PARANÁ

Curitiba teve 2,6 homicídios a cada mil adolescentes, segundo estudo;

autor Publicado em 12 de Outubro de 2017

 

Fonte: UNICEF Brasil

Curitiba teve 2,6 homicídios a cada mil adolescentes, segundo estudo;

 

A cidade de Curitiba ocupa a 20ª posição no ranking de capitais no Índice de Homicídios na Adolescência, feito em uma parceria entre o UNICEF, o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), o Observatório de Favelas e o Laboratório de Análise da Violência, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-Uerj). O índice da capital paranaense é de 2,66 homicídios a cada mil adolescentes entre 12 e 18 anos. A capital com o maior número de assassinato de adolescentes foi Fortaleza/CE, com 10,94 casos.

A pesquisa analisa os homicídios nos 300 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes. O IHA é calculado para cada grupo de mil pessoas entre 12 e 18 anos. Os dados são de 2014, mas aproximadamente 43 mil jovens podem morrer vítimas de homicídio até 2021, em todo o Brasil, se as condições não mudarem.

As mortes de crianças menores de 1 ano foram reduzidas de 95.938, em 1990, para 37.501, em 2015. Durante o mesmo período, o número de adolescentes de 10 a 19 anos assassinados aumentou de 4.754 para 10.290, segundo o Datasus.

Desde 2012, o número dos adolescentes entre 12 e 18 anos morrendo por agressão é proporcionalmente mais alto do que do resto da população brasileira (31,6 para cada 100.000 adolescentes em 2014 comparados com 29,7 para cada 100.000 pessoas no geral).

Cidades do Paraná com mais de 100 mil habitantes

No Paraná, 15 cidades tiveram o levantamento feito e os casos mais graves foram registrados em Pinhais e Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, com média entre 4 e 6 adolescentes assassinados a cada mil.

Além disso, Araucária, Curitiba, Campo Largo, Colombo, Guarapuava, Londrina, Cascavel e Foz do Iguaçu, registraram de 2 a 4 assassinados a cada mil adolescentes.

Os municípios de Apucarana, Arapongas, Cambé, Maringá, Ponta Grossa, Toledo e Umuarama registraram os menores índices com média de menos de dois assassinatos a cada mil adolescentes.

Paraná é o segundo na região Sul

Considerando apenas o levantamento da região Sul do Brasil, o Paraná tem um índice de 2,6 adolescentes assassinados a cada mil. O estado de Santa Catarina foi o que teve o menor índice, com menos de um assassinato a cada mil jovens, sendo inclusive o menor em todo o país.

O Rio Grande do Sul, por sua vez, tem índice de homicídios na adolescência, com 2,78 casos a cada mil habitantes.

Risco maior para adolescentes do sexo masculino e negros

Em 2014, os adolescentes do sexo masculino tinham um risco 13,52 vezes superior ao das adolescentes do sexo feminino, e os adolescentes negros, um risco 2,88 vezes superior ao dos brancos. O risco de ser morto por arma de fogo é 6,11 vezes maior do que por outros meios.

 

 

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 0 - Média de Voto(s): 0