Tecnologia

Para ouvir a nova música do Pearl Jam, aponte seu celular para a Lua

Publicados

em

source

Olhar Digital

A banda de rock norte-americana Pearl Jam lançou uma campanha baseada em realidade aumentada para divulgar o seu novo single ” Superblood Wolfmoon “. Os fãs terão que apontar seus smartphones para a Lua para poder ouvir a nova música.

Google negocia remuneração para sites de notícias por uso de seu conteúdo

Ao acessar o site moon.pearljam.com no celular, o usuário é recebido com uma tela solicitando que você alinhe um círculo com a Lua (se acessar pelo computador, o que aparece é um QR code para ser lido no smartphone). Depois de alinhar tudo, as animações pairam em torno da Lua do mundo real , em sincronia com a canção.

Pearl Jam arrow-options
Reprodução

Pearl Jam


O aplicativo, desenvolvido com uma empresa chamada Powster, é difícil de enganar. A reportagem da Verge tentou “simular” a Lua com uma moeda, sem sucesso. Ou seja, até o próximo dia 18, quando a faixa será lançada no Spotify e Apple Music, os fãs só poderão ouvir ” Superblood Wolfmoon ” se alinharem seus aparelhos com nosso satélite natural.

Leia Também:  Aprenda como tirar o acesso de intrusos na Netflix

O novo disco do Pearl Jam, “Gigaton”, será lançado em 27 de março.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tecnologia

iPhone subaquático? Apple registra patente com recursos curiosos

Publicados

em

source

Olhar Digital

Apple arrow-options
Reprodução/Shutterstock

Apple registra patente com novos recursos


A Apple registrou uma curiosa patente de uma interface otimizada para uso debaixo d’água. O documento basicamente descreve um dispositivo (que pode ser um iPhone ou iPad , por exemplo) capaz de detectar quando está submerso e entrar em uma espécie de “modo subaquático”.

“Os métodos atuais para exibir interfaces de usuário enquanto um dispositivo eletrônico está submerso estão desatualizados, são demorados e ineficientes. Por exemplo, alguns métodos existentes usam interfaces de usuário complexas e demoradas, que podem incluir várias teclas ou pressionamentos de tecla”, dz o documento. 

Leia também: Mais de 4 mil aplicativos conseguem ver tudo o que você tem no celular; entenda

A julgar pelo texto, a idéia é exibir uma interface simplificada. Talvez em resposta ao fato de que quando submersas as atuais telas sensíveis ao toque não funcionam com a mesma precisão de quando estão secas, o que pode impedir que o aparelho registre gestos mais complexos.

Uma segunda patente, não relacionada, sugere um recurso que muda automaticamente a orientação da tela de acordo com a posição do rosto do usuário, em vez de levar em conta apenas os acelerômetros. Isso pode ser útil, por exemplo, se você estiver olhando para um aparelho sobre uma mesa.

Leia Também:  Lançamentos da Netflix: veja filmes e séries que chegam à plataforma em janeiro

Lembramos que uma patente não significa que um produto chegará ao mercado ou mesmo que chegará. Empresas patenteiam todo tipo de idéias, seja porque podem um dia ser úteis, seja porque podem servir para bloquear os avanços de um concorrente. Em 2018, a Apple registrou em média seis pedidos de patente por dia.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo