MUNDO

Trump determina maior redução de reservas protegidas da história dos EUA

autor Publicado em 05 de Dezembro de 2017

 

Trump determina maior redução de reservas protegidas da história dos EUA

 

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, determinou, nessa segunda-feira (4), a maior redução de reservas protegidas da história do país, com o corte de mais de 9.200 quilômetros de dois parques em Utah. A medida foi elogiada pelos conservadores do estado e duramente condenada por ambientalistas. A informação é da Agência EFE.

Em uma visita a Salt Lake City (Utah), Trump ordenou uma redução substancial de duas reservas nacionais protegidas pelo governo federal, durante os governos dos antecessores democratas na presidência, Barack Obama (2009-2017) e Bill Clinton (1993-2001).

"Vim para Utah adotar uma medida histórica para reverter o excesso (do governo) federal e restaurar os direitos dos cidadão sobre essa terra", disse Trump em discurso.

O presidente reduziu em cerca de 85% o território da Bears Ears, uma extensa área de proteção criada por Obama no ano passado. Já o Grand Staircase-Escalante, um parque protegido em 1996 por Clinton, perdeu quase 46% de sua superfície.

Os parques são considerados monumentos nacionais: áreas terrestres ou marinhas protegidas que, ao contrário dos parques nacionais, podem ser criadas sem a aprovação do Congresso, por meio de uma simples ordem do presidente, segundo lei de 1906.

Trump avaliou que os antecessores "abusaram" dessa lei e que isso prejudicou os moradores de Utah, ao decidirem sobre a melhor forma de utilizar esses territórios protegidos pelo governo federal.

"Esses abusos da lei deram enorme poder a burocratas em terras distantes, às custas do povo que verdadeiramente vive e trabalha aqui", afirmou o presidente.

O objetivo da Casa Branca é abrir o território, que antes estava protegido, para facilitar o uso público de estradas, além de promover nos locais a "caça e a pesca saudáveis", afirmou o secretário de Interior dos EUA, Ryan Zinke.

O Grand Staircase-Escalante tem jazidas de carvão, mas Zinke negou qualquer relação entre a redução da área e interesses da indústria de energia.

Bears Ears, por sua vez, passará dos 6.075 quilômetros quadrados para apenas 817 quilômetros quadrados. Além disso, a área será dividida em duas regiões, isoladas uma da outra.

Já o Grand Staircase-Escalante passará de quase 8.100 quilômetros protegidos para 4.050 quilômetros, divididos em três áreas.

A medida foi criticada por várias organizações de defesa do meio ambiente, uma delas a Fundação para a Conservação de Terras, que planeja entrar na Justiça para reverter a decisão de Trump.

A expectativa é de que as cinco tribos que pressionaram o governo para conseguir a proteção federal de Bears Ears também processem o governo de Trump para manter o status da área.

Um dos principais grupos de defesa do meio ambiente dos EUA, Sierra Club, disse que o anúncio de Trump é uma vergonha.

"É um insulto à soberania das tribos, aos séculos de herança hispânica e às pessoas de todo o país que amam e se preocupam com as paisagens naturais", destacou o grupo em comunicado.

"Mais uma vez, o governo Trump vendeu o público americano e seus locais especiais só para beneficiar a elite dos combustíveis fósseis", disse, em nota, o diretor executivo do Sierra Club, Michael Brune.

Por outro lado, a medida foi elogiada por políticos republicanos no estado, que fizeram firme oposição à decisão de Obama de declarar Bears Ears monumento nacional.

"O presidente Trump nos ouviu. Não somos um estado menor", disse o líder da Câmara de Representantes de Utah, o republicano Greg Hughes.

 

Fonte: Agência Brasil

Avalie esta matéria:
Total de Voto(s): 0 - Média de Voto(s): 0

 

 

Mais FM