a ajuda de  dragões chineses e outras figuras que representam a prosperidade e a fartura na cultura chinesa.

Dani Bolina, rainha de bateria da Unidos de Vila Maria arrow-options
Reprodução/Instagram

Dani Bolina, rainha de bateria da Unidos de Vila Maria


A calmaria, os violões e as violas do interior devem compor a homenagem que a Acadêmicos do Tatuapé está preparando para a cidade de Atibaia, interior de São Paulo. Com o tema “O ponteio da viola encanta… Sou fruto da terra, raiz desse chão… Canto Atibaia do meu coração”, eles prometem trazer o título de campeão para a escola.

Leia Também:  Rodrigo Faro deixa a 'Hora do Faro' após diagnosticar doença

Leia mais: Carnaval cancelado? Blocos desistem de desfilar em diversas capitais

Já a Pérola Negra escolheu a cultura do povo cigano como o enredo da escola de samba tradicional da Vila Madalena. A ideia veio quando uma cigana previu que em 2019 eles passariam do Grupo de Acesso para o Grupo Especial. Dito e feito, após dois anos na tentativa, a escola garantiu seu título e agora concorre com outros grandes nomes do Carnaval paulista.

A X-9 Paulistana encerrará o primeiro dia de desfiles já na madrugada de sábado com o samba-enredo “Os batuques do Brasil”, o que promete ser uma viagem pelo Brasil por meio das batucadas de todas as regiões e religiões do país.

Novidades para a bateria

Outro destque que podemos esperar das escolas de samba de São Paulo são apresentações mais requintadas das baterias, pois este ano a nota partirá de 9.8 e poderá evoluir para 10 dependendo do desempenho e das novidades que a bateria da escola apresentar, como: bossas, paradinhas ou alguma invenção para conseguir ganhar mais pontos. Antes, a nota da ala partia de 10 e ia tendo descontos.

O diretor de Carnaval Paolo Biachi da grande campeã dos desfiles de SP do ano passado, Mancha Verde , contou para o IG Gente que para levar o título em 2020 tem treinado arduamente a parte técnica tanto nas coreografias quanto na bateria com o mestre Guma. Eles ainda contarão com o samba no pé da consagrada rainha de bateria Viviane Araújo para trazer o enredo “Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem!” para o Anhembi.

Mancha Verde%2C campeã do Carnaval 2019 arrow-options
Reprodução/Instagram

Mancha Verde, campeã do Carnaval 2019


Estreia de veteranos

A Gaviões da Fiel promete arrasar este ano já que pela primeira vez o carnavalesco Paulo Barros, conhecido por ganhar alguns títulos no Rio de Janeiro pela Unidos da Tijuca e Portela, e Paulo Menezes assinarão o desfile da escola corintiana. A agremiação irá abordar casos de amor sem fim, paixões loucas, sonhos de liberdade e luta por ideais com o samba-enredo: “Um não sei que, que nasce não sei onde, vem não sei como e explode não sei porquê”.

Leia Também:  Ao vivo, Faustão coloca ex-dançarina em saia justa; saiba o motivo

Originalidade

Com a chegada de Paulo Barros e Paulo Menezes na Gaviões, o antigo carnavalesco Sidney França comandará o desfile da Águia de Ouro com o tema “O Poder do Saber – Se saber é poder… Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

Leia mais: Relembre as festas de Carnaval que bombaram no “BBB”

Para garantir muitas gargalhadas do público na avenida, a Dragões da Real contará com a participação do grupo do Doutores da Alegria para exibir o enredo “A Revolução do Riso: “A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria”. A ex-bailarina do Faustão Carla Prata participará do desfile da escola tricolor.

O enredo “Que Rei Sou Eu?”,  da  Colorado do Brás , vai contar a história de Dom Sebastião, Rei de Portugal. As alas exibirão os mistérios, lutas, lendas e crenças que permeiam a história de Dom Sebastião.

Para encerrar os desfiles de São Paulo no Sambódromo do Anhembi, a Rosas de Ouro abordará a quarta revolução industrial. Sem a presença de Ellen Rocche à frente da bateria, a escola trará o enredo “Tempos Modernos”.

GRUPO ESPECIAL

Sexta-feira (21)

23h15 – Barroca Zona Sul

0h20 – Tom Maior

1h25 – Dragões da Real

2h30 – Mancha Verde

3h35 – Acadêmicos do Tatuapé

4h40 – Império de Casa Verde

5h45 – X-9 Paulistana

Sábado (22)

22h30 – Pérola Negra

23h35 – Colorado do Brás

0h40 – Gaviões da Fiel

1h45 – Mocidade Alegre

2h50 – Águia de Ouro

3h55 – Vila Maria

5h – Rosas de Ouro



Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Entretenimento

Rainha Elizabeth II cita “tempos de guerra” em pronunciamento sobre Covid-19

Publicados

em

source

Neste domingo (05), a Rainha Elizabeth II, de 93 anos, realizou o quinto pronunciamento especial de seus 68 anos como soberana do Reino Unido . Durante a transmissão, a monarca comparou o isolamento social com o distanciamento das famílias na Segunda Guerra Mundial e convidou os britânicos a refletirem neste momento delicado.

Leia também: Rainha Elizabeth promete pagar R$ 245 mil para quem cuidar de suas redes sociais

Rainha Elizabeth II arrow-options
Reprodução Instagram

Rainha Elizabeth II

Leia também: Gastando demais? Rainha Elizabeth desembolsa mais de R$ 160 mil em presentes

A Rainha Elizabeth II também disse que a situação a fez lembrar de 1940, quando Londres era bombardeada pelos alemães e crianças foram mandadas para outros países da Commonwealth como medida de segurança.

Leia também: Família Real: Imprensa tenta aposentar Rainha Elizabeth II à força

“Ainda há muito o que suportar, mas melhores dias virão: estaremos de novo com nossos amigos, com nossas famílias. Vamos nos reunir outra vez. Todavia, agora nos juntamos a todas as nações do mundo com uma mesma missão, usando os grandes avanços da ciência e nossa compaixão instintiva. Triunfaremos, e essa vitória vai pertencer a cada um de nós”, disse ela.

Leia Também:  Governo de São Paulo fecha acordo para captar R$ 1,35 bilhão de Warner e Netflix

O governo espera que o comunicado ajude a convencer a população a respeitar as restrições —após várias medidas progressivas, o Reino Unido decretou quarentena no último dia 23. A última vez que a Rainha Elizabeth II fez uma transmissão especial foi em 2012, em comemoração do Jubileu de Diamante, os 60 anos de sua coroação como rainha.

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo